fbpx

A Lista dos Músicos Mórmons da Billboard

Por Jamie ArmstrongJake Healey

Somente os melhores artistas da música chegam às paradas da Billboard. Confira os mórmons que chegaram lá!

Hilary Weeks

Artista mórmon Hilary Weeks

Imagem via DeseretNews.com.

Hilary Weeks fez história na Billboard em 2011 quando se tornou a primeira Mórmon a chegar no top 10 de álbuns cristãos da Billboard com seu álbum Every Step.  Dois anos mais tarde, seu álbum Say Love estreou em 9º nas paradas da Billboard no segmento de músicas Cristãs Contemporâneas.

Hilary disse sobre estas realizações, “Chegar ao top 10 nas paradas cristãs da Billboard pela segunda vez é uma surpresa emocionante! Para mim, a palavra mais importante na frase anterior é ‘cristã’. Foi somente nos dois últimos anos que eu pude dizer que cheguei na Billboard, mas eu sempre fui capaz de declarar que sou uma cristã”.

Veja este comovente vídeo de sua canção “Beautiful Heartbreak” de seu álbum Every Step, que apareceu em cinco paradas da Billboard, incluindo o 1 º lugar na parada “Top New Artists Indie” (Melhores Novos Artistas Indies) e em 6º na parada “Top Current Contemporary Christian” Top Músicas Cristãs Contemporâneas):

GENTRI

Artista mórmon GENTRI

Imagem via Shadow Mountain Records.

Este trio de cavalheiros de Utah – os tenores Casey Elliott, Brad Robins e Bradley Quinn Lever – se conheceram enquanto se apresentavam na produção de Os Miseráveis (Les Miserables). Seu EP de estréia auto-intitulado, GENTRI passou 10 semanas consecutivas no top 10 em duas paradas diferentes, incluindo três semanas em 2º em ambos as paradas “clássicos” e “corssover classico”.

O seu álbum de Natal, Merry Christmas, também fez uma grande entrada quando seu mashup único e impressionante de “What Child Is This?” com “I Wonder as I Wander” deu ao GENTRI o 1 º lugar na parada “Hot Single” da Billboard. Confira a apresentação do mashup aqui:

Bônus: novo álbum completo do GENTRI, Rise, acaba de ser lançado. O álbum apresenta seus famosos vocais e o pop cinematográfico apoiado por uma orquestra, com oito canções originais e dois covers. Sua abordagem carismática com a música chega através de uma elaboração cuidadosa de canções que realmente levam o ouvinte em uma viagem, a partir de faixas emocionantes como “Outbrake” (Surto) e “In a Blaze” (Em Chamas) até canções de amor como “More” e “Nothing But You”. Seu cover de “And So It Goes”, de Billy Joel, é um som comovente de introspecção, e seu arranjo inesquecível de “The Rose” mostra a canção atemporal com uma mensagem universal de amor e esperança.

The Piano Guys

Artista mórmon The Piano Guys

Imagem via LDSLiving.com.

Quem consegue obter milhões de visualizações por dia no YouTube tocando música clássica com um piano e um violoncelo? Steven Sharp Nelson, John Schmidt, Al Van der Beek e Paul Anderson, quatro pais mórmons pais também conhecidos como The Piano Guys. Famosos por seus mashups de músicas clássicas e pop, seus vídeos também apresentam uma qualidade cinematográfica de tirar o fôlego. Seus primeiros quatro álbuns,  The Piano GuysThe Piano Guys 2A Family Christmas, e Wonders alcançaram a 1ª posição nas paradas “New Age Albums” (Álbuns da Nova Era) and “Classical Albums” (Álbuns Clássicos).

A equipe do Piano Guys, que se chamam “irmãos no evangelho,” têm viajado o mundo todo para compartilhar seus dons. Eles recentemente se apresentaram no prestigioso Carnegie Hall, uma experiência que eles descreveram como “intimidadora, mas que traz humildade, inspiração, algo inacreditável e inesquecível”.

“É uma sensação incrível sonhar em fazer algo tão ‘lá fora’. Trabalhar então duro por isso e contar com o Pai Celestial faz a diferença”, diz Paul Anderson. “Ele tem respondido tantas orações. Devemos tudo a Ele. Consideramo-nos sortudos e abençoados por estarmos juntos nessa jornada! ”

Confira seu mashup surpreendente de “Amazing Grace” e “This Is My Fight Song”:

Os Osmonds

Artista mórmon The Osmonds

Imagem via LDSLiving.com.

Os Osmonds iniciaram na área do entretenimento no final dos anos 1950, quando Alan, Merrill, Jay, e Wayne começaram a cantar localmente como um quarteto. Alguns anos mais tarde, eles foram convidados para se apresentar na Disney.

Depois que o pai de Andy Williams os assistiu em um especial da Disney na televisão, ele disse a seu filho, o apresentador do programa de variedade popular chamado The Andy Williams Show, para marcar uma apresentação. Os irmãos Osmond apareceram regularmente no programa ao longo dos anos 60, com o irmão mais novo Donny juntando-se ao grupo aos 6 anos de idade. Quando Donny Osmond era adolescente, ele se tornou um galã mundialmente conhecido e uma das estrelas mais populares e bem sucedidas na história da música pop.

Durante os anos 70, os Osmonds mudaram da música pop para o rock-and-roll, tocando para multidões de fãs. Em 1971, os irmãos Osmond ganharam seu primeiro hit número 1 com “One Bad Apple“. Donny lançou o primeiro single solo, “Sweet and Innocent“, lançado em 1971 e subiu para o 7º lugar nas paradas pop da Billboard. O follow-up, “Go Away, Little Girl“, percorreu todo o caminho para o 1º lugar. Com sua própria música e as gravações dos irmãos Osmond, ele foi premiado com seis discos de ouro naquele ano. No ano seguinte, ele levou para casa oito, e outros quatro em 1973. Marie também começou a construir uma carreira solo de sucesso. Com apenas 13 anos, ela atingiu o topo da parada de música country com “Paper Roses” em 1973, e continuou a ter vários hits da Billboard ao longo dos anos 70 e 80.

A carreira musical de Donny reavivou quando “Soldier of Love“, de seu álbum com o mesmo nome, alcançou o 2º lugar na Billboard Hot 100 em 1989. No total, ele teve 18 álbuns e 32 canções que alcançaram as paradas da Billboard.

Donny e Marie lançaram recentemente Donny & Marie. Donny também lançou The Entertainer em 2010 e The Soundtrack of My Life em 2015, o seu 60º álbum, que serve como um resumo de sua vida extraordinária até agora. Cada música do álbum conta uma história, falando de partes de sua vida profissional e pessoal, dos altos e baixos, desde seu tempo como uma estrela infantil até o ponto de conseguir várias hits número 1 e vender mais de 100 milhões de discos.

Kaskade

Artista mórmon DJ Kaskade

Imagem via LDSLiving.com.

A maioria das pessoas ficam surpresas ao saber que um dos DJs hoje de maior sucesso e mais procurados é mórmon.

Ryan Raddon, também conhecido como Kaskade, é provavelmente o fenômeno da música mais quente que você ouviu falar. Em 2011, o New York Times declarou o indicado ao Grammy DJ e produtor musical como a “nova cara da música eletrônica de dança”. Este membro fiel da Igreja e pai de três filhos se casou com sua esposa, Naomi, depois de cumprir sua missão no Japão. Kaskade enche estádios em todo o mundo e recebe um salário de mais de US$ 200.000 por noite. (Sim, você leu certo.)

Ele teve cinco músicas que alcançaram o “Hot Dance Airplay” da Billboard, incluindo seus hits número 1 “Move for Me” e “I Remember”.

Coro do Tabernáculo Mórmon

Coro do Tabernáculo Mórmon

Imagem via mormonnewsroom.org.

Estamos acostumados a ouvi-los cantar na conferência geral, mas você sabia que o Coro do Tabernáculo Mórmon faz aparições regulares nas paradas da Billboard?

O coro, que começou a gravar em 1910, chegou às paradas da Billboard em 1959 com a sua interpretação de “Battle Hymn of the Republic” (Hino da Batalha da República), que subiu todo o caminho para 13º no “The Hot 100“. Desde então, eles tiveram 10 álbuns que alcançaram o número 1 em uma ou mais de uma categoria: “Classical”, “Classical Crossover” e “Christian”,incluindo “This Is the Christ”, “Glory! Music of Rejoicing”, “Heavensong: Music of Contemplation and Light” e “He Is Risen”.

Bônus:

Você sabia que o Coro do Tabernáculo Mórmon também gravou vários hits número 1  de músicas populares de outros artistas, incluindo Josh Groban “You Raise Me Up” e “Lullabye  (Boa noite, meu anjo)”, de Billy Joel (ambos encontrados em “Men of the Mormon Tabernacle Choir”) , bem como “Happy” de Pharrell Williams e “What a Wonderful World”, de Louis Armstrong.

Jenny Oaks Baker

Artista mórmon Jenny Oaks Baker

Imagem via Shadow Mountain Records.

A filha do apóstolo Dallin H. Oaks, Jenny Oaks Baker, é uma das violinistas mais bem sucedidas do mundo. Ela lançou álbuns com músicas de toda variedade, desde músicas da Disney para rock clássico, e muitas delas acabaram na Billboard, incluindo seu álbum de 2010 “Then Sings My Soul”, seu álbum de 2012″Noël: Carols of Christmas Past” e seu álbum de 2014 “Classic: The Rock Album”.

