Nossa família celestial e nossa vida antes da Terra | Papo de Fé

Nossa existência não começou quando nossa mãe ficou grávida, nem começou quando nascemos. A nossa existência começou há muito e muitos anos atrás. Nós somos filhos e filhas espirituais de um Pai Celestial e uma Mãe Celestial.

Antes de existirmos aqui nessa terra, todos nós estávamos em um lugar que chamamos de “O Mundo Pré-Mortal”. O que basicamente representa o nosso estado como espíritos antes de nascermos com um corpo aqui na Terra. Nessa vida pré-terrena, nós vivíamos com nossos Pais Celestiais e nossos muitos irmãos. O Élder Bruce R. McConkie explicou melhor:

“A família foi ordenada por Deus. É a mais importante unidade nesta vida e na eternidade. Mesmo antes de nascermos nesta Terra, fazíamos parte de uma família. Cada um de nós ‘é um filho (ou filha) gerado em espírito por pais celestiais’ com ‘natureza e destino divinos’ (‘A Família: Proclamação ao Mundo’, A Liahona, novembro de 2010, última contracapa). Deus é nosso Pai Celestial, e vivemos em Sua presença como parte de Sua família na vida pré-mortal. Ali aprendemos nossas primeiras lições e fomos preparados para a mortalidade (ver D&C 138:56)” (Manual 2: Administração da Igreja, 2010, 1.1.1).

Como disse o Élder McConkie, na vida pré-mortal, nós recebemos as primeiras lições e também fomos preparados para nascer aqui nessa terra. Todos nós estávamos aprendendo, crescendo, nos desenvolvendo.

Também pode ser interessante: 5 Coisas que Você Esqueceu Sobre sua Vida Pré-mortal

Embora nos esforçássemos muito, não conseguíamos aprender certas coisas, porque éramos espíritos, não tínhamos um corpo. Por isso, em certo momento dessa vida pré-mortal, nosso Pai Celestial apresentou um plano para todos os Seus filhos. O grande objetivo desse plano era que todos os Seus filhos pudessem receber um corpo de carne e ossos, aprender, progredir e então voltar à presença Dele. 

Nossos Pais Celestiais têm um corpo de carne e ossos, corpos glorificados, perfeitos. Além disso, também possuem conhecimento perfeito de todas as coisas. Sabendo disso, Deus providenciou um meio para que todos os Seus filhos se tornassem com Ele é, e foi por meio desse plano.

Certas coisas estavam incluídas no plano de Deus:

  • Todos os filhos de Deus receberiam um corpo de carne e ossos
  • A Terra seria criada para os filhos de Deus morarem
  • Os filhos de Deus continuariam a ter o arbítrio (liberdade para escolher)
  • Todos os filhos de Deus seriam provados e testados
  • Um Salvador seria enviado para vencer o pecado e a morte – e Ele seria o nosso maior exemplo a ser seguido

Também pode ser interessante: Um Estudo dos Ensinamentos Históricos Sobre a Mãe Celestial

Mas nem todas as pessoas aceitaram esse plano. Na verdade, quando Deus apresentou o plano e Jesus Cristo como nosso Salvador, Lúcifer se opôs. Como consequência, um terço dos filhos de Deus foram enganados por ele e expulsos dos céus. O irmão Norman W. Gardner, dos Seminários e Institutos explicou:

“O Profeta Joseph Smith explicou que, durante nosso estado pré-mortal, estávamos todos presentes quando Deus, o Pai, explicou Seu plano para a salvação de Seus filhos. Aprendemos que seria necessário um Salvador para vencer os problemas causados pelas condições da vida mortal.

Nosso Pai Celestial perguntou: “Quem enviarei [para ser o Salvador]?” Jesus Cristo respondeu: “Eis-me aqui, envia-me” (Abraão 3:27). Ele foi o “Filho Amado e (…) Escolhido do Pai desde o princípio” (Moisés 4:2) e sempre foi destinado a cumprir esse papel. No entanto, Lúcifer interveio, ofereceu-se e fez uma proposta que teria destruído o arbítrio do homem e exaltado Lúcifer acima do trono de Deus (ver Moisés 4:1–4). Nosso Pai Celestial respondeu: “Enviarei o primeiro” (Abraão 3:27). Lúcifer rebelou-se e ficou conhecido como Satanás.

A divisão entre os espíritos provocou uma guerra no céu. A terça parte dos filhos de Deus desviou-se Dele e seguiu Satanás (ver D&C 29:36–37). A esses espíritos rebeldes foi negada a possibilidade de ter um corpo físico e eles foram lançados na Terra, onde continuam a combater os santos de Deus (ver D&C 76:25–29). O restante dos filhos de Deus bradou de alegria porque poderia vir à Terra e porque Jesus Cristo foi escolhido para vencer o pecado e a morte (ver Jó 38:7).”

Se temos a oportunidade de estarmos aqui na Terra hoje, é porque ouvimos e aceitamos o plano de felicidade, e aceitamos Jesus Cristo como nosso Redentor.

Ao seguirmos nosso Salvador, encontraremos verdadeira alegria nesta vida e também no mundo vindouro, mesmo com as dificuldades e provações que enfrentamos nessa vida. É como lemos em 2 Néfi 2:25, nós existimos para que tenhamos alegria.

| Inspiração

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *