Campeão Mundial de Obstáculos Mórmon Vence Apesar de Doença Crônica

Todos os anos desde 2010, o fundador e CEO Joe De Sena recebeu o que é conhecido como a Spartan Race. Ele disse que queria “tirar as pessoas do sofá”. Então, ele fez um curso intenso de obstáculos cheio de  adrenalina. Seu plano certamente parece estar funcionando.

Ok, parece SUPER intimidante. Na verdade, a corrida é dividida em diferentes níveis, então praticamente qualquer pessoa atleticamente ambiciosa pode fazê-lo se escolherem a corrida apropriada.

Cody Moat

Aqui é um fato impressionante: Cody Moat ganhou o 1º lugar duas vezes – em 2012 e 2017. Lembre-se que esta é uma competição global. E não foi na corrida Spartan Sprint(porque a aparência é “fácil”). Não, Cody é muito avançado para isso. Ele foi para a Spartan Beast, o nível mais difícil que existe no Camp Sparta.

A última corrida ocorreu em Squaw Valley, perto de Lake Tahoe, na Califórnia. Moat, que há apenas alguns meses completou 39 anos, lidou com problemas de saúde, incluindo uma doença crônica da tireoide, uma fascite plantar e uma entorse grave no tornozelo. Apesar de todos esses impedimentos, ele terminou em primeiro lugar em um curso de 16 milhas com cerca de 40 obstáculos e completou o curso em apenas 2 horas, 32 minutos e 34 segundos.

Por mais incrível que seja, a conquista mais impressionante é o seu compromisso com a família. O horário de treino é de 5 a 7 horas e o resto do dia é providenciar e passar tempo com a família. Em uma entrevista com a Deseret News, Moat disse: “Eu batalhei muito. O meu modo de treino é que vamos durar duas horas cuidando disso, e depois terminamos. Se isso não for bom o suficiente, então não é bom o suficiente. Família em primeiro lugar, essa é a coisa mais importante.”

Para prover o sustento de sua esposa e quatro filhos, Moat ensina carpintaria e elaboração no Millard High School e três esportes: cross country, track e wrestling. Para ele, esta carreira tem sido plena e demorada. Ele leva o relacionamento com sua equipe muito a sério e eles o amam por isso. Eles costumam ir às suas corridas na ocasião!

Religião

A religião também tem uma alta prioridade na longa lista de compromissos da Moat. Na mesma entrevista com a Deseret News, ele compartilhou: “Não participo de competições no Domingo. Eu não treino no domingo. Para mim, faz toda a diferença no mundo. Tantos dias eu estou na iminência de lesão e quando eu tiro  o Domingo de folga, eu volto forte na Segunda-feira  e pronto para ir.”

Quando a Spartan Race queria mudar o grande dia da corrida para Domingo, Moat tomou uma posição com vários outros atletas. Defender suas crenças e o dia sagrado do Senhor foi suficiente para manter o dia da corrida no sábado.

Ao longo dos últimos anos, Cody lutou com vários problemas de saúde, incluindo fascite plantar, torção de tornozelo e tireoidite de Hashimoto. Com cada diagnóstico, Moat não tinha certeza se ele seria ou não capaz de competir na próxima corrida. Em 2013, ele foi forçado a parar de treinar devido ao problema da tiróide. Sua freqüência cardíaca era naturalmente alta – 72 bpm enquanto descansava e 200 durante o exercício – e ele começou a perder peso rapidamente.

Mas Cody Moat encontrou uma maneira de voltar para o que ele ama fazer. Ele ama competir, e ele espera ficar na corrida por um longo, longo tempo.

Este artigo foi traduzido do inglês por Inaê Leandro. Para ler o artigo original, clique aqui.

| Inspiração
Publicado por: Inaê Leandro
Inaê Leandro é estudante de Administração, escritora e foi Jovem Senadora em terceiro lugar por Minas Gerais, no Prêmio Jovem Senador, do Senado Federal. Atua como voluntária no Instituto Oikon e mantém juntamente com amigos, o site suscitare.com.br.
Fe e Medo
Enfrentando o Mundo com Fé, Não com Medo
madagascar
Missionários Mórmons Temporariamente Transferidos de Madagascar

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *