O que as crianças podem lhe ensinar sobre encarar seus medos

Quando eu era um garoto, eu dormia no porão de nossa casa. Infelizmente, entre meu quarto e as escadas que levavam ao andar de cima havia um depósito escuro e agourento. Este quarto era o lar para uma coleção de teias de aranha, barulhos ameaçadores e criaturas irreconhecíveis que certamente estavam preparadas para agarrar qualquer criança inocente a qualquer momento. Obviamente, era um lugar que me preenchia com um intenso medo.

Entretanto, sempre que eu estava sozinho, me preparando para subir as escadas, eu verificava se a porta estava aberta ou fechada. Se estivesse aberta (revelava um buraco negro misterioso que eu não queria ver), eu corria freneticamente pelas escadas em busca de minha mãe, meu pai ou meu irmão mais velho até que eu tivesse certeza que estava completamente seguro.

Talvez você tenha passado por uma situação parecida quando criança. Às vezes o único consolo era correr em direção aos braços daqueles que amamos, sentir seus braços nos envolvendo calorosamente e ouvir uma voz gentil dizendo que você estava seguro e que tudo ia ficar bem.

O Medo é Natural

É normal que as crianças desenvolvam medos. Aranhas, o escuro, estranhos, altura, ir ao dentista, palhaços, comer brócolis, você escolhe. E mesmo que muitos desses medos continuam conosco a medida que crescemos (eu admito que ainda passo rapidamente pelo depósito toda vez que estou em casa), frequentemente nós encontramos medos completamente novos e ainda mais complexos.

Em uma Conferência Geral recente, o Elder Ronald A. Rasband mencionou diversos medos que comumente enfrentamos, entre eles estão o medo de “fracassar, da rejeição, da decepção e do desconhecido.” Ao expandirmos tal lista, encontramos o medo da morte, do desemprego, uma crise em sua fé, guerra, desafios financeiros, solidão, traição, entre outros. Aparentemente ninguém nesta vida está livre de enfrentar medos de um tipo ou de outro.

Ao estarmos sozinhos, esses medos podem frequentemente parecer assustadores. Empilhados uns sob os outros, eles ameaçam nos aleijar, causando ansiedade e um sentimento de abandono que parecem insuportáveis. O amado Apóstolo Elder Dieter F. Uchtdorf identificou adequadamente o medo como uma tática do inimigo: “O medo raramente tem o poder de mudar o coração e jamais nos transformará em pessoas que amam o que é certo e querem obedecer o Pai Celestial.”

Nossa Fonte de Conforto

Contudo, existe um caminho que certamente nos ajudará a lidar com qualquer tipo de medo; voltar-nos para o Pai Celestial e para Jesus Cristo, nosso irmão mais velho. Quando estava na Terra, Cristo nos instruiu a adotar nobres características das crianças:

“E Jesus, chamando uma criança, a pôs no meio deles,

E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como acrianças, de modo algum entrareis no reino dos céus.

Portanto, aquele que se humilhar como esta criança, esse é o maior no reino dos céus.” (Mateus 18:2-4)

Como Cristo disse, observar a humilde inocência das crianças pode nos ensinar uma grande lição. Muitas vozes do mundo nos dizem para “sermos durões” e “virarmos homens” e que ser capaz de dominarmos nosso maior medo sem a ajuda de ninguém é um ato admirável, merecedor de uma medalha de honra. Este método pode cativar o público de um filme sobre heróis, mas é uma dificuldade desnecessária, que de certo modo é uma opção irreal para muitas situações.

Certamente, o Pai Celestial, como qualquer bom pai, não nos deixaria fugir ou nos acovardar de qualquer medo em nosso caminho. Entretanto, Ele quer que confiemos Nele em Seu amoroso filho Jesus Cristo – aquele que sabe perfeitamente como combater qualquer dificuldade que passamos. Como as crianças, podemos ir em direção às pessoas que amamos e confiamos. O Salvador convidou, “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.

Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para a vossa alma.

Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.”

Deus manipula seus filhos

Você não está sozinho

Por diversas vezes, o orgulho pode aparecer em nosso caminho ao aplicar estes versículos a nossos medos e desafios. A medida que ficamos mais velhos, frequentemente lidamos com qualquer oposição ao tentar resolvê-los sozinhos, sem antes buscar fontes externas de ajuda. Mesmo que o Evangelho de Jesus Cristo nos encoraje a sermos nossos “próprios árbitros”, não é vergonhoso recorrer a ajuda e a orientação daqueles que nos trarão esperança e luz para qualquer tipo de escuridão em nossas vidas. Ao tomar sobre nós o jugo do Salvador, nosso fardo se tornará muito mais leve.

Realmente não precisamos enfrentar nossos medos sozinhos. Ter fé em um poder maior nos ajudará a extinguir as chamas ardentes em que o medo pode se tornar. Da mesma maneira que um pai ou uma mãe proporciona luz para uma criança com medo do escuro ou promete um sorvete se eles comerem todos os legumes, Deus e Seu filho Jesus Cristo conhecem o antídoto perfeito para quaisquer provações que passamos. Eles nos conhecem e nos amam de maneira perfeita e as escrituras confirmam que “o perfeito amor lança fora todo o temor”. Continue correndo em direção a Eles “como as criancinhas” correm em direção àqueles que amam e encontrarão o alivio para seus medos.

Aqueles monstros da despensa não têm a mínima ideia do que podem enfrentar.

Traduzido por Marie Sunaga. Esta é uma tradução do artigo publicado originalmente no site thirdhour.com com o título “’What Children Can Teach You About Facing Your Fears”.

Relacionado:

10 dicas para fazer as crianças prestarem atenção no estudo do evangelho em família

| Inspiração

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *