Como afastar o medo que provém da ansiedade?

Eu já disse antes e vou dizer de novo: Sou uma pessoa muito ansiosa.

Não é uma qualidade de que me orgulho. Não estou me vangloriando dos cenários ridículos que passam em minha mente, todas as vezes que meu esposo chega tarde do trabalho ou dos momentos em que meus pais não atendem ao telefone.

Instantaneamente, meu cérebro cria as piores possibilidades e presume que todos que amo, estão em grande perigo. Essas preocupações me deixam enjoada e me fizeram ajoelhar em oração mais vezes do que posso contar.

Sou assim desde que era muito nova. Me lembro que aos 5 ou 6 anos de idade, eu sempre observava a minha irmã ir até a casa de sua melhor amiga, que era somente a algumas quadras de nossa casa.

Era bem perto, literalmente alguns minutos caminhando, mas ao ela andar pela rua, chegava a um ponto em que eu não conseguia mais vê-la, porque uma casa bloqueava a minha visão.

Assim que ela chegava naquele ponto, eu me sentia fisicamente doente. Eu ficava apavorada de que algo aconteceria a ela e que eu não veria e não poderia ajuda-la.

Muitos daqueles sentimentos e a ansiedade, carreguei comigo até a minha vida adulta. Sei que é irracional e bobo. Sei verdadeiramente disso, mas é como se meu corpo não entendesse.

Meu corpo reage a qualquer situação desconhecida com dúvida, medo e pânico. E não ajuda viver em uma sociedade em que o perigo é crescente e constante.

Durante minha vida, ouvi diversas vezes, “Só pare de se preocupar!” ou “Não se preocupe” ou “Não há nada que você possa fazer, então não há porque se preocupar.”

Sei que não deveria me preocupar, mas ter pessoas que me falam para parar, como se eu escolhesse ficar doente de preocupação, é como colocar sal em uma ferida aberta.

Já me sinto uma boba e sem fé por me preocupar tanto, e ter alguém que enfaticamente afirmando que preciso “relaxar”, tem o efeito oposto em mim, e me deixa ainda mais estressada.

Ultimamente, tenho tentado controlar mais a minha ansiedade e quero compartilhar algumas dicas com pessoas que têm a mesma dificuldade que eu, além de dar algumas dicas para pessoas que querem ajudar aqueles que amam e que batalham contra a ansiedade.

Não se martirize por estar com medo

Ouvimos o tempo todo que o medo é o oposto da fé e que o medo e a fé não podem coexistir. E de vez em quando sim, devemos tentar afastar o medo, mas não somos pessoas sem fé, porque sentimos medo.

Na verdade, é encarando o medo que nos tornamos corajosos! Se você não sente medo, não é necessário ter coragem para fazer algo. É o medo que torna um ato corajoso.

Então, ao invés de se martirizar por sentir medo, tento reconhecer esses sentimentos e mostrar autocompaixão. Você pode dizer a si mesmo, “Sim, estou com medo e está tudo bem. É natural que eu me sinta dessa maneira, e não há nada de errado comigo. Agora, estou tentando pensar em razões pelas quais as coisas não estão dando certo.”

Quando dizemos a nós mesmos que somos tolos ou bobos por estarmos com medo, aumentamos nossa ansiedade. E além de estarmos ansioso sobre alguma situação ou momento, ficamos ansiosos por sermos ansiosos!

Não queremos nos sentir bobos, então dizemos a nós mesmos freneticamente para parar de se preocupar, o que só torna a situação ainda pior. Por outro lado, ao nos tratarmos a situação com bondade, emitimos conforto e compreensão. Algo de que precisamos desesperadamente quando nos sentimos temerosos e ansiosos.

Tente não se martirizar por estar com medo. É totalmente normal nos sentirmos assim e não significa que não temos fé. Reconhecer esses sentimentos e tentar continuar da melhor maneira que podemos, entendendo e tentando seguir em frente quando estamos com medo, demonstra uma fé incrível!

Descubra o que te acalma

Algo que tem me ajudado muito a controlar a minha ansiedade, é entender o que ajuda ou não, quando estou nervosa e com medo. Segue uma lista do que me ajuda:

  1. Ter alguém em que eu possa me apoiar

Para mim, isso é algo muito importante! Eu disse ao meu esposo que quando estou com medo, só preciso que ele me diga que vai ficar tudo bem.

Ouvir a reafirmação de outra pessoa (especialmente de alguém que eu sei que é sensato e que se preocupa comigo genuinamente) acalma as preocupações da minha alma, de uma maneira em que poucas outras coisas conseguem.

Quando o meu esposo não está disponível, procuro meus pais ou meus amigos. Recomendo firmemente que digam as pessoas que vocês amam, o que ajuda quando você está se sentindo ansioso (como fiz com o meu esposo), porquê dessa maneira, eles estarão preparados e saberão o que falar quando você precisar de ajuda.

  1. Oração

Orar já me acalmou muitas vezes, quando me senti sem esperanças, vulnerável e assustada.

O Élder Rex D. Pinegar, uma autoridade geral emérita, uma vez contou uma história em uma conferência geral sobre uma época onde ele sentia um medo horrível. Quando era adolescente, ele e seus amigos estavam soltando fogos de artifícios em uma noite de verão, até que as coisas deram muito errado.

“Nem todos os fogos funcionaram como deviam. Na verdade, a maioria deles falhava, ou seja, eles crepitavam momentaneamente e depois morriam; nós os colocamos de lado até tentarmos acender todos e, no final, tínhamos tantos defeituosos que não sabíamos o que fazer. Não podíamos simplesmente jogá-los fora. E se esvaziássemos a pólvora de todos na caixa de papelão? Poderíamos jogar um fósforo e ter um estouro gigantesco!”

Então, foi o que eles fizeram, e algo terrível aconteceu:

“Então, aconteceu! O “estouro gigantesco” que pensávamos desejar explodiu com fúria em nosso rosto. A força da explosão derrubou-nos, e chamas da pólvora incendiada queimaram-nos seriamente. Foi uma cena trágica. Atendendo rapidamente aos gritos e apelos dos jovens feridos à sua porta, a mãe de nosso amigo reuniu-nos em sua casa. “Primeiro faremos uma oração”, disse ela, “depois chamaremos o médico”.

Lembro-me de que aquela foi a primeira de muitas orações oferecidas por nós. Pouco mais tarde, senti o rosto, as mãos e os braços sendo envolvidos com ataduras. Ouvi as vozes de meu pai e de meu médico dando-me uma bênção do sacerdócio. Ouvi, várias vezes, a voz de minha mãe implorando ao Pai Celestial que permitisse que seu filho voltasse a ver.

Eu fora ensinado bem cedo na vida a orar. Meus pais haviam feito da oração uma parte importante da vida familiar. Foi só naquele dia, entretanto, que ela se tornou tão significativa para mim. Naqueles momentos terríveis, encontrei paz e conforto por meio da oração.

Recentemente, em meio a sua própria dor e sofrimento, meu amigo e sócio Élder Clinton Cutler, comentou a respeito de sua experiência: “A paz do Senhor não nos advém sem dor, mas em meio à dor”.

Nosso Pai Celestial prometeu-nos paz em tempos de provação e forneceu-nos um modo de nos achegarmos a ele em momentos de necessidade. Ele nos deu o privilégio e poder da oração, mandou-nos “orar sempre” e prometeu que derramaria seu Espírito sobre nós (D&C 19:38).”

Mesmo em nossos momentos mais escuros, o Senhor pode nos abençoar com paz, então, quando você sentir medo, ore. Ore por paz, conforto e coragem, com fé de que o Senhor escutará e responderá as nossas orações, especialmente quando estivermos com medo.

