Adoção: Confie no Senhor e faça o seu melhor, Ele fará o resto | Mães de Fé

Este artigo faz parte da série “Mães de Fé”, onde homenageamos as incríveis mães que temos e falamos de sua fé em Deus e em Jesus Cristo.

A Maria Albuquerque é uma entre as milhares de mulher no mundo que lidaram com a adversidade da infertilidade e tornaram-se mães por meio da adoção. Hoje ela é mãe de dois adolescentes incríveis e compartilhou conosco um pouco de sua experiência com a maternidade.

Aceitar a vontade do Senhor

“A ideia de ser mãe sempre esteve presente na minha vida, quando casei eu logo queria engravidar para que pudesse dar tempo de ter o número de filhos que eu havia planejado. Porém o tempo passou e a notícia da infertilidade absoluta bateu à nossa porta, foi doloroso aceitar a vontade do Senhor, porém continuamos fiéis, oramos e jejuamos para ter a resposta sobre a adoção.

 Foi uma época em que servíamos muito no Templo e passávamos grande parte de nosso tempo lá. Ao longo dos dias a resposta a nossa pergunta veio e foi uma negativa. Fiquei confusa! Como o Senhor diria não para uma adoção? O tempo passou até que estávamos preparados e iniciamos o processo de adoção. Foram longos anos aguardando uma criança até que meu filho entrou nas nossas vidas da maneira mais sublime e divina possível. 

Eu havia me preparado para aquele momento e foi maravilhoso poder cuidar de uma criança que acabara de chegar a esse mundo. Descobri o amor mais puro ao cuidar do meu filho. Cerca de 14 meses depois recebemos uma ligação que havia uma garotinha de 18 meses para adoção. Eu não sabia nada a seu respeito, só senti a confirmação naquele momento de que ela era a minha filha, aquela que o Senhor havia preparado para nós e fomos busca-la.

Vivíamos momentos difíceis em nossa vida naquele ano, muitas provações se instalaram em nossa pequena família. Então eu tinha dois filhos com menos de dois anos! Foram dias de muito trabalho, rejeição, adaptação e também desafios muito dolorosos. Porém fomos grandemente abençoados pelo Senhor que capacitou a mim e a meu amado esposo para que pudéssemos cuidar dos Seus filhos aqui na Terra.

Os anos se passaram e hoje temos dois adolescentes maravilhosos, Anne é doce e obediente, altruísta e com um Espírito disposto a aprender! Pedro é amoroso, muito esforçado, obediente e busca sempre sentir o Espírito com ele através do estudo das escrituras. Eu sei que precisei esperar alguns anos para que Anne e Pedro pudessem estar prontos para vir a essa Terra e eu estar pronta para recebê-los aqui. Tem sido uma benção ter a companhia deles nesta jornada.

Amo estar ao lado deles em tempo integral e ajudá-los em suas dificuldades, porém eles me ajudam mais ainda através das experiências ao longo desses anos. É maravilhoso estarmos nos preparando para sermos uma família eterna, sou grata ao Senhor por me ajudar nessa aventura maravilhosa! E também ao meu amado esposo por me apoiar todos esses anos.”

A parceria entre uma mãe e o Pai Celestial

Dia do selamento da Família Albuquerque no Templo de Campinas

“Depois de me tornar mãe descobri um amor genuíno e incondicional, puro demais. Descobri que sou parceira com o Pai Celestial e posso cuidar dos Seus filhos enquanto estou aqui na Terra. Maternidade para mim é uma das maiores bênçãos e aventuras que eu poderia viver. A maternidade me completa.” 

Essa parceria com o Pai Celestial a aproxima Dele diariamente e ajudou sua família ao longos dos anos a buscar entendimentos para os desafios que enfrentaram, em especial para Maria, porque a ajudou a desenvolver um relacionamento ainda mais pessoal com Ele:

“A maternidade me aproxima do Senhor porque sempre busco ser melhor a cada dia para ser um bom exemplo para meus filhos, me esforço o tempo todo para que isso aconteça. Com isso tenho desenvolvido muitos dos atributos de Cristo que eu não teria chance em outro relacionamento, eu precisava e ainda preciso dessa vivência para alcançar a estatura divina que o Senhor espera de mim.”

 “Quando minha filha chegou em nossas vidas sabíamos que ela tinha problemas de saúde, mas não tínhamos um diagnóstico fechado ainda. Quando pudemos fazer os exames necessários e chegamos a um resultado foi assustador, muitas coisas ruins vieram à minha mente naquela tarde.”

“Tinha muito medo do preconceito das pessoas, do que ela não poderia fazer sozinha e do quanto sofreria. Porém buscamos todos os cuidados possíveis para ajudar nas suas dificuldades. Foram cerca de quase cinco anos de tratamentos para que ela pudesse ir adiante e ter uma vida “normal”. Ela se desenvolveu brilhantemente e tem melhorado a cada dia.”

Uma família apoiada no evangelho de Jesus Cristo

“Aprender que o Senhor tem um plano para cada um de nós me ajudou a aceitar e buscar ajuda para minha filha em tudo que ela precisasse. E confiar que o Senhor completaria aquilo que nós não podíamos fazer sozinhos. 

Deus nos conhece, sabe de nossa capacidade e limitações, conhece nosso coração e desejos. Ele sempre nos dará aquilo que precisamos para aprimorarmos nosso testemunho nesta vida. Sei que todos nós temos os filhos que deveríamos ter. Precisamos deles e eles precisam de nós, só assim seremos moldados e aperfeiçoados como precisamos. Confie no Senhor e faça o seu melhor, Ele fará o resto. 

Eu amo meu Salvador e aprender como Ele me dá forças para continuar. Sou muito feliz por ter a benção de conhecer o Evangelho e fazer parte de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.”

A adoção deu a Maria e a muitas outras mulheres a oportunidade de ser uma mãe completa. Não há diferença entre o amor de uma mãe que gerou o filho em seu ventre para uma que gerou o filho em seu coração. Todas têm alegrias e desafios que as fazem mais fortes e as transformam ao longo da vida. O presidente Ballard ensinou: “Não existe nenhum modo perfeito de ser uma boa mãe. Cada situação é única. Cada mãe tem desafios, capacidade e habilidades diferentes e, com certeza, filhos diferentes. A escolha é diferente e única para cada mãe e cada família… O que importa é que a mãe ame os filhos profundamente e que, sem deixar de dedicar-se a Deus e ao marido, coloque-os como prioridade em sua vida.”

| Inspiração
Publicado por: Vanessa Pozete
Tradutora e intérprete, nascida em Fortaleza, criada em Santos, casada e com três filhos. Serviu missão Brasil João Pessoa. Ama a maternidade, fotografia, praia e livros de aventura e ficção. É a Localization Specialist do time português na More Good Foundation.
escrituras em malaio
Por que é tão importante estudar as escrituras diariamente?
O que fazer quando descobrimos que podemos perdoar mas não esquecer?

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *