Houve mesmo uma “Grande Apostasia”? | Papo de Fé

Quando o Salvador Jesus Cristo veio para a Terra e ministrou entre o povo do Oriente Médio, Ele organizou a Sua Igreja, “A Igreja de Jesus Cristo” (3 Néfi 27:8). Ele chamou doze homens para ajudá-lo a edificar o Reino de Deus, deu a autoridade do sacerdócio para cada um deles e dirigiu Sua Igreja por meio de revelação – ou seja, diretamente pelas instruções que Ele recebia de Deus, o Pai. 

A revelação é a base em que a Igreja de Cristo deveria ser construída (Mateus 16:16-18), combinada com a organização estabelecida por Cristo e o sacerdócio de Deus. Com a ressurreição de Cristo e Sua ascensão aos céus, Ele deixou o Espírito Santo para guiar os apóstolos na Terra, enquanto Jesus os guiaria dos céus (Lucas 12:12).

O que aconteceu depois é algo que podemos encontrar nas escrituras. Os apóstolos saíram para pregar o evangelho à todas as pessoas conforme ordenado por Jesus (Mateus 28:19-20) e a perseguição aos seguidores de Cristo e à Sua Igreja aumentaram consideravelmente, fazendo que os apóstolos fossem mortos um por um no final.

Além da perseguição, os apóstolos passaram muito tempo tentando ajudar os membros da Igreja que se desviavam da doutrina verdadeira deixada por Cristo. Se olharmos as cartas dos apóstolos aos coríntios, efésios, filipenses e em outras cidades, veremos como os apóstolos se esforçaram para fazer os Santos lembrarem do que Cristo ensinou e não distorcer Seus ensinamentos.

Mas mesmo com tanto esforço, os ensinamentos originais de Cristo foram praticamente perdidos e o que restou já estava tão modificado que não se podia dizer que era algo que a Igreja de Cristo ensinava.

Então, em resumo a combinação que levou ao grande período de escuridão espiritual que foi a Grande Apostasia é (1) a corrupção das doutrinas da Igreja, (2) mudanças feitas sem a autorização de Deus – sem o sacerdócio, (3) perseguição brutal contra os membros da Igreja.

Por isso, a Terra passou centenas de anos sem o poder de Deus e sem a Igreja de Jesus Cristo. Não que essa época (Idade Média) tenha sido horrível, mas é considerada por muitos estudiosos como a era com menos progresso (em todos os aspectos) comparado à outras eras.

A Grande Apostasia foi prevista pelos profetas e um exemplo disso está em Amós 8:11-12.

“Eis que vêm dias, diz o Senhor Deus, em que enviarei fome sobre a terra, não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor.

E irão errantes de um mar até outro mar, e do norte até o oriente; correrão por toda a parte, buscando a palavra do Senhor, mas não a acharão.”

Os profetas também profetizaram que o evangelho original de Cristo seria restaurado um dia, quando Deus achasse apropriado.

“Para, na dispensação da plenitude dos tempos, tornar a congregar em Cristo todas as coisas tanto as que estão nos céus como as que estão na terra” (Efésios 1:10)

E pelo amor que Deus tem por cada um de Seus filhos, Ele restaurou a Igreja de Jesus Cristo, acabando com a Grande Apostasia e com a promessa de que o evangelho de Jesus Cristo e o sacerdócio nunca mais seriam retirados da Terra.

 

| Inspiração

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *