Durante minha missão fui abençoado por servir perto de muitas pessoas que tocaram minha vida de maneiras únicas. Porém, muitas dessas pessoas enfrentaram lutas emocionais, como ansiedade e depressão. Uma dessas pessoas era minha própria companheira.

Para alguns missionários, depressão e ansiedade é inédito. Mas no caso de minha companheira, ela vinha lidando com a depressão há vários anos e se comunicava muito bem comigo. Servir com ela foi realmente muito benéfico para mim em muitos aspectos. O que aprendi com ela me abençoou espiritual e emocionalmente, tanto em missão como na minha vida pós-missionária.

Embora eu tenha aprendido muito sobre saúde mental e bem-estar emocional através dessas experiências, o que mais prezo são as coisas que aprendi sobre o infinito amor de Deus por cada um de nós como Seus filhos e filhas. Quer você seja ou não um missionário e tenha ou não uma depressão ou não, acredito que essas são verdades importantes de que todos precisamos nos lembrar:

1 – Só porque o amor de Deus parece distante não significa que Ele não esteja próximo.

Às vezes, quando estamos tristes, desanimados ou deprimidos, nos sentimos distantes de Deus. É parte do ser humano e todos nós experimentamos isso em algum momento. Mas uma doença emocional pode criar uma barreira que pode bloquear nossa capacidade de sentir o Espírito.

Embora nos sintamos mais distantes de Deus durante esses desafios do que em qualquer outra época de nossas vidas, o Élder Jeffrey R. Holland testifica que é nesses momentos que Deus está mais próximo de nós. Em um post recente no Facebook , ele escreveu:

“Todos já nos sentimos sozinhos. Todos já enfrentamos adversidade. Talvez já tenhamos nos perguntado se Deus ouve nossas orações.

Posso garantir-lhes: é claro que Deus ouve nossas orações. Ele nos diz: “Estou bem aqui, onde sempre estive. Nunca vou mudar. Nunca estarei longe de ti. Nunca vou deixar-te”. Depois de aprendermos a lição, essas experiências servem para nosso bem e nosso crescimento.

Portanto, perseveramos. Não desistimos. Não dizemos: “Acho que Deus não me ama”. Dizem que Deus pode nos amar mais em alguns momentos do que em outros — que Ele está mais perto de nós em certos momentos do que em outros.

Testifico-lhes que o Salvador sentiu-Se da mesma forma e que esse foi um dos motivos pelos quais que Ele veio à Terra. Ele passou por tudo antes para que pudesse nos ajudar. Para que pudesse correr para nos socorrer.

Ele sentiu-Se sozinho. Ele sentiu-Se perseguido. Ele conheceu a pobreza. Ele conheceu a injustiça. Sua família tinha problemas, limitações e tristezas. E Ele passou por tudo isso para que pudesse nos ajudar. Ele nos chama. Ele nos ama.”

À medida que continuarmos a buscar a Deus mesmo em nossos momentos mais sombrios, Ele nos ajudará a sentir Seu amor. E em momentos em que estamos tendo dificuldade para sentir por nós mesmos porque a doença está nos impedindo, Ele nos enviará pessoas para nos ajudar e nos erguer. Às vezes sentimos mais o amor de Deus através das outras pessoas.

Um exemplo disso foi quando tivemos um dia particularmente difícil. Minha companheira e eu nos ajoelhamos ao lado de nossas respectivas camas para dizer nossas orações pessoais. Ao terminar minha oração, pude ouvir minha companheira chorando em silêncio na sala. Senti uma vontade de abraça-la, mas hesitei porque não queria interromper uma possível experiência espiritual. Quando a impressão veio de novo, eu me ajoelhei ao lado dela e coloquei meu braço ao redor de seus ombros. Ela olhou para mim com lágrimas escorrendo pelo rosto e sussurrou: “Eu estava orando para sentir os braços do Senhor ao meu redor”.

O Presidente Spencer W. Kimball ensinou :

“Deus está atento a nós e preocupa-Se conosco. Contudo, é por meio de outras pessoas que Ele costuma atender a nossas necessidades.”

Durante tempos difíceis, podemos nos voltar para outras pessoas em busca de amor e apoio quando estamos tendo dificuldade de sentir o amor de Deus por conta própria. Devemos também ter em mente que, ao seguirmos o Espírito, podemos ser os braços do Senhor para ajudar as outras pessoas a sentirem o amor Dele quando mais precisam. Quer você seja a pessoa que esteja consolando ou a pessoa rescendo consolo, provavelmente descobrirá que o amor de Deus está mais próximo do que imagina.