Seu 10º álbum, “Wish Upon a Star: Um tributo à música de Walt Disney”, foi nomeado para a categoria Melhor Álbum Instrumental Pop do Grammy. O álbum é uma compilação de clássicos da Disney como “God Help the Outcasts” and “Beauty and the Beast”, arranjas do compositor vencedor do Emmy Kurt Bestor.

Classic: O Álbum de Rock apresenta clássicos favoritos de rock como “Stairway to Heaven” (Led Zeppelin), “Sweet Child of Mine” (Guns and Roses), e “Yesterday” (The Beatles). Seu próximo álbum, Awakening, será lançado no final de abril.

Falando sobre sua música com o LDSLiving, ela disse: “Quando eu apresento música que eleva e edifica, sinto o Espírito muito forte. Espero que as pessoas que ouvem a minha música possam sentir este espírito e recebam paz, conforto e alegria. Espero que a minha música possa tocar corações e ajudar as pessoas a sentirem o amor do Senhor. O que mais gosto de ouvir do público como artista não é o aplauso – são as lágrimas”.

Jenny apresentou como a primeira violinista da Orquestra Sinfônica Nacional por sete anos antes de renunciar em 2007 para dedicar mais tempo à sua família. Jenny e seu marido têm quatro filhos e residem em Utah.

David Archuleta

Artista mórmon David Archuleta

Imagem via LDSLiving.com.

Depois de alcançar o segundo lugar por pouco na sétima temporada de American Idol, o primeiro single de David Archuleta “Crush” chegou em 2º lugar nas parada do “Hot 100” e vendeu cerca de 2 milhões de cópias. Seu álbum de estréia auto-intitulado também estreou em 2º na parada “Billboard 200”. Seu álbum de 2010, The Other Side of Down, alcançou a 13ª posição na parada da “Billboard 200”, e seu álbum de 2012, BEGIN, alcançou a 28ª posição.

Em 2012, Archuleta deixou a carreira musical em um hiato de dois anos para servir como missionário no Chile. (No DVD David Archuleta: Called to Serve, você pode ver a estrela pop fazendo proselitismo nas ruas de Chile, bem como ouvir o porque dele decidir servir uma missão e como sua fé orienta todas as decisões na sua vida.)

Depois que voltou da missão, Archuleta gravou “Glorious” para o documentário de 2014 Meet The Mormons (Conheça os Mórmons). Você pode conferir a música abaixo:

Gladys Knight

Artista mórmon Gladys Knight

Imagem via LDSLiving.com.

A carreira musical épica de Gladys Knight se estende por mais de seis décadas. Na verdade, ao longo dos anos, ela teve 28 álbuns e 35 canções chegando às paradas da Billboard.

Gladys começou a cantar aos 4 anos de idade, e com apenas 7 anos de idade sentiu o gosto da fama quando ganhou um concurso num programa de TV concurso da Ted Mack’s Original Amateur Hour TV em 1952. No ano seguinte, ela, sua irmã Brenda, seu irmão Emerald e os primos Eleanor e William Guest formaram um grupo musical chamado The Pips – nome baseado em seu primo, James Woods “Pip”.

Após algumas mudanças na membros da banda, Gladys Knight & The Pips eventualmente lançaram singles de sucesso, incluindo “I Heard It Through the Grapevine”, “Friendship Train”, “I Don’t Want to Do Wrong”, o vencedor do Grammy “Midnight Train to Georgia”, como também “I’ve Got to Use My Imagination” e “You’re the Best Thing That Ever Happened to Me”. O grupo foi amigavelmente dissolvido em 1989 com os Pips se aposentando e Gladys embarcando em uma carreira solo de sucesso. (Eles foram introduzidos no Hall da fama do rock & roll em 1996)

Em 1991, Gladys lançou uma música solo de sucesso, Good Woman, que atingiu o 1º lugar na parada de “R&B Album” e atingiu o 2º lugar no “R&B Men”. Ela também ganhou quatro prêmios Grammy.

Gladys entrou para a Igreja em 1997. Seu desejo de acrescentar “uma coisinha” a música da Igreja, eventualmente, a inspirou a criar um voluntário coro SUD multicultural que traria um novo nível de energia e consciência cultural de hinos tradicionais. O coro, chamado Saints Unified Voices, é composto por mais de 100 pessoas e tem dois propósitos. Em primeiro lugar, eles pretendem espalhar a mensagem do evangelho restaurado de Jesus Cristo, oferecendo uma oportunidade para pessoas que de outra forma não seriam introduzidas a uma capela SUD para sentir o Espírito. Em segundo lugar, eles desejam ajudar os membros da Igreja a abraçarem a diversidade cultural de pessoas em todo o mundo que vêm para o reino do Senhor. “Nunca em um milhão de anos eu sonhei que eu seria a diretora de um coro como este, um que mostra a energia, o fogo e o coração da música da nossa cultura”, disse ela ao LDSLiving. Gladys Knight & Saints Unified Voices ganharam um Grammy em 2005 por seu álbum One Voice.

