7 hábitos

Hábitos. Todos nós os temos. Alguns deles nos atraem para os outros, e alguns nos deixam loucos, mas todos de algum modo se dirigem para o nosso subconsciente e nos fazem quem somos. Um Santo dos Últimos Dias, Stephen R. Covey, entendeu o poder de criar bons hábitos e escreveu um livro sobre alguns dos melhores hábitos que podemos cultivar. Esta lista de hábitos pode ajudar os Santos dos Últimos Dias a se aproximarem do Salvador .

1 – O hábito de Estudar e se Preparar

Eu sei eu sei. Todos sabem isso. Isso é uma dessas “pequenas coisas” que sempre ouvimos, mas nem sempre fazemos. No entanto, não podemos sempre nos escorar nos testemunhos dos nossos pais. Precisamos fazer perguntas. Precisamos ter hábitos consistentes de estudo e prática para estar em sintonia com o Espírito. Assim fazendo vamos poder responder a perguntas dos outros e lidar fielmente com os desafios. Considere esta história, compartilhada por Sheri Dew em seu mais novo livro, Worth the Wrestle (Em tradução para o português “Vale o prêmio”) .

“Vários anos atrás, uma jovem maravilhosa que acabara de se formar com honra pela BYU me chamou, perturbada. Por meio de soluços, ela disse: “Irmã Dew, não tenho certeza se acredito que a Igreja é verdadeira e estou assustada. E se a minha família não estiver unida para sempre? E se o que me ensinaram durante toda a minha vida não for verdade?”

“Eu escutei sua tentativa de explicar sua angústia e, finalmente, perguntei:” “Você quer ter um testemunho?” “Sim”, disse ela.

“Você está disposta a trabalhar para isso?”

Novamente ela me disse “sim”.

Ela trouxe uma pergunta após a outra. Ela fez perguntas que eu nunca tinha considerado – boas, inteligentes, perguntas de sondagem. Durante uma de nossas sessões de estudo juntas, enquanto ela me lançava uma série de perguntas, perguntei se ela estava fazendo perguntas contra um plano de fundo da fé ou da dúvida.

“Em outras palavras, você está dizendo: Aqui está algo que eu não entendo então o evangelho não deve ser verdade, ou você está disposta a dizer: Aqui está algo que eu não entendo, mas eu me pergunto o que o Senhor ou Seus profetas nos ensinarão sobre isso?” Questionei: “as suas perguntas são feitas com a suposição de que existem respostas? Você está disposta a confiar no Senhor e dar-lhe o benefício da dúvida?”

“Seu testemunho lentamente começou a crescer, nossas sessões de estudo diminuíram e passaram alguns anos. Uma noite de domingo, ela ligou para dizer: “Quero que você seja uma das primeiras pessoas, a saber, que estou segurando em minhas mãos uma recomendação para o templo. Você virá quando eu for receber minha investidura?” Ela agradeceu pelo tempo que passamos juntas e depois disse: “Você sabe o que você disse que me ajudou mais? Você me disse para trazer todas as perguntas que tive porque as perguntas são boas. Essa declaração simples me permitiu me ver como uma buscadora e não como simplesmente uma pessoa que duvida de tudo”.

Os Santos dos Últimos Dias bem-sucedidos, como esta irmã, se encarregam de seus próprios testemunhos e trabalham duro para construí-los, influenciando os que os rodeiam para melhor.

O livro “7 Hábitos das pessoas altamente eficazes” destaca:

“Em vez de reagir ou se preocupar com as condições sobre as quais tem pouco ou nenhum controle, as pessoas pró-ativas concentram seu tempo e energia em coisas que podem controlar. Os problemas, desafios e oportunidades que enfrentamos caem em duas áreas: círculo de preocupação e círculo de influência”.  

2 – O hábito de se lembrar da visão maior

É um bom hábito praticar lembrando sua identidade eterna. Eu ouvi uma vez uma descrição assim: Imagine que você acorda em uma cama de hospital um dia. Você perdeu sua memória e a única coisa que você conhece é o que os outros lhe dizem. Agora imagine que alguém lhe diga que é sua mãe ou seu pai. Alguém lhe diz também que antes de perder sua memória, você era um dançarino famoso, um chefe de cozinha talentoso ou um bombeiro. Incapaz de ver ou lembrar esse talento, você sabe que você era capaz antes, e então você trabalhará para isso de novo. Da mesma forma, quando chegamos a terra, o véu nos fez esquecer quem éramos antes. Mas temos pais, amigos, líderes da Igreja e, especialmente, um Pai Celestial amoroso que pode nos dizer quem éramos antes (pense em sua benção patriarcal) e foque em um objetivo final.

O Élder Robert C. Oaks dos Setenta disse em um discurso de BYU de 2006:

“Que bela benção é conhecer – ganhar um testemunho pelo poder do Espírito Santo – que existe um Deus e que Ele tem um plano com um propósito exaltado para cada um de Seus filhos. É também um fator de controle pessoal muito poderoso poder aceitar que cada um de nós tem um papel particular a desempenhar neste plano. Cada um de nós deve fazer um esforço extra para descobrir, em todos os detalhes possíveis, quem você realmente é – descobrir seu potencial eterno no plano de Deus”.

Ao manter estas perspectivas eternas em mente, podemos nos aproximar de nosso Salvador, focando no que é mais importante, cada vez melhor e mais capaz de ver os outros de uma perspectiva eterna também.

O livro “7 Hábitos das pessoas altamente eficazes” destaca:

O hábito dois é “começar com o fim em mente”. O conselho de ação que se aplica é muito bom para os Santos dos Últimos Dias: “Uma das melhores maneiras de incorporar o hábito dois em sua vida é desenvolver uma declaração de missão pessoal. Ele se concentra no que você quer ser e fazer. É o seu plano de sucesso. Reafirma quem você é, coloca seus objetivos em foco e move suas ideias para o mundo real. Sua declaração de missão faz você o líder de sua própria vida. Você cria seu próprio destino e assegura o futuro que você imagina.”

3 – O hábito de priorizar viver o Evangelho

Muitas vezes ouvimos isso na frase “lembre-se das pequenas coisas”. Hábitos como a noite familiar, o estudo das escrituras, guardar o Dia do Senhor, a oração e a presença no Templo devem ser praticados. Todos já ouvimos isso antes, e muitos de nós experimentamos isso. Uma vez que perdemos a Igreja por algumas semanas, pode ser difícil voltar. Deixar o estudo das escrituras pode dificultar a busca novamente. É fácil racionalizar o tempo perdido, colocando os princípios do evangelho no banho maria, mas se somos consistentes e diligentes, encontraremos maior alegria e motivação para continuar.

Em uma discurso da Conferência Geral de Outubro de 2014, o Élder Richard G. Scott explicou:

“Nosso Pai Celestial nos deu ferramentas para nos ajudar a vir a Cristo e exercer fé em Sua Expiação. Quando essas ferramentas se tornam hábitos fundamentais, eles fornecem a maneira mais fácil de encontrar a paz nos desafios da mortalidade… Não caia na mentira de Satanás de que não tem tempo para estudar as escrituras. Escolha aproveitar o tempo para estudá-las. Ficar com a palavra de Deus todos os dias é mais importante do que dormir, escola, trabalho, programas de televisão, videogames ou mídias sociais. Você pode precisar reorganizar suas prioridades para proporcionar tempo para o estudo da Palavra de Deus. Se sim, faça isso!”

O livro “7 Hábitos das pessoas altamente eficazes” destaca:

O hábito três também trata da gestão da vida – seu propósito, valores, papéis e prioridades. Quais são as “primeiras coisas”? As primeiras coisas são aquelas coisas que você, pessoalmente, considerou mais valioso. Se você colocar as primeiras coisas primeiro, você está organizando e gerenciando tempo e eventos de acordo com as prioridades pessoais que você estabeleceu no hábito dois.

4 – O Hábito de Serviço e Consideração

O serviço não é natural para muitos de nós. Uma das nossas características “decaídas” é uma inclinação para o egoísmo. No entanto, esse tipo de atitude pode afetar não só seu relacionamento com os amigos e membros da família na Terra, mas com seu Pai Celestial. Aprender a servir os outros e se concentrar na compreensão ou conexão com aqueles que nos rodeiam cria nossa confiança em quem somos. À medida que ganhamos confiança em nossas decisões e conexões, somos mais capazes de ver a visão mencionada no segundo hábito. Também seremos mais eficazes em cumprir o chamado para praticar a caridade e estaremos dispostos a servir em um chamado da Igreja, chorar com os que choram, levantar as mãos daqueles que pendem.

O Presidente Uchtdorf nos lembrou, em abril de 2014, na Conferência Geral:

“Aqueles que transformaram suas vidas inteiramente pelo Salvador e servem a Deus e aos seus semelhantes descobrem uma riqueza e plenitude para a vida que o egoísta nunca experimentará. O altruísta dá de si mesmo. Estes podem ser pequenos presentes de caridade que têm um grande impacto para o bem: um sorriso, um aperto de mão, um abraço, o tempo gasto na escuta, uma suave palavra de encorajamento ou um gesto de cuidado. Todos esses atos de bondade podem mudar corações e vidas. Quando aproveitamos as oportunidades ilimitadas para amar e servir nossos semelhantes, incluindo nossa esposa e família, nossa capacidade de amar a Deus e servir aos outros aumentará grandemente”.

O livro “7 Hábitos das pessoas altamente eficazes” destaca:

“Muitas pessoas pensam em termos de ou / ou: ou você é legal ou você é durão. É um ato de equilíbrio entre coragem e consideração. Para vencer, você não só precisa ser empático, mas também tem que ter confiança. Você não só tem que ser atencioso e sensível, você também tem que ser corajoso. Para fazer isso, para alcançar esse equilíbrio entre coragem e consideração é necessário desenvolver a essência da maturidade que é real e  fundamental para vencer.”  

5 – O hábito de orar e receber revelação

No livro de Stephen R. Covey, isso é descrito como “Procure primeiro entender, então ser compreendido”. A revelação pessoal é um termo que os Santos dos Últimos Dias se apegam – a crença de que Deus pode nos falar e nos inspirar. Mas às vezes conversamos sobre Deus e não prestamos atenção ao que Ele está tentando nos contar. Veja se esta situação lhe parece familiar: “Você tem lutado com a sensação de inadequação na vida. Você começa a contar a um amigo sobre isso, e antes mesmo de sair da segunda frase, seu amigo já está tentando validá-lo tentando lhe contar sua própria experiência”.

Esta não é uma boa maneira de aprender ou compartilhar, mas às vezes agimos como nosso amigo nesse cenário e fazemos o mesmo ao Pai Celestial. Podemos fazer uma pergunta, mas ao invés de ouvir uma resposta, gastamos a maior parte da nossa energia com perguntas contrárias, desculpas ou nem mesmo escutamos. Ao praticarmos a escuta, quer seja em uma oração ou não, é preciso nos acalmar, estar em sintonia com o Espírito. Dessa forma seremos mais discípulos, discípulos que estão sintonizados em Cristo, capazes de agir e entender as coisas espirituais.

Boyd K. Packer citou Joseph Smith sobre esse tópico de revelação:

“Uma pessoa pode ganhar muito com o espírito de revelação. Por exemplo, quando você sente uma pura inteligência fluindo em você, pode dar-lhe súbitos traços de ideias, de modo que ao perceber isso, você pode por em prática todas aquelas coisas no mesmo dia ou em breve. As coisas que foram apresentadas às suas mentes pelo Espírito de Deus, acontecerão. E, assim, aprendendo com o Espírito de Deus e entendendo aos poucos e cada vez mais, você pode crescer no princípio da revelação, até se tornar perfeito em Cristo Jesus”.

O livro “7 Hábitos das pessoas altamente eficazes” destaca:

“Você pode estar dizendo: Ei, agora espere um minuto. Só estou tentando me relacionar com a pessoa, aproveitando minhas próprias experiências. Isso é tão ruim? Em algumas situações, as respostas pessoais podem ser apropriadas, como quando outra pessoa especificamente pede ajuda do seu ponto de vista ou quando já existe um nível muito alto de confiança no relacionamento”.

6 – O hábito da humildade

Alguns podem pensar neste hábito como caridade ou tolerância. Mas penso nisso como humildade. A humildade é o que nos permite reconhecer que nosso caminho nem sempre é o melhor ou o único caminho. É poder aprender através das perspectivas dos outros e reconhecer respeitosamente as diferenças. É poder reconhecer, como Joseph Smith disse uma vez, que não devemos pedir a “ninguém que desista do que é bom que já tenham. Nós os convidamos a vir e obter mais”. “Ao construirmos essas amizades e relacionamentos, podemos nos aproximar do Salvador, tornar-nos mais humildes quando reconhecemos nossos próprios fracassos e pecados, e valorizamos os outros como filhos e filhas de Deus”.

O Elder Ulisses Soares, disse na Conferência Geral de outubro de 2013:

“A mansidão foi um dos atributos mais abundantes da vida do Salvador. Ele mesmo ensinou a Seus discípulos: Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração. (Mateus 11:29) Somos abençoados por nascer com a semente da mansidão em nossos corações. Precisamos entender que não é possível crescer e desenvolver essa semente em um piscar de olhos, mas sim através do processo do tempo. Cristo nos pede para carregar a nossa cruzar diariamente, o que significa que deve ser um foco e um desejo constante”.

O livro “7 Hábitos das pessoas altamente eficazes” destaca:

“Valorizar as diferenças é o que realmente desencadeia sinergias. Você realmente valoriza as diferenças mentais, emocionais e psicológicas entre as pessoas? Ou você deseja que todos simplesmente concordem com você para que todos possam se dar bem? Muitas pessoas confundem uniformidade com a unidade! Unicidade: uma palavra aborrecida! As diferenças devem ser vistas como pontos fortes e não fracos. Eles aumentam a vida”.

7 – os hábitos de saúde e aprendizagem

O Espírito pode falar mais claramente com uma mente descansada e ouvidos atentos. Pelo menos, essa tem sido a minha experiência. A saúde física também é um campo de prática fértil para o autocontrole e o domínio justo sobre o corpo de alguém – um presente de um Pai Celestial amoroso. Junte isso com o desejo de aprender constantemente, através do estudo do Evangelho e também do estudo secular. E se você tem o padrão de um santo dos últimos dias eficaz, que tem uma mente aguda e capacidade de servir o Senhor de forma mais completa e eficaz, os resultados serão ainda melhores. À medida que expandimos nossas mentes, os mistérios de Deus se desenvolverão para nós, nossos testemunhos serão fortalecidos, e estaremos mais bem preparados para conhecer o mundo com confiança e poderemos ensinar nossas próprias famílias.

A saúde espiritual e física leva a prática e consistência (as chaves para um hábito bem sucedido). Mas também podem abrir oportunidades gratificantes para aumentar a energia para servir e aumentar a confiança e o amor. Os líderes da Igreja nos lembraram da importância da educação por anos.

Em 1992, então, o Élder Russell M. Nelson advertiu:

“Por nossa sagrada consideração por cada intelecto humano, consideramos a obtenção de uma educação como uma responsabilidade religiosa. No entanto, oportunidades e habilidades diferem. Eu acredito que, na busca da educação, o desejo individual é mais influente do que a instituição e a fé pessoal mais forte do que a faculdade. Nosso Criador espera que seus filhos em todos os lugares se eduquem. Ele emitiu um mandamento: E como nem todos têm fé, buscai diligentemente e ensinai-vos uns aos outros palavras de sabedoria; sim, nos melhores livros buscai palavras de sabedoria; procurai conhecimento, sim, pelo estudo e também pela fé. ( D&C 88:118). E Ele nos assegura que o conhecimento adquirido aqui será nosso para sempre. (D&C 130: 18-19). Medido por este padrão celestial, é evidente que aqueles que impulsivamente abandonam e reduzem sua educação não apenas desconsideram o decreto divino, mas frustraram a realização de seu próprio potencial”.

O livro “7 Hábitos das pessoas altamente eficazes” destaca:

“Sentir-se bem não acontece simplesmente. Viver uma vida equilibrada significa tomar o tempo necessário para renovar-se. Está tudo em suas próprias mãos. Você pode se renovar através do relaxamento. Ou você pode se queimar totalmente por exagerar em tudo. Você pode cuidar de si mesmo espiritualmente e mentalmente. Você pode experimentar uma energia vibrante. Ou pode procrastinar e perder os benefícios de uma boa saúde e exercícios físicos. Você pode revitalizar-se e enfrentar um novo dia em sua vida. Pode ter paz e harmonia. Ou você pode acordar pela manhã cheio de apatia porque o único pensamento que tem é de Levante-e-vá. Basta lembrar que todos os dias oferece uma nova oportunidade de renovação – uma nova oportunidade para recarregar as energias. Tudo o que é necessário é o desejo, o conhecimento e a habilidade”.

Este artigo foi traduzido do inglês: Lds Living