  1. Exercícios respiratórios

Quando eu tinha uns 13 ou 14 anos, comecei a ter problemas para respirar. Eu sentia como se minha respiração nunca fosse o suficiente. Meu pai me levou à médica, e ela disse que era um tique nervoso causado pela ansiedade e sugeriu que eu fizesse terapia.

A terapeuta me ensinou técnicas de respiração, para quando eu ficasse ansiosa e isso me ajudou muito. Hoje em dia, quando fico nervosa faço esses exercícios de respiração que ela me ensinou, e faço esses exercícios até que eu me sinta um pouco melhor.

Para encontrar algo que sirva para você, pesquise ‘exercícios respiratórios para ansiedade’ no Google e tente as várias sugestões que encontrar, para ver a que funciona melhor para você.

  1. Outros recursos

No site da Igreja para a juventude churchofjesuschrist.org, tem um artigo chamado “5 Maneiras de Acalmar a Ansiedade” e traz ótimas ideias. Em parte do artigo lê-se:

“Volte-se para ações que podem trazer o Espírito para a sua vida. Ore especificamente por sentimentos de paz. Conte suas bênçãos. Leia escrituras que tragam paz, esperança e força. Lembre-se de que o Pai Celestial o ama e de que “o valor das almas é grande à vista de Deus” (D&C 18:10). Isso significa que você tem grande valor. Sabendo disso, acredite em si mesmo e enfrente seus temores e desafios com fé. Siga em frente com confiança e faça o melhor que puder.”

Saiba que você não está sozinho

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o Brasil é o país com o maior número de pessoas que sofrem com ansiedade. As pesquisas apontam que 9,3% d apopulação, ou seja 18,6 milhões de brasileiros apresentam transtornos de ansiedade.

E esses números são somente em nosso país! Então, você não está sozinho com seus sentimentos de preocupação e ansiedade. Muitas e muitas pessoas tem problemas com isso e, até um certo ponto, isso faz parte de nossas vidas.

Se você está preocupado, com medo, tente conversar com outras pessoas que têm sentimentos similares aos seus. Pergunte o que os ajuda, o que eles têm feito para superar esses sentimentos, etc.

Encontre conforto sabendo que outras pessoas pelo mundo entendem você e tem a mesma dificuldade que você.

Se você não consegue diminuir os seus sentimentos de ansiedade, medo ou depressão, existem também recursos médicos que podem e devem ser utilizados.

Em seu discurso “Como um Vaso Quebrado” (no qual todas as pessoas deveriam ler!), o Élder Jeffrey R. Holland explicou:

“Se as coisas continuarem a ser debilitantes, procurem o conselho de pessoas de confiança, com formação profissional comprovada, competência e bons valores. Sejam honestos com elas sobre sua história e suas dificuldades. Em espírito de oração e de modo responsável, ponderem o conselho delas e as soluções que receitarem. Se vocês tiverem apendicite, Deus espera que procurem uma bênção do sacerdócio e também o melhor atendimento médico disponível. O mesmo se dá com os distúrbios emocionais. Nosso Pai Celestial espera que usemos todos os maravilhosos dons que Ele concedeu nesta maravilhosa dispensação.” (Jeffrey R. Holland, “Como um Vaso Quebrado,” Outubro, 2013).

Não importa qual seja a sua situação – se você luta contra ansiedade, conhece uma pessoa amada que luta contra a ansiedade, ou se simplesmente está tentando entender melhor as pessoas que lidam com transtornos mentais – saiba que você é amado além do que se pode medir.

Você pode encontrar conforto, não importa pelo que está passando. E somente porque as vezes você sente medo, não significa que não tem fé ou que há algo de errado com você.

Se dê um pouco de crédito. Você está lendo esse artigo sobre como lidar com a ansiedade e isso significa que está tentando mais – e é isso que realmente importa para Deus.

Fonte: Third Hour

Relacionado:

4 maneiras de reduzir a ansiedade de acordo com as escrituras

| Inspiração

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *