Em uma publicação comovente no Facebook feita no final de abril, o Élder D. Todd Christofferson escreveu o seguinte sobre abraçar a diversidade:

“Parte meu coração ver alguém que está muito vulnerável dizer: ‘Eu quero tentar, quero estar aqui’ e então como resposta as outras pessoas não dão atenção e mostram falta de interesse. É trágico. Temos que agir melhor.”

Todo membro da Igreja busca sentir que pertence a ela, que é bem-vindo e que somos suficientes do jeito que somos. Contudo, nem sempre é assim que nos sentimos lá. Muitas vezes nos sentimos solitários, magoados, ofendidos, ostracizados, ou simplesmente não parece se encaixar. Para essas pessoas, o Élder Christofferson lembrou-lhes:

 “Cada um de nós, sempre que o sentimento de isolamento aparecer, precisa parar e pensar: ‘Jesus Cristo morreu por mim. Jesus Cristo me achava digno de Seu sangue. Ele me ama, coloca Suas esperanças em mim, e pode fazer a diferença na minha vida. Sua graça pode me transformar. E talvez para essa pessoa sentada ao meu lado, que está me ignorando ou mesmo querendo se afastar de mim, não tem esse poder. Mas isso não muda a realidade do que Cristo sente por mim e as possibilidades que tenho por meio Dele’”.

Mais comentários no Facebook do élder Christofferson sobre diversidade

Este mês, o Élder Christofferson falou um pouco mais sobre essa mensagem e compartilhou como abraçar a diversidade na Igreja nos torna mais fortes. Ele ensinou:

“Na Igreja antiga havia uma enorme diversidade. E não é só diversidade por causa da diversidade, mas o fato de que as pessoas podem trazer diferentes dons e perspectivas.

A ampla gama de experiência, origens e desafios que as pessoas enfrentam nos mostrará o que realmente é essencial no evangelho de Cristo. E grande parte do resto que talvez tenha sido adquirido ao longo do tempo, e que é mais cultural do que doutrinário, pode ser deixado de lado. Assim, conseguiremos de fato aprender a ser discípulos.

Então, por um lado, temos que ser melhores como povo ao receber bem, ajudar e caminhar junto com todo mundo. E, por outro lado, cada indivíduo precisa ser determinado e saber que tem um lugar no Reino de Deus. Sim, eles terão um lugar no corpo de Cristo. E os outros que são imprudentes, descuidados ou que fazem coisas piores não podem impedir isso, não podem afastá-los e nem tirar deles esse direito”.

Fonte: LDSLiving.com

Relacionado:

Uma Igreja para Todos: Pais Solteiros, Gays, Pobres, Ricos, etc.