Em 2014, Knight completou um novo álbum solo, intitulado Where My Heart Belongs –  a mix de músicas gospel e canções inspiradoras. “Este é o meu testemunho”, diz ela do álbum. “Eu queria lembrar as pessoas de Cristo e do que Ele tem feito por nós. Precisamos ser lembrados o tempo todo de Sua graça, Sua misericórdia, Seu amor, e o caminho de volta para casa”.

Paul Cardall

Artista mórmon Paul Cardall

Imagem via Salt Lake Tribune

Quando Paulo Cardall nasceu em 1973, os médicos só lhe deram poucos dias de vida.

“Quando eu nasci, os médicos disseram que eu tinha metade de um coração”, disse eleao LDS Living. “E, essencialmente, eles estavam certos”.

Cardall, que nasceu com um defeito congênito (CHD), diz que os médicos não sabiam se ele tinha muito tempo de vida. Em seu pequeno coração faltava a válvula tricúspide (uma condição chamada atresia tricúspide), uma passagem vital que leva o sangue do átrio direito para o ventrículo direito. Sem ele, o coração não consegue adequadamente oxigenar o sangue para o resto do corpo. Cardall sobreviveu, pois quando tinha 22 horas de idade, os médicos realizaram uma cirurgia de coração aberto que lhe permitiu viver.

“Eu sabia que meu coração tinha problemas, e isso sempre esteve em minha mente”, diz ele. “Mas meus pais utilizaram isso como uma ferramenta de ensino. Eu sempre obtive as bênçãos do sacerdócio antes dos tratamentos, e chegamos a ver essa condição como uma bênção que Deus nos deu”.

Cardall recebeu um transplante de coração em setembro de 2009. Agora, com quase 43 anos, Cardall é um compositor de grande sucesso e pianista que teve sete álbuns de sucesso no “Top New Age Albums” da Billboard, com Sacred Piano atingindo o 5º lugar e New Life e 40 Hymns for Forty Days alcançando o 1º lugar. Seus álbuns também apareceram nas paradas “Top Christian Albums”, “Top Independent Albums” e “Top Heatseekers”.

Brandon Flowers (of The Killers)

Artista mórmon Brandon Flowers - The Killers

Imagem via Pigeons and Planes.

Formado no início de 2000, The Killers já atingiram as paradas da Billboard dezenas de vezes.

Seu álbum de estréia de 2004, Hot Fuss, alcançou a 7ª posição na parada “Billboard 200” e produziu vários singles de sucesso, incluindo “Mr. Brightside” e “Somebody Told Me”, ambos os quais atingiu o 3º lugar na parada “Alternative Songs”. O álbum e os seus três primeiros singles passaram a receber cinco indicações ao Grammy. Os três álbuns seguintes da banda estrearam dentro do top 10 na parada “Billboard 200”, Sawdust, Day & Age Battleborn dominando o topo da parada “Alternative Albums”.

O vocalista e SUD Brandon Flowers também goza de uma bem sucedida carreira solo. Seu álbum de estréia, Flamingo, alcançou a 3ª posição na parada “Alternative Albums”, e seu single “Crossfire” alcançou a 6ª posição na parada “Alternative Songs”. Seu segundo álbum solo, The Desired Effect, também atingiu a 3ª posição na parada “Alternative Albums”.

Lindsey Stirling

Artista mórmon Lindsey Stirling e paradas da billboard

Imagem via Mormon Music.

Os juízes do América Got Talent não acreditaram nela, mas Lindsey Stirling provou que eles estavam errados, reinventando o mundo da música com sua música de violino no estilo rock e eclético. Ao combinar suas duas grandes paixões- dança e violino – numa apresentação arrojada, Stirling ganhou fãs de todas as idades, acumulando mais de 10 milhões de fãs nas mídias sociais, gravando dois álbuns completos, lançando vários hits com bilhões de visualizações no YouTube, e realizando turnês locais esgotadas no mundo todo.

Ambos seu álbum de estréia auto-intitulado e seu álbum de 2014, Shatter Me, atingiram o 1º lugar nas paradas “Classical Albums” e “Top Dance/Electronic Albums”. Sua autobiografia, The Only Pirate at the Party (O Único Pirata na Festa) foi lançado no mês passado, atingindo o 10º lugar na lista do New York Times Best Seller de livros não-ficção de capa dura.

Ao longo de sua jornada para a fama, Stirling tem feito o seu melhor para ficar perto do evangelho.
“Eu tive que dizer não a várias oportunidades de colaboração com artistas de grande nome, porque suas canções ou os seus vídeos eram muito vulgares “, disse ela ao LDSLiving. Mas Stirling não se arrepende dessas decisões difíceis, porque ela sabe que isso a têm mantido perto do Senhor quando teria sido fácil se afastar.

“Eu tento guardar os mandamentos”, diz ela. “Eu me esforço para ir à igreja, mesmo quando estou na estrada ou em turnê. Eu não sou perfeita, mas eu realmente tento. Eu vivo digna de uma recomendação para o templo, e eu me esforço para manter o evangelho como uma base para a minha vida”.

Dan Truman (of Diamond Rio)

Artista mórmon Dan Truman - Diamond Rio

Imagem via CMT.

Fundada em 1982, Diamond Rio é uma banda de música country lendária que chegou nas paradas da Billboard muitas vezes. Dan Truman (terceiro da direita), o tecladista da banda, é um fiel santo dos últimos dias.

Ao longo dos anos, Diamond Rio teve 12 álbuns alcançando a parada “Top Country Albums”. Seus álbuns foram classificados em várias paradas da Billboard adicionais, incluindo “Top Christian Albums”, “Adult Contemporary”, e “Holiday Albums”. A banda obteve várias músicas no 1º lugar, incluindo “I Believe”, “Beautiful Mess”, “One More Day”, “How Your Love Makes Me Feel” e seu segundo single “Meet in the Middle”.

Diamond Rio recebeu o prêmio Academy of Country Music pelo Top Vocal Group em 1991 e 1992. Eles receberam também em 1992, 1993, 1994 e 1997 o prêmio Country Music Association pelo Vocal Group of the Year (Grupo Vocal do Ano) (um prêmio para o qual ele já receberam 15 indicações no total, mais do que qualquer outro grupo de música country). Além disso, eles receberam 13 indicações ao Grammy, ganhando seu primeiro prêmio Grammy em 2011 de Best Southern, Country or Bluegrass Gospel Album pelo álbum The Reason.

De sua experiência como o único Mórmon na banda, Truman disse ao LDSLiving, “Eu fui abençoado por tocar com essa banda por 20 anos. Cada um dos rapazes do Diamond Rio é um bom homem de família. A maior vantagem para mim é que todos eles têm estilos de vida parecidos com os meus”.

Jason Deere

Artista mórmon Jason Deere

Imagem via Nashville Tribute Band.

Embora tenha sido oferecido a ele a oportunidade de se tornar uma estrela da gravadora, Jason Deere escolheu permanecer nos bastidores escrevendo e produzindo canções de sucesso e desenvolvendo artistas.

O trabalho de Deere apareceu em várias paradas da Billboard através de artistas como Lady Antebellum, SHeDaisy, LeAnn Rimes e Tammy Cochran. Ele desfrutou de um novo nível de sucesso em 1999, quando o primeiro trabalho que ele participou amplamente, com SHeDAISY, assinou contrato com a Lyric Street Records da Disney. Ele co-escreveu cinco músicas em seu álbum de estreia de platina dupla, The Whole SHeBANG, incluindo três músicas do top 10.

Nos últimos anos, Deere produziu gravações com Marie Osmond, Olivia Newton-John, Diamond Rio, Alex Boyé, John Cowan, SHeDAISY, Nathan Pacheco, David Archuleta, Katherine Nelson, e o vencedor do American Idol Taylor Hicks. Ele também tem colaborado em projectos de escrita e gravação com Katy Perry, Due West, Ryan Shupe & The Rubberband e Little Big Town.

Nashville Tribute Band

Artista mórmon Nashville Tribute Band

Imagem via Nashville Tribute Band.

O Nashville Tribute Band é um grupo de músicos SUD, fundada pelo compositor e produtor de Nashville Jason Deere e por Dan Truman, o tecladista do grupo de música country icônico Diamond Rio. Apoiado por um elenco de apoio rotativo de compositores e artistas SUD, o Nashville Tribute Band combina seu som country único com música edificante para criar uma experiência poderosa e espiritual para aqueles que não teriam tal experiência de outra forma.

“Música caipira Mórmon supostamente não funciona”, riu Deere. “Não é para todos, mas ele toca algumas pessoas que ninguém mais consegue tocar”.

O Tributo Banda Nashville já lançou quatro álbuns:

  • Joseph: A Nashville Tribute to the Prophet (2005)
  • Trek: A Nashville Tribute to the Pioneers (2007)
  • The Work: A Nashville Tribute to Missionaries (2011)
  • Redeemer: A Nashville Tribute to Jesus Christ (2014)

A banda ganhou seu primeiro lugar nas paradas da Billboard com Redeemer: A Nashville Tribute to Jesus Christ, que atingiu o 10º lugar na primeira semana de seu lançamento. Ele também alcançou a 22ª posição na parada “Independent Albums”.

O álbum é diferente de projetos anteriores, porque ele é destinado a um público mais amplo, o público cristão, e serve como uma plataforma para os mórmons e outros artistas cristãos se unirem no testemunho da divindade do Salvador. “Além de artistas SUD convidados como David Archuleta, SHeDAISY,e Alex Boyé, há muitos artistas convidados nesse disco que não são mórmons”, disse Deere ao LDSLiving. “Por exemplo, eu chamei John Cowan, que é reverenciado como um dos maiores cantores de todos os tempos, e lhe disse: ‘Ei, nós estamos trabalhando em um registro sobre Cristo, mas ele está sendo feito por um grupo de mórmons”. Ele disse, ‘Eu não me importo. Eu vou participar isso'”.

Cada canção foi escrita a partir das diferentes perspectivas daqueles que andaram e falaram com Cristo em todo o seu ministério mortal. Algumas dessas perspectivas incluem os de João Batista, o Apóstolo Pedro, um homem cego na estrada, uma mulher que lavou os pés de Jesus com suas lágrimas, assim como outros indivíduos que Cristo encontrou em sua vida.

Desde a sua criação, o Nashville Tribute Band já realizou mais de 1.000 shows nos Estados Unidos, Canadá, Austrália e China. “Isto é o que podemos fazer pelos outros”, diz Deere. “Todos nós gostamos de servir como membros da Igreja”.

Neon Trees

Artista mórmon Neon Trees

Imagem via Rolling Stone.

Todos os quatro membros da banda energética são missionários retornados. Eles ganharam atenção nacional em 2008, quando realizaram a abertura para a banda de rock alternativo The Killers, e logo depois eles entraram no topo da parada “Alternative Songs” com seu hit de 2010 “Animal”.

Seu primeiro álbum, Habits, atingiu o 15º lugar na parada “Alternative Albums”. Seu segundo álbum, Picture Show, subiu para o 5º lugar, e seu álbum mais recente, Pop Psychology atingiu o 1º lugar. O single “Everybody Talks” também alcançou o topo da parada “Adult Pop Songs”.

Drummer Elaine Bradley filmado um vídeo de “eu sou um mórmon” para a Igreja, e você pode ouvi-la cantar no álbum Hold On: A Modern Tribute to the Music of Michael McLean. O vocalista Glenn Tyler revelou que era gay durante uma entrevista de 2014 para a Rolling Stone, mas mantém laços com sua fé mórmon. No último outono, ele até falou para uma multidão de LGBT mórmons e cantaram hinos, incluindo uma poderosa apresentação de “Onde Encontrar a Paz”, que você pode assistir abaixo.

Dan Reynolds e Wayne Sermon (of Imagine Dragons)

Artista mórmon Dan Reynolds e Wayne Sermon - Imagine Dragons

Imagem via vegasmagazine.com.

A banda de rock Imagine Dragons apresenta o vocalista Dan Reynolds (segundo da esquerda) e o guitarrista Wayne Sermão (segundo da direita).

A banda de Las Vegas ganhou exposição após o lançamento de seu primeiro single, “It’s Time”, e seu primeiro álbum de estúdio, Night Visions, de 2012, que atingiu o 1º lugar na parada de “Alternative Albums”. O segundo álbum de estúdio da banda, Smoke + Mirrors, também liderou a parada. Billboard os nomeou como a Banda Revelação de 2013, e Rolling Stone nomeou seu single “Radioactive” como o maior hit de rock do ano. A canção também quebrou recordes da Billboard por permanecer espantosas 87 semanas na Billboard Hot 100.

Imagine Dragons ganhou dois American Music Awards para Melhor Artista Alternativo, um Grammy de Melhor Performance de Rock, cinco Billboard Music Awards, e um World Music Award. Em maio de 2014, a banda foi nomeada para um total de 14 diferentes Billboard Music Awards, incluindo Top Artista do Ano e um prêmio Milestone.

Tony Martin

Artista mórmon Tony Martin

Imagem via LDSLiving.com.

Membro da igreja, Tony Martin era um repórter em um jornal de Chicago, quando sua carreira de escritor de músicas decolou no final dos anos 80. A estrela da música country George Strait gravou uma música número 1 escrita por Martin, “Baby’s Gotten Good at Goodbye”, e logo depois Martin fez as malas e se mudou para Nashville.

“Meu hobby estava pagando melhor do que o meu trabalho”, disse ele ao LDSLiving. “Mas quando você aparece em Nashville com o seu saco de canções, é como abrir uma loja em uma cidade – ninguém sabe que o negócio está aberto, e você não tem um monte de produtos”.

