Acabamos de experimentar o maior suspense da história da Igreja?

Não, foi grande, não me entenda mal. Mas lembre-se de quando Cristo apareceu a Joseph Smith e disse: “Ei, você fará um trabalho muito importante. Nenhuma das igrejas está certa. Então, você aprenderá sobre o que Eu preciso que você faça mais tarde.”

Sim, esse suspense pode ter sido um pouco maior. Mas somente um pouco…

Que coisa gloriosa para se comemorar! Não tenho a menor ideia do que esperar daqui a cinco meses, quando testemunharmos uma Conferência Geral muito especial.

Como será? O que será que irá acontecer? Tenho tantas perguntas!

De uma coisa tenho certeza, não deixarei o convite do Presidente Nelson, para nos prepararmos, de lado.

Se houver uma Conferência Geral especial, vou me certificar de que participarei totalmente dela. Esta é provavelmente uma oportunidade única na vida e não perderei!

O Presidente Nelson nos pediu para mergulharmos na Restauração e nos prepararmos para esta Conferência especial.

Isso pode significar muito. Mas seguem aqui, cinco coisas que em acredito que devemos prestar atenção, enquanto nos preparamos, a fim de receber o máximo de orientação possível, em abril de 2020.

O Livro de Mórmon fala de Jesus Cristo

  1. Uma linguagem centralizada em Cristo

Vamos jogar um jogo. Este é fácil, vamos chamar de ‘Aponte a Diferença’. O que há de diferente nas quatro declarações a seguir?

Joseph Smith viu Deus, o Pai, e Seu Filho, Jesus Cristo.
Joseph Smith restaurou a verdade e as ordenanças do Evangelho de Jesus Cristo.

O Pai Celestial e Jesus Cristo apareceram a Joseph Smith.
O Salvador restaurou a verdade e as ordenanças de Seu Evangelho por meio de Seu profeta, Joseph Smith.

Certo. Agora como você faria? Embora sejam essencialmente a mesma mensagem, a maior diferença entre os dois conjuntos de perguntas é… O FOCO!

Sim eu sei. Parece simples. E óbvio. E provavelmente muito bem conhecido.

No entanto, na maioria das vezes em que ouço sobre a Restauração do Evangelho, ela vem com palavras focadas em Joseph Smith.

Foi Joseph quem restaurou o Evangelho, e Joseph que teve a Primeira Visão, e Joseph que trouxe o Livro de Mórmon. Tudo isso é verdade. Mas…

Pense por um segundo sobre as implicações de usarmos uma linguagem centrada em Cristo, quando falamos sobre a Restauração.

De repente, todos os mandamentos, mudanças, doutrina e políticas são vistos em um contexto maior e mais conectado. Joseph Smith foi apenas uma ferramenta na mão do Senhor, para realizar a Sua grande obra.

Cristo está no centro de tudo. Foi a Sua mensagem, não a de Joseph, que foi restaurada no mundo.

Não estou tirando o crédito de Joseph Smith. Ele foi um homem de grande fé e obediência. Ele fez o possível para fazer tudo o que o Senhor lhe pediu.

Assim como em nossos dias, e como o Élder Holland apontou com tanta eloquência durante a última Conferência Geral, tudo o que ocorreu nos anos 1800 estava ligado ao trabalho do Salvador.

Jesus Cristo é o Salvador do mundo. Ele merece todo o foco.

Portrait of the Prophets

  1. A falibilidade dos profetas

Sim, eu sei. Outro tópico bastante óbvio. Só para constar, no título se lê “reaprender.”

É difícil acreditar de todo coração em profetas e apóstolos vivos, e no Evangelho de Jesus Cristo, ao mesmo tempo em que os irmãos que guiam a Igreja, às vezes, cometem erros. É quase contraditório. Pelo menos é o que sentimos.

Acredito que fazemos um ótimo trabalho em “admitir” que nossos líderes não são perfeitos. Onde muitos de nós lutamos é em acreditar nisso.

Pelo menos eu sei que comigo foi assim. Me vi defendendo os irmãos a todo custo, até literalmente uma semana atrás. Então ouvi o Élder Soares falar em um devocional e finalmente vi uma pessoa verdadeira, fazendo o melhor que podia.

Em um momento, ele pediu à plateia que “tivesse paciência com os irmãos”. Eles estavam fazendo o melhor que podiam e precisavam de todas as orações e fé dos membros, que podiam receber.

Fiquei tão emocionado. Ali estava um apóstolo do Senhor, pedindo por paciência. Esses homens realmente não são perfeitos. Eles têm seus próprios vícios. Eles têm suas próprias opiniões. Eles têm suas próprias provações.

Mas isso não torna sua dedicação ao Evangelho muito mais impressionante? Porque apesar de todas essas coisas, eles fazem o possível para servir ao Senhor.

E Joseph Smith também fez.

Nem tudo o que ele disse ou fez estava certo. Houve muitos momentos em que ele se afastou dos mandamentos de Deus. Porém, quando Joseph estava mais sintonizado com Cristo, foi quando o Salvador foi capaz de melhorar ainda mais Sua obra aqui na Terra.

Viram o que fiz? Minha linguagem se centralizou em Cristo. Isso faz a diferença.

  1. A obediência exata

Você já ouviu a frase que diz “é mais fácil ser obediente 100% das vezes do que ser obediente 98% das vezes”. Não, não tenho ideia de quem disse isso. É verdade. Pense nisso.

Quando nos esforçamos para ser obedientes 100% do tempo, não há reservas quanto às escolhas que estamos fazendo. Não há como adivinhar. Há apenas o ir e agir, como Néfi fez.

A obediência exata é algo em que acredito estar gradualmente diminuindo na Igreja.

Parece que mais e mais pessoas estão caindo nas armadilhas sutis da justificativa. Certamente não é uma nova tática, mas tornou-se muito difundida, especialmente com a criação da Internet e das mídias sociais.

É fácil justificar um filme inapropriado quando outros amigos membros também assistem. Violar a lei da castidade não inclui encontrar alguém apenas para ficar, já que todo mundo está fazendo a mesma coisa. Não é?

A verdade é que existe uma maneira de obedecer aos mandamentos de Deus com exatidão, enquanto estamos cheios de amor, esperança e bondade fraterna.

Quando Cristo chamou Joseph para ser profeta, Ele não esperava que Joseph fosse perfeito. No entanto, Ele esperava o seu melhor. E Ele esperava obediência exata, sempre que possível.

Da mesma forma, Ele espera a obediência exata de nós. Vamos falhar, mas isso não significa que devemos parar de tentar.

a oração, pergunte novamente

  1. A responsabilidade perante de Deus

Este é um tópico pesado. Mas também não se trata apenas de estar errado e ser imperfeito.

Uma das primeiras vezes que me lembro de receber uma resposta direta de Deus, foi quando perguntei a Ele se havia sido perdoado de meus pecados.

Não posso expressar o amor que senti no momento em que lhe pedi uma resposta. A partir daquele momento, eu sabia que havia sido perdoado. Foi uma experiência que permanece comigo, principalmente quando sinto que cometi um erro.

Quando vamos à igreja, estudamos as escrituras e interagimos com aqueles que se esforçam para seguir a Cristo, é fácil ficar sobrecarregado com “tudo o que precisamos fazer” para sermos discípulos de Cristo. A lista parece interminável, não é?

Não precisamos confiar apenas em nossa própria sabedoria para descobrir como progredir. Nosso Pai Celestial nos convida a “Aconselha [nos] com o Senhor em tudo que [fizermos]” (Alma 37:37).

Ele não nos dará uma lista de todas as coisas que precisamos fazer. Ele apenas nos ajudará com o próximo passo, e constantemente nos lembrará do que já estamos fazendo bem.

Diga a Ele o que está acontecendo. Faça perguntas a Ele. Conte sobre o seu dia e as suas escolhas.

Ser responsável perante Deus não significa vir diante d’Ele e dizer-Lhe tudo o que não somos. É contar a Ele sobre tudo o que somos e depois nos tornarmos ainda melhor.

Imagine entrar em abril de 2020, tendo 6 meses (bem, agora 5) de diálogo aberto com nosso Pai Celestial. Imagine o que podemos ganhar se já tivermos progredido e passado por coisas que estavam nos impedindo.

O que Deus nos dirá então? Só há uma maneira de descobrir…

  1. O amar

Provavelmente, o atributo mais impressionante de Joseph Smith, foi a sua capacidade de amar e servir aos outros, apesar de tudo o que ele passou.

Os críticos da Igreja, muitas vezes apontam seus erros, mas não conseguem perceber a diferença que ele fez em tantas vidas, mesmo em meio a tantas provações.

O amor é o principal atributo do evangelho. É o que nos conecta mais profundamente uns com os outros, e com o nosso Pai Celestial e Seu Filho.

Satanás está atacando o amor. Ele quer que todo homem se torne como ele é. Ele quer que o amor acabe. Ele quer que o sacrifício não seja nobre. Ele quer que o esforço (pelo outros) não seja admirado. Satanás está fazendo tudo o que pode para tirar esse atributo celestial do mundo.

E, mesmo assim, esse atributo faz parte dos alicerces do Evangelho.

Tudo começou quando o Homem Perfeito deu a vida por toda a humanidade. Continuou quando um homem humilde dedicou sua vida a servir ao Salvador.

A Restauração do Evangelho tem tudo a ver com proporcionar salvação e exaltação à família humana. O que está no coração das famílias? Bem, o que está no âmago de todas as coisas? O amor.

Em um mundo onde tudo se volta para si, precisamos ser capazes de nos voltar para o próximo.

A minha humilde opinião é que nada nos preparará mais para esta Conferência Geral especial, e como extensão, para Segunda Vinda de Jesus Cristo, do que a capacidade de amar e servir ao próximo.

Ao nos esforçarmos para servir, ensinar e elevar todos ao nosso redor, nos aproximaremos automaticamente do Salvador. Nossa fé será fortalecida. Estaremos mais decididos a carregar nossas próprias cruzes e a segui-Lo, a seguir Aquele que tornou possível a felicidade eterna.

Procure amar e você encontrará uma nova devoção ao Salvador e a Seu Evangelho.

Comece a se preparar agora

Falei sério quando disse que não deixaria passar essa oportunidade. Abril será espetacular. Maravilhoso. Adicione qualquer outra palavra superlativa que lhe vier à mente nesta afirmação.

O poder desta próxima Conferência Geral virá principalmente de todos nós que renovamos nosso testemunho da restauração do Evangelho de Cristo.

Imagine um mundo cheio daqueles que transmitem conhecimento e apreço pela Restauração. Poderemos nos unificar. Poderemos nos elevar juntos de uma maneira que talvez não tenha sido possível antes.

Mas temos que começar agora. E temos que ser consistente.

Eu não posso evitar. Então, eu vou ficar aqui, sempre dizendo a todos para se prepararem.

Prepare-se agora. E seja edificado em abril.

Fonte: Third Hour

Relacionado:

Presidente Nelson anuncia a comemoração do bicentenário da Restauração em 2020