2 – Porque Deus nos ama, Ele quer que usemos os recursos disponíveis para nós e cuidemos de nós mesmos

O Pai Celestial não espera que superemos nossos desafios sem ajuda. Os recursos que Ele nos deu são evidências de quanto Ele nos ama. Coisas diferentes funcionam para pessoas diferentes, mas pelo que eu observei como uma companheira de missão de alguém que luta contra a depressão, a medicação e aconselhamento são essenciais.

Em sua palestra, “ Like a Broken Vessel ”, o Élder Jeffrey R. Holland disse:

“Se vocês tiverem apendicite, Deus espera que procurem uma bênção do sacerdócio e também o melhor atendimento médico disponível. O mesmo se dá com os distúrbios emocionais. Nosso Pai Celestial espera que usemos todos os maravilhosos dons que Ele concedeu nesta maravilhosa dispensação.”

Mesmo se não estivermos clinicamente deprimidos, esse princípio é continua sendo verdadeiro. O Pai Celestial quer que cuidemos de nós mesmos. Às vezes isso significa que precisamos parar e tirar uma soneca. Ou talvez precisemos comer melhor ou exercitar mais. Se nos sentimos distantes de Deus, ou se nos sentimos desencorajados ou deprimidos, há coisas que podemos fazer para ajudar a melhorar.

É mais difícil sentir o conforto do Espírito quando estamos com fome, cansados ​​ou doentes. Podemos não ser capazes de consertar tudo ou nos livramos completamente do que estamos sentindo, mas à medida que usarmos os recursos disponíveis para criar um equilíbrio saudável em nossas vidas, podemos nos colocar sentir melhor o amor de Deus.

3 – O amor de Deus não é algo que podemos ganhar ou perder.

Como missionários, pais, líderes ou apenas pessoas normais tentando viver de acordo com o que é  esperado de nós, é fácil sentir que não estamos à altura. Às vezes, podemos até acreditar que, se não fizermos o bastante, Deus nos amará menos.

Embora seja verdade que somos abençoados por guardar os mandamentos, o amor que Deus tem por nós como Seus filhos não é algo que podemos ganhar ou perder. A Sister Joy D. Jones explicou:

“Se pecamos, somos menos dignas, mas jamais passamos a valer menos. Continuamos a nos arrepender e a nos esforçar para sermos como Jesus, com nosso valor inalterado. Conforme ensinou o presidente Brigham Young: “O menor e mais inferior de todos os espíritos que vivem sobre a Terra hoje (…) vale mais que muitos mundos”. Não importa o que aconteça, sempre temos valor diante dos olhos de nosso Pai Celestial.”

Às vezes, também podemos pensar erroneamente que, para sentir o amor de Deus, precisamos ser felizes o tempo todo. Ou porque temos o evangelho, devemos ser felizes o tempo todo. Minha companheira sofria às vezes porque nós estávamos ensinando as pessoas que o evangelho as faria felizes, mas ela achava difícil sentir essa felicidade sozinha.

O que aprendemos é que não há problema em não se sentir bem. Deus não te ama menos por se sentir triste ou imperfeito. Sim, o evangelho é um evangelho de alegria, mas isso não garante felicidade o tempo todo, e isso não significa que você está fazendo algo errado se você não se sentir feliz o tempo todo. Experimentar a dor e a tristeza aqui na mortalidade é parte do plano de Deus. Ter o conhecimento do evangelho é o que pode nos dar esperança e nos ajudar nos momentos mais sombrios de nossas vidas.

O Presidente Thomas S. Monson disse :

“Minhas queridas irmãs, seu Pai Celestial as ama — ama a cada uma de vocês. Esse amor nunca muda. Não é influenciado por sua aparência, por suas posses ou pela quantia de dinheiro que vocês têm em sua conta bancária. Não muda por causa de seus talentos ou de sua capacidade. Ele simplesmente está lá. Está lá para vocês quando estiverem tristes ou felizes, desanimadas ou esperançosas. O amor de Deus está lá para vocês, quer sintam que o mereçam ou não. Ele está sempre lá, simples assim.”

Então, em vez de dizer a nós mesmos que precisamos ser mais fortes, mais felizes ou mais justos para que Deus nos ame, podemos nos lembrar de que Deus nos ama agora, assim como nós somos. Ao fazermos o melhor possível e confiar na Expiação de Jesus Cristo, podemos também encontrar esperança em saber que não precisamos continuar nessa situação. A mudança é possível e os tempos mais felizes estão à frente.

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

3 coisas para se lembrar quando o amor de Deus parece distante