No entanto, Martin não teve muitos problemas vendendo seu “saco de canções”. Na verdade, ele é um dos compositores mais bem sucedidos em Nashville. Suas músicas foram gravadas por estrelas como Rascal Flats, Keith Urban e Tim McGraw, e ele tem 15 hits número 1 em seu currículo. Entre suas composições no topo das paradas estão “Just to See You Smile” por Tim McGraw – eleito pela Billboard como a música country mais tocada em 1997 e “You Look Good in My Shirt” por Keith Urban.

Em todo o seu sucesso Martin continuou dedicado ao evangelho, e isso se reflete em suas canções.

“Os assuntos da música country podem ser sobre algumas dessas coisas que não acredito, e podem ser coisas exaltadas pelas pessoas”, ele disse. “Canções sobre bebida, por exemplo, pode ser um tipo de música atraente. Mesmo que isso seja popular, eu não vou escrever essas músicas”.

Josh Wright

Artista mórmon Josh Wright

Imagem via Josh Wright Piano.

Em 2014, o pianista Josh Wright cativou a nação no América Got Talent, mas essa não foi sua única reivindicação da fama. O álbum do pianista auto-intitulado de 2011 subiu nas paradas da Billboard, desembarcando na primeira posição da parada “Classical Traditional”.

Wright desde então lançou My Favorite Things, que atingiu o 13º lugar na parada “Classical Albums” e Meditation, uma colaboração com sua esposa em 2015.

Wright recebeu um Doutorado em Artes Musicais pela Universidade de Michigan e um Mestrado em Música e um Bacharel em Música pela Universidade de Utah. Ele é casado com Dr. Lindsey Wright, que ganhou seu doutorado em Artes Musicais pela Universidade de Utah.

Assista abaixo Josh Wright tocando uma música de My Favorite Things num piano “explosivo”!

SheDaisy

Artista mórmon SheDaisy

Imagem cortesia de SheDaisy.

Shedaisy, composta por três irmãs mórmons – Kristyn, Kelsi e Kassidy Osborn, se mudaram de Utah para Nashville para perseguir seus sonhos de estrelato – chegaram com tudo no cenário da música country na década de 1990. Eles tiveram cinco álbuns que chegaram no top 10 da parada “Top Country Albums”, e com 15 singles chegando na parada “Hot Country Songs”. Seus sucessos incluem “Little Good-Byes”, “This Woman Needs”, “I Will… But” e “Don’t Worry ’bout a Thing”.

O álbum de estreia, The Whole SHeBANG, ganhou um disco de platina duplo. A banda já realizou tours com artistas como Alabama, Dolly Parton e Brad Paisley e também se apresentou para três presidentes dos EUA. Elas ganharam ou foram indicadas para vários prêmios, ganhando o Prêmio CMT Video Rising Star e o Prêmio Billboard Music Video pelo Melhor Clipe de Artista Novo (para “Little Good-Byes”) em 1999. Naquele ano, elas também ganharam uma indicação ao Grammy por País Grupo Vocal. Eles também foram nomeados para os prêmios Best Country Duo ou Group at the American Music de 2004.

“Nós encontramos algumas pessoas que se juntaram a Igreja através da nossa música”, disse Kelsi (Osborn) Simpson ao LDSLiving. “Essa é a maior recompensa para o que fazemos. É uma forma de trabalho missionário – sempre foi para mim”.

Due West

Artista mórmon Due West

Imagem via LDSLiving.com.

Todos os três membros – Matt Lopez, Tim Gates e Brad Hull – do popular trio country  Due West são SUD. Eles chegaram nas paradas “Country Airplay” e “Hot Country Songs” com seu single “Things You Can’t Do in a Car”. Seu álbum de 2013, Move Like That, também alcançou a 38ª posição na parada “Country Albums”.

Alcançar o sucesso como uma banda de música country nem sempre é fácil, mas os membros da Due West fazem o seu melhor para ficar em sintonia com o que realmente importa. “Estar longe da família tem sido o maior desafio”, disse Tim Gates ao LDSLiving. “Nós ainda tentamos manter as coisas importantes: a oração familiar, a noite familiar e ser apenas uma unidade familiar. Eu tive que ser criativo, usando a internet e o FaceTime para ficar conectado e ter certeza que estou ligando todas as noites para fazer uma oração familiar”.

Gates diz que os membros da Due West também trazer suas roupas do templo durante a turnê, para que possam ir ao templo sempre que surgir uma chance, e sua fé comum ajuda a fortalecer um ao outro.

Dallon Weeks (do Panic! At the Disco)

Artista mórmon Dallon Weeks - Panic! at the Disco

Imagem via Wikipedia.

Dallon Weeks é o baixista, tecladista e backing vocal da banda rock Panic! at the Disco. Ele serviu uma missão em Oklahoma.

Seu álbum de estréia de 2005 de estréia, A Fever You Can’t Sweat Out, alcançou a 13ª posição na parada da “Billboard 200” e já vendeu mais de 2,2 milhões de cópias. Todos os quatro álbuns posteriores da banda dispararam na parada “Alternative Albums”. Seu segundo álbum, Pretty. Odd., Foi lançado em 2008 e atingiu o primeiro lugar. Seu terceiro álbum, Vices & Virtues, atingiu o 2º lugar, e seu quarto álbum de 2013 , Too Weird to Live, Too Rare to Die!, atingiu o 1º lugar. O novo álbum da banda, Death of a Bachelor, foi lançado em janeiro e já atingiu o 1º lugar.

A banda teve várias canções que atingiram o top 10 nas paradas “Rock” e “Alternatives”, incluindo “Victorious” de seu mais recente álbum.

Ryan Shupe and the Rubberband

Artista mórmon Ryan Shupe and the Rubberband

Imagem via shupe.net.

Esta banda de bluegrass (música country influenciada pelo blues e jazz) é composta por cinco homens mórmons de Utah. Seus membros incluem Ryan Shupe (violino, guitarra, ukulele, bandolim, vocal), Roger Archibald (guitarra, vocais), Ryan Tilby (baixo, baixo de corda, banjo, vocal), Craig Miner (banjo, bouzouki, bandolim, guitarra, vocais) e Nate Smeding (bateria).

Depois de se tornarem favoritos regionais, eles assinaram um contrato com a Capitol Records e lançaram um álbum em 2005 chamado de Dream Big, atingindo o 13º lugar na parada de “Country Music”. Seu single de mesmo nome alcançou o 27º tanto na parada “Hot Country Songs” como na parada “Country Airplay”.

Eles já lançaram Last Man Standing, Brand New Shoes e Ryan Shupe and the Rubberband: Live. Eles estão planejando lançar seu novo álbum, We Rode On, em 2016.

Scot Alexander (de Dishwalla)

Artista mórmon Scot Alexander - Dishwalla

Imagem via MTV.com.

O baixista Scot Alexander (segundo da direita) entrou para a Igreja quando tinha 19 anos. Logo depois, em 1991, ele conheceu John Robert Richards enquanto navega em uma loja de discos. Os dois descobriram que tinham o mesmo gosto na música, e juntos formaram a banda alternativa Dishwalla.

Cinco de suas canções atingiram as paradas da Billboard. Em 1996, “Counting Blue Cars” alcançou a 5ª posição em ambas as paradas “Adult Top 40” e “Hot 100 Airplay”, 4º lugar na parada do “Top 40 Mainstream”, 2º lugar na parada “Mainstream Rock”, e 1º lugar na parada “Modern Rock”. Naquele ano, a canção também deu à banda o prêmio “Best Rock Song” da Billboard. Seus outros singles da Billboard incluem “Charlie Brown’s Parents”, “Give”, “Once in a While” e “Somewhere in the Middle”.

As músicas do grupo Dishwalla também se destacaram em vários filmes, tais como Blast from the Past e Empire Records, bem como programas de TV como Charmed, Smallville, The OC and NCIS.

Christian Jacobs e Chad Larson (de The Aquabats)

Artista mórmon Christian Jacobs e Chad Larson - The Aquabats

Imagem via ticketmaster.com.

Dois membros fundadores da banda de rock da Califórnia, The Aquabats, são membros da Igreja – Christian Jacobs e Chad Larson.

Originalmente formada em 1994, esta banda única é facilmente identificável por suas máscaras, trajes e personagens cômicos que afirmam ser super-heróis que combatem o crime. A banda lançou seis álbuns, dois dos quais foram mapeados na “Billboard 200.” Seu mais recente álbum, Hi-Five Soup!, também alcançou a 5ª posição na parada “Top Heatseekers”.

De março de 2012 a janeiro de 2014, a banda também criou e estrelou The Aquabats! Super Show!, uma série musical e live-action de comédia na televisão, que foi ao ar no canal a cabo Hub. O show ganhou seis indicações ao Daytime Emmy Award e um prêmio Daytime Emmy.

Este artigo foi escrito em LDSLiving.com e traduzido para o mormonsud.net por Esdras Kutomi.

| Entretenimento
Publicado por: Esdras Kutomi
Formado em SI, mórmon, gosta de RPG e Star Wars, lê artigos científicos por diversão, e se diverte mais com crianças ou idosos do que com pessoas de sua idade.
O que o Presidente Monson ensinou sobre Educação & Carreira?
Vice Presidente dos EUA visita a Sede da Igreja e recebe sua...

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *