Como falar de religião com seus amigos sem causar contenda

de religião

“Eu acredito que uma das piores coisas em nossa cultura é o ditado que diz que religião e política não se discutem. Por não praticarmos falar sobre estes assuntos na mesa de jantar com a família, não sabemos como fazer isso bem. Desta forma, não estamos ensinando nossos filhos sobre o mundo e sobre como discutir questões importantes.”.

Julianna Bagott

Você conhece a regra: religião ou política não se discutem em conversas educadas.

Aqui está o problema: se você é um Mórmon ativo, é provável que a religião seja uma parte importante da sua vida. Não só isso, mas você provavelmente acredita que compartilhar sua fé vai abençoar a vida das outras pessoas.

Existem muitas formas simples para compartilhar sua fé com as pessoas, inclusive estranhos e conhecidos que não são membros da Igreja. Confira esses artigos para ideias:

E agora José, compartilhar o Evangelho como que é? Guia prático para tímidos

8 Maneiras Simples de Compartilhar o Evangelho Através das Mídias Sociais

Mas e quando o assunto de religião se torna como campo minado?

Digamos que você deseja falar de religião sem nenhum drama. Isso é possível? Como você pode abordar um tópico tão sensível, minimizando o risco de alguém se ofender?

entrei

O lugar certo na hora certa

Qual é a maneira ideal de iniciar uma conversa religiosa pacífica? Cara a cara, um a um, com uma amizade bem estabelecida.

Claro, nem sempre podemos ter o ideal. Se, por qualquer motivo, o cara-a-cara não funciona para você, telefone ou e-mail podem ter seus benefícios. Algumas pessoas sentem-se mais confortáveis por escrito. Conversar com alguém por texto dá a oportunidade de pensar sobre sua resposta. As conversas telefônicas podem ajudá-lo a ouvir e comunicar não apenas palavras, mas um tom de voz, para que você possa avaliar como a outra pessoa está se sentindo.

Facebook e Twitter podem ser campos minados virtuais para conversas religiosas controversas. Certamente há oportunidades para defender pacientemente suas crenças online, mas faça isso com cuidado.

Quando não estamos mais em nossa missão existem mais oportunidades para ir devagar com esse tipo de discussão. Você pode conhecer pessoas que discutirão profundamente sobre suas crenças, mas isso pode ser raro. Na maioria das vezes, leva tempo para desenvolver confiança e compreensão.

Depois de ter começado a falar de religião com mais freqüência e desenvolvido um “relacionamento religioso”, por assim dizer, o tempo e o local começam a não importar tanto. Você pode considerar trazer o seu amigo(a) para uma esfera mais pública, como uma noite familiar ou aula.

Procure primeiro entender

“Procure primeiro entender, então ser entendido”.

-Stephen Covey, Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes

Quer explicar o Mormonismo ao seu amigo protestante, judeu, muçulmano ou até hindu? Quer falar sobre a luta entre liberdade religiosa e direitos dos homossexuais?

Considere desenvolver um interesse nas crenças da outra pessoa primeiro. Mesmo se você acha que já conhece o básico, não conhece a perspectiva única do seu amigo até o ouvir. Faça perguntas e realmente ouça as respostas. Há uma boa razão pela qual eles acreditam no que acreditam; as chances são altas de que seu amigo entende e segue muitas verdades importantes.

Depois de convencê-los de sua sinceridade e interesse, você pode começar a explicar respeitosamente a sua perspectiva.

Coragem com amor

Nenhum poder ou influência pode ou deve ser mantido em virtude do sacerdócio, a não ser com persuasão, com longanimidade, com brandura e mansidão e com amor não fingido; Com bondade e conhecimento puro, que grandemente expandirão a alma, sem hipocrisia e sem dolo — Reprovando prontamente com firmeza, quando movido pelo Espírito Santo; e depois, mostrando então um amor maior por aquele que repreendeste, para que ele não te julgue seu inimigo; Para que ele saiba que tua fidelidade é mais forte que os laços da morte.

-D & C 121: 41-44

Esta escritura não é apenas sobre o sacerdócio; É um modelo para relacionamentos pacíficos.

Antes de falar sobre suas diferenças com qualquer um, descubra o que vocês têm em comum. Enquanto você está ouvindo a perspectiva dos seus amigos, preste atenção a qualquer coisa que eles digam com o qual você concorda, e compartilhe isso com eles.

Por exemplo, se você está falando com outro cristão devoto, você pode falar sobre seu amor por Jesus Cristo. Se o seu amigo é judeu, você pode mencionar sua história favorita de Gênesis. Se você está falando com um ativista dos direitos dos homossexuais, você pode dizer-lhes o quanto liberdade de crença é importante para você.

Depois de encontrar assuntos em comum, explique suas diferenças com gentileza e mansidão. Seja honesto. Quando o Espírito o move a fazê-lo, fale com coragem, mas faça isso enquanto expressa seu carinho por eles. A melhor motivação para a ousadia é o amor; Se você se importa com eles e quer melhorar suas vidas, não hesite em falar.

Presente Testemunho

“As pessoas podem, às vezes, questionar intelectualmente o que você ensinar, mas é difícil questionar um testemunho sincero do fundo do coração.”

-Preach My Gospel, 199

Às vezes, mesmo quando você está tentando o seu melhor para ter uma conversa pacífica, você a outra pessoa pode se ficar na defensiva e irritada. Ou talvez vocês estejam simplesmente discordando de algo. Nestes casos, a melhor coisa a fazer é prestar um testemunho sincero. Isso trará o Espírito de volta à sua conversa.

Fale sobre os sentimentos de alegria, amor e paz que o evangelho traz à sua vida. Não tenha medo de ser um pouco vulnerável e compartilhar como o evangelho o ajudou a superar obstáculos pessoais. Quem sabe, você pode até ter o privilégio de ouvir a outra pessoa compartilhar sentimentos semelhantes sobre sua própria fé.

Fonte: MormonHub

| Inspiração

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *