7 tesouros ocultos que uma mãe encontrou na Palavra de Sabedoria

O teste veio positivo. Minha filha de oito anos estava com COVID-19, e nossa família entrou de quarentena e aguardamos ansiosamente se ficaríamos doentes também. Apesar de seu caso ser leve, me ajoelhei e orei durantes os longos dias que passamos sem saber o que aconteceria.

Implorei para que minha família fosse capaz de lidar com a tensão física, emocional e espiritual que essa pandemia havia colocado sobre nós.

Fiquei surpresa ao me encontrar estudando sobre a Palavra de Sabedoria. Honestamente, quando busco por ideias inteligentes e profundas para desenvolver resiliência, a Palavra de Sabedoria geralmente não é o primeiro tópico que vem a minha mente.

Porém, ao estudar mais profundamente essa inspirada revelação, descobri que era mais do que uma lista de restrições ou conselhos sobre alimentação. Na verdade, encontrei “sabedoria e grandes tesouros de conhecimento, sim, tesouros ocultos” (D&C 89:19).

Veja os sete tesouros da Palavra de Sabedoria que como mãe, achei especialmente valiosos.

Descoberta nº 1: Podemos receber revelação mesmo por meio a atividades seculares.

Há uma postagem frequentemente compartilhada nas redes sociais que aponta o fato de que embora os homens muitas vezes escalem a montanha até Deus, Deus geralmente encontra as mulheres onde elas estão.

E é verdade. Um anjo apareceu a Maria em sua cidade natal (Lucas 1:26-38). Cristo anunciou Sua identidade para a mulher no poço enquanto ela fazia suas tarefas (João 4:1-30). O Salvador parou no meio da rua para curar uma mulher doente (Marcos 5:21-34).

Saber que Deus poderia ir ao meu encontro exatamente onde estava, especialmente por estar sentada em minha casa, literalmente incapaz de ir a qualquer outro lugar foi extraordinário.

A história da origem da Palavra de Sabedoria é outro grande exemplo. Emma, enquanto limpava o lugar utilizado por seu esposo e seus amigos, sentiu a necessidade de buscar a orientação de Deus sobre a saliva de tabaco que retirava do chão.

Emma Smith - primeira presidente da Sociedade de Socorro

Ela estava com nojo? Ou estava simplesmente cansada da bagunça? De qualquer forma, adoro que Emma tenha sido ousada o suficiente para insistir que as tarefas domésticas mereciam uma revelação profética.

É interessante que os homens da Escola dos Profetas, que estudavam e debatiam justamente as nuances das escrituras, perderam totalmente a oportunidade de pedir por esta revelação.

Em vez disso, aconteceu por meio de uma mulher que fazia tarefas diárias, que afirmou que Deus estava interessado em seu fardo aparentemente pessoal de limpar aquele espaço.

Isso me mostra que, embora precisamos reservar tempo para o estudo erudito das escrituras, a centelha para inspiração profunda também pode vir de circunstâncias mais simples.

Descoberta nº 2: A história original da Palavra de Sabedoria inclui conselhos conjugais.

Quando Emma levou suas preocupações a Joseph, ele facilmente poderia tê-las ignorado e justificado seu comportamento. Em vez disso, ele ouviu como suas ações (e as de seus amigos) a impactavam.

Ele humildemente levou as preocupações de sua esposa ao Senhor e a resposta reveladora que recebeu é conhecida como a Palavra de Sabedoria.

Aparentemente, Joseph estava à frente de seu tempo, pois pesquisas contemporâneas mostram que quando um marido, em particular, está disposto a ser influenciado por sua esposa, o casamento é, de fato, mais forte.

Sob as pressões da quarentena, adquiri alguns hábitos ruins e a leitura desta história suscitou algumas perguntas difíceis: Eu ficava na defensiva quando meu esposo fazia uma reclamação ou respondia como Joseph, com uma humilde autorreflexão?

Quando fui confrontada pela necessidade de melhorar, procurei uma amiga para desabafar ou recorri ao Senhor para obter revelação pessoal?

Descoberta nº 3: A preparação da refeição pode ser um meio de demonstrarmos nosso convênio com Deus, e não apenas uma tarefa que nos afasta do “verdadeiro” trabalho espiritual.

A Palavra de Sabedoria nos convida a refletir sobre o que colocamos em nosso corpo, incluindo o que comemos e bebemos (D&C 89:5, 9-16).

Seguir a Palavra de Sabedoria tornou-se uma marca significativa em nossa identidade, que distingue os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias como únicos.

Quando somos diferentes das pessoas ao nosso redor (por não fumar ou não beber café ou álcool, por exemplo), somos lembrados de que nosso principal relacionamento não é com essas pessoas, mas com Deus.

Ele é a prioridade e, como povo do convênio, somos separados para ser diferentes. Ao selecionarmos o que colocamos em nosso corpo, somos marcados como Seus.

A Palavra de Sabedoria traça um paralelo interessante entre seguir seu conselho nos últimos dias e o sangue do cordeiro que marcou as ombreiras das portas dos antigos israelitas.

Na história da Páscoa, os israelitas no Egito estavam tentando convencer o Faraó a libertá-los da escravidão.

Apesar das sequências de pragas, o Faraó se recusou. Portanto, o Senhor fez um pronunciamento terrível: todos os animais e primogênitos do Egito seriam mortos.

Mas o Senhor preveniu os israelitas, instruindo-os a marcar suas portas com o sangue de um cordeiro. Ele prometeu que se cumprissem com a instrução que receberam, o primogênito do sexo masculino naquela casa seria poupado.

“E aquele sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; e vendo eu o sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga de mortandade, quando eu ferir a terra do Egito” (Êxodo 12:12-13).

O Senhor faz uma promessa paralela de advertência a respeito de seguir a Palavra de Sabedoria,

“E todos os santos que se lembrarem de guardar e fazer estas coisas… eu, o Senhor, faço-lhes uma promessa de que o anjo destruidor passará por eles, como os filhos de Israel, e não os matará” (D&C 89:18, 21).

Seguir a Palavra de Sabedoria é um sinal contemporâneo, ou símbolo, do sangue do Cordeiro. Isso nos marca como Seu povo do convênio. E sinaliza que sua família está protegida por seu relacionamento e convênio com Deus.

Seremos protegidos de um “anjo destruidor” tão ameaçador quanto a praga que matou os primogênitos do Egito.

Isso sugere que alimentar a nós mesmos e a nossa família de acordo com o conselho da Palavra de Sabedoria não é uma distração de nosso trabalho espiritual, mas um trabalho espiritual que nos protege de ameaças perigosas.

Não é fascinante que a preparação de uma refeição aparentemente simples pode realmente ser um ato de proteção?

Enquanto refletia sobre isso, caí na (falsa) ideia de que o que Deus queria de mim eram jantares em família perfeitos para o Pinterest. E nunca foi isso. O que é um alívio, porque na verdade eu não gosto de cozinhar, e muitas das nossas refeições em família são incrivelmente simples.

Ao olhar mais profundamente, percebi que Deus é incrivelmente gentil em suas expectativas.

Descoberta nº4: Não se preocupe, Deus vai até onde você está.

A Palavra de Sabedoria é um dos poucos lugares nas escrituras onde vemos Deus reconhecer explicitamente que o contexto temporal tem um impacto em nossas decisões terrenas.

Por exemplo, na Palavra de Sabedoria Deus nos aconselha a usar carne – a carne de animais e de aves – com moderação (D&C 89:12). Em seguida, Ele levanta a barra ao dizer: “Agrada-me que não sejam usadas”, então Ele apresenta o contexto “a não ser no inverno ou em tempos de frio ou de fome” (D&C 89:13).

Deus misericordiosamente reconhece que haverá variação na forma como guardamos os mandamentos, de acordo com as nossas circunstâncias mortais.

Então, se você ficou acordado a noite toda com um bebê chorando, seu filho mais velho está com fome e a única coisa que você pode encontrar no fundo do freezer é algum alimento processado para micro-ondas, tudo bem. Deus vai até onde você está.

Descoberta nº 5: Ao demonstrar Sua gentileza, Deus se preocupa mais com o estado do seu coração do que com o estado da sua lista de tarefas.

Deus apresenta a Palavra de Sabedoria como um “princípio com promessa” (D&C 89:3). Como tal, vai além das prescrições de listas de tarefas exatas e pode evoluir na execução com base em nossas circunstâncias.

Observe os belos princípios ilustrados nessas palavras e frases: “ação de graças”, “prudência”, “salutares”, “em sua estação”, “bom”, por “como saudação; não como mandamento ou coerção”, “adaptada à capacidade dos fracos e do mais fraco de todos os santos”.

Eu particularmente adoro a palavra “lembrar”, que gentilmente implica, “você provavelmente vai esquecer de seguir isso às vezes, mas ao se lembrar, volte a segui-lo”.

A frase “andar em obediência” também é um vislumbre da gentileza de Deus. Seu conselho é não correr, mas seguir passo a passo ou caminhar, como somos lembrados.

Como outra demonstração de Seu caráter, Deus respeita nosso arbítrio e como escolhemos cuidar de nosso corpo, da terra e dos animais que estão sob nossa responsabilidade.

Ele nos avisa e nos orienta, e então a Palavra de Sabedoria é imposta por consequências naturais, não pela punição direta de Deus.

Descoberta nº 6: Concentrar-se nos princípios ensinados pela Palavra de Sabedoria é um treinamento para o seu relacionamento com seus filhos.

Esses princípios, relevantes em muitos ambientes, podem ser aplicados especificamente aos pais.

A Palavra de Sabedoria começa com “saudação, não como mandamento ou coerção”. Da mesma forma, podemos iniciar uma interação calorosa com nossos filhos, em vez de pular imediatamente para as regras e em suas infrações.

A Palavra de Sabedoria nos incentiva a abordar a comida “com prudência e ação de graças”. Aconselha-nos a “lembrar” seus ensinamentos e a saborear alimentos “na estação”.

Podemos incorporar esses princípios em nossa paternidade, abordando as exigências da maternidade com prudência e gratidão, lembrando-nos de sentir alegria em cada estação de nossa vida e da vida de nossos filhos.

A Palavra de Sabedoria nos aconselha a satisfazer nosso apetite com alimentos “saudáveis” e “bons”. Da mesma forma, podemos ajudar nossos filhos a desenvolver o apetite por atividades boas e saudáveis.

A Palavra de Sabedoria reconhece que somos fracos e gentilmente nos incentiva a progredir passo a passo. Podemos repetir essa abordagem amorosa sendo pacientes com nossos filhos em suas fraquezas também.

Como o Pai Celestial demonstra na Palavra de Sabedoria, podemos advertir gentilmente os filhos sobre perigos previsíveis, mostrar alegria quando eles seguem nossos conselhos e levar em consideração o contexto em que estão quando não o fazem, permitindo que as consequências naturais os ensinem.

Descoberta nº 7: A Palavra de Sabedoria é profundamente inspiradora.

A linguagem usada na Palavra de Sabedoria é na verdade forte. Em Doutrina e Convênios 89:2 lemos “manifestando a ordem e a vontade de Deus”.

Acho interessante que o nome do sacerdócio de Melquisedeque seja, “o santo sacerdócio segundo a ordem do filho de Deus”, e que também fale sobre a ordem de Deus.

A inclusão das palavras “ordem e vontade de Deus” nos parágrafos iniciais da Palavra de Sabedoria enfatiza a legitimidade da revelação – é uma instrução autorizada por Deus.

Deus “ordenou” plantas e animais para nosso uso. Há um propósito sagrado e reverente implícito nesta palavra e em sua definição associada a “separar”.

Quando somos “designados” para um chamado, um portador do sacerdócio, em espírito de oração, nos abençoa para que possamos servir. Essas plantas e animais que foram separados por Deus para nos servir com humildade.

Quando consideramos que nosso corpo é o templo de nosso espírito, nosso apreço pela santidade desse serviço aumenta.

Em resumo, as profundas bênçãos prometidas por seguir a Palavra de Sabedoria incluem “saúde para o umbigo e medula para os ossos”, a capacidade de correr e não se cansar, a promessa de que “o anjo destruidor passará” e o acesso a tesouros ocultos de conhecimento.

O estudo da Palavra de Sabedoria me ensinou que quando ajo sob a ordem e vontade de Deus e uso plantas e animais ordenados para nutrir o meu ‘templo’, sou abençoada com saúde em meu umbigo e medula em meus ossos e encontro tesouros de conhecimento.

Também aprendi mais sobre o caráter de Deus e sobre como seguir a Palavra de Sabedoria é um marcador de identidade protetor, que sinaliza e fortalece meu convênio com Ele.

E os benefícios não param só comigo. Toda uma família israelita foi abençoada quando um membro da família colocou o sangue do cordeiro na porta. Da mesma forma, quando estudo e vivo a Palavra de Sabedoria, toda a minha casa é abençoada.

Então… que “tesouros ocultos” você encontrou ao viver a Palavra de Sabedoria

Fonte: LDS Living

| Inspiração

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *