Todas as bênçãos vêm do total poder e autoridade do sacerdócio. O poder e as bênçãos do sacerdócio têm sido e sempre estarão disponíveis a todos os que se qualificam para eles, sem restrição de gênero, ordem de nascimento ou linhagem. Este princípio pode ser visto facilmente em vários exemplos de como o poder de Deus se manifestou numa época em que o poder conferido do sacerdócio não existia na terra. Muitos indivíduos dedicados e espirituais respeitaram as leis que resultam na recepção de bênçãos de Deus sem ter recebido qualquer ordenação ao sacerdócio. Os reformadores cristãos como William Tyndale, Martinho Lutero e João Calvino receberam o poder de Deus ao traduzirem a Bíblia e participaram de outras atividades inspiradas.

Reforma protestante

Mesmo depois da grande apostasia, Deus não esteve “cochilando” até que o sacerdócio foi conferido a Joseph Smith e Oliver Cowdery em 15 de maio de 1829 (D&C 13). Antes e depois da Reforma, Deus abençoou homens e mulheres, protestantes, católicos e não-cristãos pelo Seu poder e Sua autoridade do sacerdócio quando eles oravam viviam de acordo com a luz e o conhecimento que eles receberam.

Joseph Smith originalmente teve acesso ao poder a à autoridade do sacerdócio de Deus sem as chaves do sacerdócio e sem autoridade conferida do sacerdócio. Deus, o Pai, e Jesus Cristo apareceram a Joseph Smith após sua oração sincera antes que as chaves do sacerdócio tivessem sido restauradas à terra. O Livro de Mórmon foi traduzido em parte pelo dom e poder de Deus, antes de Joseph Smith receber qualquer ordenação ao sacerdócio. A qual poder, então, Joseph Smith teve acesso? A única resposta é autoridade e o poder do sacerdócio de Deus.

Hoje em dia

O mesmo acontece hoje, embora as chaves do sacerdócio estejam na terra. As pessoas que não são membros da igreja ou que não possuem o sacerdócio conferido oraram e recebem respostas, exercerem fé e são curadas. Aqueles que vivem os mandamentos de Deus são abençoados.

Por meio de revelação, sabemos muitas coisas sobre o poder e a autoridade que Deus delegou aos homens por meio da ordenação ao sacerdócio. Sabemos que as chaves do sacerdócio devem necessariamente funcionar dentro do contexto da autoridade e do poder do sacerdócio total de Deus. Todas as chaves do sacerdócio para a terra são portadas por Jesus Cristo, e o sacerdócio conferido a homens mortais antigamente tinha Seu nome: o Santo Sacerdócio segundo a ordem do Filho de Deus (D&C107:2-3).

É por isso que os portadores do sacerdócio agem em nome de Jesus Cristo. Neste papel, um portador do sacerdócio realiza ordenanças que serão reconhecidas por Deus como válidas. A autoridade do sacerdócio conferida também inclui o direito e a responsabilidade de presidir dentro da estrutura organizacional da Igreja. Por meio das chaves do sacerdócio, Deus governa Sua Igreja. Pela autoridade do sacerdócio conferida, o evangelho é pregado e as ordenanças de salvação e exaltação para os vivos e os mortos são realizadas.

A função do sacerdócio

Sacerdócio é o canal para obtenção de revelação na Igreja, por meio do qual Deus revela a Si mesmo e Sua glória, Seus intentos e propósitos. Embora homens e mulheres recebam revelação por meio do poder do sacerdócio de Deus para suas mordomias e responsabilidades específicas, o sacerdócio de Melquisedeque é “a chave dos mistérios do reino, sim, a chave do conhecimento de Deus.” (D&C 84:19-20). Por meio daqueles que detêm as chaves do sacerdócio, a mente e a vontade de Deus para Seu povo como um todo são transmitidos. Quando o sacerdócio é empregado por Seus servos em Sua missão, ele funciona como se, pela própria boca e voz do Senhor (D&C 1:38).

Escrito pelo Élder e pela irmã Renlund, extraído de “O Sacerdócio de Melquisedeque” e publicado em LDSLiving.com.

Relacionado:

Quais são as ordenanças do Sacerdócio? Como realizá-las?