O Casamento no Templo é a ordenança que une marido, mulher – e filhos (mesmo os que ainda não nasceram) para toda eternidade. É um evento que precisa acontecer no momento certo, no local apropriado e sob a autoridade correta. Não deve ser protelado. Todavia, por ser uma ocasião tão sagrada, exige preparação. Portanto, listamos 10 coisas que podem ajudar na preparação dos que desejam se unir para a eternidade na Casa do Senhor. É verdade que muito do que esta abaixo é melhor desenvolvido como casal – por isso não espere ser perfeito nelas para casar-se!

Casamento e noivado mórmon

10 COISAS

Desenvolva um Relacionamento com o Pai Celestial.

Nada é mais importante em nossas vidas do que conhecer Deus, nosso Pai Celestial e desenvolver um solido relacionamento com Ele.  Antes do casamento é importante aprender a orar e compreender “que o casamento entre homem e mulher foi ordenado por Deus e que a família é essencial ao plano do Criador para o destino eterno de Seus filhos” [1]

Desenvolva um Relacionamento com Jesus Cristo.

O Salvador disse que ninguém vai ao Pai senão por Ele. Por isso é vital para compreendermos o Pai e Seu Plano de felicidade conhecer o Salvador do mundo. Cristo, através de seus ensinamentos, exemplo de vida e seu sacrifício (que se chama Expiação) possibilitou que homem e mulher fossem “selados” para toda eternidade – ou seja, por causa do Senhor Jesus Cristo, às famílias que começam com o casamento no Templo, podem ser eternas! Para aprendermos mais sobre essas verdades precisamos estudar as escrituras e dar ouvidos aos profetas Dele.

Guarde os Mandamentos.

Os mandamentos de Deus são dados para nosso beneficio. Precisamos ser batizados e receber o dom do Espírito Santo, viver a Palavra de Sabedoria, a Lei do Dízimo, Guardar o Dia do Senhor e viver de toda Palavra que sai da boca de Deus – para que possamos ser dignos de entrar no Templo e sermos investidos do poder do alto e casados para eternidade.

Namore Bem.

O Elder Dallin H. Oaks ensinou: “Se vocês desejam casar bem, então, procurem bem. Conversas informais com uma pessoa ou troca de informações pela Internet não são suficientes como base para um casamento. Vocês precisam sair juntos e depois namorar de modo cuidadoso, zeloso e consciente. Deve haver inúmeras oportunidades de observar o comportamento do futuro cônjuge, nas mais variadas situações. Os noivos devem conhecer tudo o que for possível sobre a família da qual logo farão parte. Com tudo isso, devemos estar cônscios de que para um bom casamento não é preciso que o homem nem a mulher sejam perfeitos. É preciso apenas que esse homem e essa mulher se empenhem juntos na busca da perfeição.” [2]

Estude o Evangelho e o Plano de Salvação.

As escrituras revelam o plano de salvação – que é o plano de felicidade de Deus para nós. Quando estudamos as escrituras aprendemos sobre Deus e sobre a importância do casamento e da família. O hábito de ler e estudar diariamente as escrituras pode tornar o casamento e a família mais sólidos e felizes.

Visite o Templo.

Antes de casar-se no Templo é muito bom visitar o Templo. Se você não tiver uma recomendação ainda, pode visitar o terreno do Templo. O Elder M. Russell Ballard disse: “Se ainda não se qualificam para uma recomendação para o templo, visitem o terreno do templo. Deixem-me salientar um ponto muito importante, caso ainda não o tenham ouvido antes: Nada nos impede de visitar o terreno do templo. O Senhor quer que vocês se preparem para ser dignos de uma recomendação para o templo e para que frequentem o templo assim que puderem. Ao caminhar pelo jardim do templo, isso lhes plantará no coração o desejo de receber uma recomendação e de frequentar o templo regularmente.” [3]

Torne-se um Missionário.

Um rapaz deve fazer uma missão de tempo-integral antes de casar-se. Também há muitas moças que decidem servir como missionárias de tempo-integral. Mas caso você não tenha tido a oportunidade de servir – ou no caso das moças, tenha escolhido não partir em missão – você ainda pode tornar-se um missionário! Desenvolver a habilidade de compartilhar as crenças e cultivar o espírito missionário – será uma bênção no seu casamento.

Planeje o Dia do Casamento.

Muitos noivos e muitas noivas ficam tão ansiosos no dia do casamento que o brilho espiritual da Sessão de Selamento pode passar desapercebido. Para evitar isso o bom planejamento é essencial.

Não Perca o Foco.

Lembre-se que não há nada mais importante que casar-se com a pessoa certa, no lugar certo, sob a autoridade certa. Então se algo não sair como planejado, não se irrite ou se perturbe. Procurar ter esse foco antes do grande dia ajudará o casal a lidar com qualquer desventura.

Seja Grato.

O Presidente Thomas S. Monson disse: “Será que as posses materiais nos tornam felizes e gratos? Talvez momentaneamente. Contudo, as coisas que nos dão profunda felicidade e gratidão são aquelas que o dinheiro não pode comprar: a família, o evangelho, os bons amigos, a saúde, nossas aptidões e o amor que recebemos das pessoas a nossa volta. Infelizmente, essas são algumas das coisas às quais nem sempre damos o devido valor.” [4] O Presidente Dieter F. Uchtdorf acrescentou: “Podemos decidir ser gratos, não importa o que aconteça. Esse tipo de gratidão transcende tudo o que esteja acontecendo a nosso redor. Sobrepuja o desânimo, a frustração e o desespero. Floresce lindamente tanto na gelada paisagem de inverno quanto no agradável calor do verão. Se formos gratos a Deus em nossas circunstâncias, podemos vivenciar uma doce paz, em meio à tribulação. Mesmo na aflição, podemos elevar nosso coração em louvor. Na dor, podemos gloriar-nos na Expiação de Cristo. No frio da amarga tristeza, podemos sentir a proximidade e o calor do abraço do céu.” [5]

_______

NOTAS

[1] “A Família: Proclamação ao Mundo”

[2] OAKS, Dallin H., “Divórcio, Conferência Geral, Abril de 2007

[3] BALLARD, M. Russell, “Aquietai-vos, e Sabei que Eu Sou Deus”, Devocional do SEI para Jovens Adultos, 4 de maio de 2014, San Diego, Califórnia

[4] MONSON, Thomas S., “O Divino dom da Gratidão”, Conferência Geral, Outubro de 2010

[5] UCHTDORF, Dieter F., “Gratos em quaisquer circunstâncias”, Conferência Geral, abril de 2014