Chuck Norris visita missionário retornado com Síndrome de Down e Câncer Terminal

Gena, missionario retornado e Chuck Norris

Chuck Norris e uma visita a missionário retornado com Síndrome de Down

No final da tarde, há uma semana e meia, uma SUV preta parou na porta da casa que Judy Parry compartilha com seu filho, Mark.

Da van sai Chuck Norris, ou Walker, o Texas Ranger.

Sim, o Chuck Norris.

Ele bateu na porta da casa, como um ranger preparado para o que viesse, como no programa de televisão. Quando Mark abriu a porta, Chuck Norris lhe deu um grande abraço!

Cumprindo uma missão de serviço

Mark Parry não teve uma vida fácil. Ele nasceu há 33 anos com síndrome de Down. Há dois anos, seu pai, Rick, morreu de câncer. Há dois meses, Mark foi diagnosticado com câncer gastrointestinal. O câncer está na fase quatro. Ele tem entre dois a seis meses de vida.

Mark sempre focou no que podia fazer, ao invés do que não podia. Com seis irmãs, três irmãs, 38 sobrinhos e uma mãe que tem sido sua maior defensora desde o seu nascimento, Mark tem um grande apoio em seu lar. Com 22 anos de idade, ele começou uma missão de serviço na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Eles o designaram para trabalhar na cozinha do refeitório do Edifício do Escritório da Igreja. Ele pegava ônibus todos os dias de sua casa, em Sandy, até o centro de Salt Lake City, onde servia em seu turno antes de voltar para casa.

Ele foi tão bem que, quando sua missão terminou, o pessoal que cuidava da lanchonete pediu que Mark continuasse com eles. Ele disse sim, e na última década ele não só foi um empregado indispensável como fez muitos amigos.

Um grande fã de Chuck Norris

Outra coisa que ajudou Mark em sua vida foi Chuck Norris, o ator de cinema, guru das artes marciais e, não menos importante, a estrela do popular programa de Televisão “Texas Ranger”.

Anos atrás, Mark viu Chuck Norris na televisão e virou fã à primeira vista. Ele comprou o Total Gym, uma máquina de treino patrocinada por Chuck Norris. Ele se matriculou nas aulas de karatê, ganhando a faixa preta. Ele assistiu a cada episódio de cada temporada do “Texas Ranger.” Então ele pediu que Judy e Rick comprassem os DVDs para que ele pudesse vê-los vez após vez.

Mark usava um chapéu de vaqueiro, estilo Chuck Norris. Ele chegava todos os dias na lanchonete com seu chapéu. Às vezes, durante as pausas, ele entretinha todos com uma demonstração de karatê.

Notícia sobre o câncer

Você pode imaginar como foi a reação quando seus amigos de trabalho descobriram que ele estava com câncer. Foi como se um caminhão tivesse passado sobre eles.

Eles não podiam fazer nada sobre o câncer, mas eles podiam fazer algo para Mark. Um de seus supervisores, que prefere permanecer anônimo, teve a ideia de descobrir se Chuck Norris passaria por Salt Lake City. Eles contataram os agentes do ator em Los Angeles.

Felizmente ele estava indo para Utah para realizar um trabalho de divulgação para a empresa Maverik.

Quando Chuck Norris e sua esposa, Gena, voaram para o Aeroporto de Salt Lake, eles já estavam com o endereço de Mark. E a primeira coisa que eles fizeram quando entraram na SUV preta foi ir diretamente para lá.

Eles ligaram para Judy no caminho, perguntando se não tinha problema passar lá, dizendo que chegariam em meia hora.

Quando a campainha tocou, Judy deixou Mark atender.

“Eu ainda estou surpreso que eles fizeram aquela visita”, disse Judy uma semana e meia depois. “Eles não poderiam ter sido melhores. Chuck Norris é uma das pessoas mais amáveis que já conheci.”

Chuck Norris assinou cada um dos DVDs de Mark. Ele andou com ele para o seu quarto para ver todas as coisas do Texas Ranger nas paredes. Na sala da família, ele usou o Total Gym e fez alguns exercícios.

“Foi como um amigo da rua que veio nos visitar”, disse Judy.

“Você ouve muito sobre as celebridades serem pessoas difíceis. Você não consegue ver o outro lado. Eu pensei que eles estariam com fotógrafos e agentes tirando fotos e fazendo mídia. Mas eles não queriam publicidade, nem fotos, nem atenção. Eles só queriam realizar o sonho de um menino.”

Artigo escrito por Lee Benson no site DeseretNews.com. Traduzido por Esdras Kutomi.

| Inspiração
Publicado por: Esdras Kutomi
Formado em SI, mórmon, gosta de RPG e Star Wars, lê artigos científicos por diversão, e se diverte mais com crianças ou idosos do que com pessoas de sua idade.
equívocos
5 coisas que todo mórmon pode fazer para mudar equívocos comuns na...
Templo do Rio de Janeiro
Assista ao vivo a abertura de Terra do Templo do Rio de Janeiro!

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *