Não Me Julgue Por Eu Guardar os Mandamentos de Maneira Diferente Da Sua

Não me julgue por eu guardar os mandamentos de maneira diferente

Recentemente alguns membros da igreja visitaram uma Reunião Sacramental noutra Ala por causa da despedida de um parente. Depois que a Reunião terminou, eles foram para seus carros, e se dirigiram às suas respectivas alas para pegar as duas últimas horas das reuniões dominicais, optando por não seguir a tradição cultural de pular as duas últimas aulas para confraternizarem-se.

Antes de saírem, alguém perguntou a um deles: “Você acha que é melhor que a gente?”

Parece que a cada mês um artigo aparece na internet com o assunto relacionado a “julgar os outros”. O autor compartilha uma história esclarecedora que mostra que não podemos julgar os outros, pois nunca sabemos pelo quê a pessoa está passando.

Ouvimos muitas vezes sobre um justo julgando um pecador ou sobre um pecador julgando um justo, mas raramente ouvimos de algo escrito sobre um santo julgando outro santo que está vivendo o melhor que pode.

Vou explicar melhor.

O outro lado da moeda

Frequentemente julgamos as pessoas pelas coisas erradas que elas fazem, ou as menosprezamos por coisas que eles deveriam fazer e que não estão fazendo. Que tal se dermos uma olhada no outro lado da moeda?

Você já julgou alguém por que ele está guardando os mandamentos de uma forma diferente de você? Você já julgou alguém por ter uma atitude “mais certa” que a sua, quando, na verdade, essa pessoa pode estar apenas tentando viver da forma que ela sinta ser correta?

A história da família que foi nessa despedida, compartilhada acima, é um exemplo perfeito do que eu quero lhes mostrar, e a mensagem é a seguinte: não é só por que alguém está guardando os mandamentos de uma forma diferente da sua, que ela acredita ser mais justa que você.

Darei outros exemplos.

Roupa de domingo

Você usa a roupa de domingo durante todo o dia? Desde que voltei de missão eu assim faço. Para mim, isso é uma ação superficial que me ajuda a separar esse dia dos outros dias e afeta as atividades das quais eu participo no Domingo. Isso é um lembrete, para mim, de que devo focar em fazer as coisas que o Senhor gostaria que eu fizesse em Seu dia.

Posso eu dizer que sou melhor que alguém que, ao chegar em casa, já tira a gravata ou que já põe uma calça moleton? É claro que não.

A última coisa que quero é deixar alguém desconfortável, ou deixá-las pensando que eu as menosprezo por que eu escolho guardar o domingo dessa forma. Ao mesmo tempo, não quero ser rotulado como “mais justo” só por que eu escolho guardar os mandamentos de uma forma diferente de outras pessoas.

Há muitas maneiras de ser justo. Tenho visto muitas outras formas, diferentes das minhas, em que as pessoas estão buscando a retidão, e eu procuro aprender com elas ao invés de entrar na defensiva com relação às minhas escolhas.

Outros Exemplos

Outros exemplos comuns de pessoas buscando a retidão de uma forma diferente são:

  • Aqueles que se abstém de carne por sua interpretação da Palavra de Sabedoria.
  • Aqueles que não assistem aos programas populares de TV e aos filmes por considerá-los inapropriados.
  • Aqueles que não vão aos eventos esportivos, trabalham, ou brincam ao ar livre nos Domingos.
  • Aqueles que escolhem permanecer nas três horas de reuniões quando acontece a bênção de um bebê ou a despedida de alguém.
  • Aqueles que escolhem não participar da festa do Super Bowl ou da Copa do Mundo (nota do tradutor).

Essa lista poderia continuar indo e indo…

Estamos todos tentando fazer o nosso melhor. Estamos em posições diferentes no caminho da retidão; todos recebemos luz e conhecimento e somos convidados a viver de acordo com os ditames de nossa consciência. Dessa forma, devemos garantir que tenhamos uma vida com que nos sintamos confortáveis, de maneira a não ficarmos nos preocupando com o que os outros possam pensar de nós, e de maneira a não sermos tentados a julgar os outros pela forma que eles vivem.

Não julgue, e não pense que aqueles que estão tentando viver suas vidas da forma que eles acham mais correta estão te menosprezando.

Artigo escrito por Ben Arkell no site mormonlight.org. Traduzido por Nathan Kutomi

| Vida dos Santos dos Últimos Dias

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *