Frequentemente os professores do evangelho – sejam missionários de tempo integral, professores da Escola Dominical ou pais – ensinam os pesquisadores e jovens que o Espírito Santo fala à nossa mente, através de ideias, visões, lembranças e impressões – e ao nosso coração – por meio de sentimentos.

As escrituras falam que o Espírito Santo é como um fogo purificador (3 Néfi 9:20). De fato, quando uma pessoa recebe a ordenança da Confirmação e da Concessão do Dom do Espírito Santo dizemos acertadamente que ela foi batizada pelo fogo (D&C 33:11).

O Senhor explicou o processo de receber revelação a um dos primeiros líderes da Igreja pelo Espírito Santo dizendo:

“Eis que não compreendeste; supuseste que eu o concederia [uma revelação] a ti, quando nada fizeste a não ser pedir-me.

Mas eis que eu te digo que deves estudá-lo bem em tua mente; depois me deves perguntar se está certo e, se estiver certo, farei arder dentro de ti o teu peito; portanto,sentirás que está certo.

Mas se não estiver certo, não terás tais sentimentos; terás, porém, um estupor de pensamento que te fará esquecer o que estiver errado; portanto, não podes escrever aquilo que é sagrado a não ser que te seja concedido por mim.” (D&C 9:7-9, negritamos)

Os líderes da Igreja muitas vezes ensinaram que os sentimentos espirituais dados pelo Espírito Santo fazem “arder o peito”. O Élder Dallin H. Oaks, do Quórum dos Doze Apóstolos, explicou, entretanto:

“O que quer dizer ‘ardor no peito’? Será que significa uma sensação de calor semelhante ao produzido por uma combustão? Se for esse o significado, nunca senti o peito arder. Sem dúvida, a palavra ‘arder’ nessa escritura [D&C 9:8] significa um sentimento de consolo e serenidade. Esse é o testemunho que muitos recebem. É assim que funciona a revelação.” (“Ensinar e Aprender pelo Espírito”, A Liahona, maio de 1999, p. 14).

 

O Espírito Santo muitas vezes é discreto.

O Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, explicou que “[enfatizarmos] (…) as maravilhosas e dramáticas manifestações espirituais”, poderemos negligenciar as “impressões espirituais pequenas” que são mais comuns. (“O Espírito de Revelação”, A Liahona, maio de 2011, p. 87). Ao tentar reconhecer o Espírito Santo, podemos procurar os sussurros pequenos e simples.

O Profeta Joseph Smith ensinou que no começo é difícil distinguir o Espírito Santo:

“É útil perceber os primeiros sinais do espírito de revelação. Por exemplo, quando uma pessoa sente um influxo de inteligência pura, que pode manifestar-se como uma corrente repentina de ideias, observando-as, é possível que as veja cumprirem-se no mesmo dia ou dentro em breve; (isto é) as coisas que o Espírito de Deus revelou a sua mente acontecerão; e, assim, se aprendermos a reconhecer e a compreender o Espírito de Deus, poderemos desenvolver-nos quanto ao princípio da revelação até chegar a ser perfeitos em Cristo Jesus” (History of the Church, vol. 3, p. 381)

Desenvolver essa capacidade ajuda-nos a ganhar um testemunho e torna-se o meio pelo qual obteremos mais inspiração no futuro.

O Élder Allan F. Packer, dos Setenta, deu uma importante lição, ao dizer:

“Embora o testemunho possa vir em forma de manifestações grandiosas, normalmente isso não acontece. Às vezes as pessoas acham que precisam ter uma experiência como a visão de Joseph Smith para ganhar um testemunho. Se tivermos expectativas irreais sobre como, quando e onde Deus responde às orações, corremos o risco de não reconhecer as respostas que surgem como sentimentos e pensamentos calmos e tranquilizadores, que quase sempre vêm depois de orarmos, enquanto estamos fazendo outra coisa qualquer. Essas respostas podem ser igualmente convincentes e intensas.

Com o tempo, vamos receber respostas e aprender como surge a inspiração. Isso é algo que cada pessoa aprende por si mesma.” (“Encontrar Foça em Tempos Difíceis”, A Liahona Maio de 2009)

Maneiras pelas quais o Espírito Santo de Comunica

Se você nunca sentiu um ardor no peito, não fique preocupado! Há muitas pessoas que reconhecem a influência do Espírito Santo dessa forma, mas Ele também fala de muitas outras maneiras, e não precisamos sentir um ardor no peito para sentir Sua presença. Na verdade, ao aprendermos as maneiras pelas quais o Espírito Santo nos inspira e as procurarmos em nossa vida, poderemos descobrir que Ele está Se comunicando conosco mais do que tínhamos percebido.

Pregar Meu Evangelho: Guia para o Serviço Missionário , nas páginas 98-100, contém uma lista que nos ajuda a identificar mais formas de como o Espírito nos fala.

“O espírito de revelação ocorre geralmente por meio de pensamentos e sentimentos que vêm à mente e ao coração pelo poder do Espírito Santo (Ver D&C 8:12; 100:58)”.

Os pensamentos e sentimentos do Espírito Santo podem vir para:

  • Sentimentos de amor, alegria, paz, paciência, bondade, fé, mansidão (ver Gálatas 5:22–23).
  • Pensamentos que ocupam a mente ou deixam impressões em seus sentimentos (ver D&C 128:1).
  • Um desejo de fazer o bem e obedecer aos mandamentos (ver Mosias 5:2).
  • A sensação de que algo está certo (ver D&C 9:8).
  • Sentimentos de consolo (ver João 14:26).
  • Sentimentos que nos “[dilatam] a alma” (Alma 32:28).
  • Pensamentos que nos “[iluminam] o entendimento” (Alma 32:28).
  • Avidez por mais verdade (ver Alma 32:28).
  • A sensação de ser compelido (incentivado) a tomar uma atitude ou impedido de fazer algo (ver 1 Néfi 7:15; 2 Néfi 32:7).

 

Conclusão

Não precisamos ficar muito preocupados se estamos sentindo ou não o Espírito Santo caso estejamos nos esforçando ao máximo para viver os mandamentos. Assim como um bebê aprender a andar com aos poucos, aprenderemos a ouvir e reconhecer o Espírito – e o ardor de que falam as escrituras e os profetas nos será familiar.

Então o mais importante é manter-se espiritualmente limpo e digno para receber o Espírito Santo. Neste processo a oração, o estudo das escrituras, o serviço ao próximo e a frequência às reuniões da Igreja se destacam como obras de fé necessárias para a percepção espiritual.

O Espírito se comunicará, muitas vezes de maneira discreta, nos dando sentimentos e pensamentos que nos levam ao bem e a verdade.