Ela é um pouco clássica,já ele é um pouco rock and roll. E eles brigam ao ritmo de uma mistura de rock com o clássico em um videogame que rendeu aos estudantes da BYU um prêmio no Concurso de Jogos Universitários da E3.

Como um dos cinco finalistas da competição, os alunos da BYU têm exibido o “Beat Boxers” – um cruzamento entre Mortal Kombat e Guitar Hero – para milhares de grandes profissionais do ramo e superfãs de jogos em Los Angeles.

“Estar entre os cinco primeiros já foi uma grande vitória, já que todos os jogos da faculdade são de alta qualidade”, disse Seth Holladay, professor de animação e conselheiro da equipe de 15 estudantes do núcleo que trabalharam no projeto. “Então, ser selecionado como o melhor grupo, fala sobre a qualidade e ética de trabalho deste grupo de estudantes.”

“Muitos de nós trabalhamos tão duro nisso e queríamos que tudo valesse a pena”, disse Jessica Runyan, formada em artes para a mídia e produtora do jogo. “Ser aceito na E3 foi como acordar na manhã de Natal com vários presentes.”

Desde que a E3 lançou sua competição anual de faculdades em 2013, apenas quatro escolas foram convidadas mais de uma vez, e a BYU já foi convidada quatro dos seis anos.

“Temos esse pequeno programa de graduação, e estamos constantemente competindo com as melhores escolas e programas de pós-graduação do país”, disse Holladay.

O projeto, facilitado pelos departamentos de design e ciência da computação, é um projeto fundamental no Centro de Animação da BYU. Mas Holladay atribui o sucesso contínuo da BYU ao conhecimento, comprometimento e colaboração das artes gráficas de ilustração, animação, ciência da computação, teatro, mídia e música envolvidas em seus projetos: “Se eles são apaixonados e têm talento, nós os deixamos entrar.”

No jogo de luta 2D deste ano, o personagem Maestra, inspirado na música clássica, e o Riff, inspirado no rock, estão à frente de centenas de espectadores do estádio. Quanto mais próximos estiverem os movimentos com a batida da música, mais amor eles receberão do público (e mais provavelmente eles vencerão).

Conceito bastante simples? Não é assim, disse Mike Towne, chefe de designer do jogo e graduado em ciência da computação. Towne chamou Beat Boxers de  “o jogo mais ambicioso que o departamento já fez antes. Precisávamos de dois personagens totalmente desenhados, manipulados e animados, cada um com dezenas de animações únicas. ”

Além disso, a equipe teve que “combinar seu jogo de ritmo musical e seu tradicional jogo de luta de forma intuitiva e coesa”, disse Runyan. “Trabalhamos durante meses tentando descobrir a melhor abordagem antes de finalmente encontrarmos algo que realmente funcionasse de uma maneira que fizesse sentido.”

Depois de um ano de concepção, design, codificação e iteração – ajudados pela ocasional festa de programação e pizza – a equipe está celebrando seu sucesso na E3, onde o vencedor do Concurso de Jogos Universitários acabou de ser anunciado.

“Foi uma ideia divertida, mas sabíamos que seria difícil”, disse Holladay. “Nós deixamos os alunos fracassarem: eles falham cem vezes antes de se unirem em um consenso. Se os alunos não têm medo de perseguir um desafio, eles fazem coisas que são mais bem-sucedidas no final. ”

Traduzido do Inglês: BYU

Relacionado:

Mórmons criam jogo MOBA online e lançam no Steam