“Se você diz que não tem tempo para alguma coisa é porque não é importante para você”, escreveu o autor americano Jim Collins, em seu livro “Empresas feitas para vencer”.

De fato, notamos isso: quais pessoas, coisas e eventos nós priorizamos? Essas coisas, eventos ou pessoas estão no topo de nossas prioridades pois são importantes para nós.

Nós temos tempo para a família? Temos tempo para atividades físicas? Temos tempo para estudar e nos aprimorar? Qual tempo do dia ou da semana temos nos dedicado a essas coisas? Mas a pergunta aqui é um pouco mais séria: Nós temos dedicado tempo para Deus?

Lemos em Mateus, capítulo 6 versículo 21:

“Porque onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração”.

É interessante nos lembrarmos que mesmo em um mundo tão cheio de coisas e tarefas, nós podemos encontrar tempo para Deus, afinal, Ele sempre tem tido tempo para nós.

Então a pergunta aqui seria: como fazer isso?

Tudo começa com um bom planejamento. Já notou que quando nós não nos programamos para aquela viagem ela não sai? Ou quando não economizamos nós não compramos? De forma semelhante é com o tempo que queríamos dedicar para Deus e não estamos dedicando.

Vejamos um exemplo de horários de uma pessoa qualquer e vamos analisar quais modificações poderíamos fazer:

Segunda-feira:

Acordar: 7h – Café da manhã: 7h às 7h30 – Trajeto até o trabalho: 7h30 às 8h – Trabalho: 8h às 12h – Almoço: 12h às 13h – Trabalho: 13h às 17h – Trajeto de volta do trabalho: 17h às 17h30 – Internet: 17h30 às 19h30 – Jantar: 19h30 às 20h30. Assistir TV: 20h30 às 22:30 – Dormir: 23h

Essa agenda acima é só um exemplo. Faça isso com todos os dias da sua semana. Feito esse mapa, comece a avaliar criticamente como seu tempo tem sido gasto, onde ele tem sido bem gasto e onde tem sido mal gasto.

O que poderíamos alterar aqui para dedicar tempo para Deus?

Eis aqui alguns questionamentos que podem nos ajudar a avaliar o uso de nosso tempo:

1) QUAIS ATIVIDADES PODEM SER CORTADAS E OU AJUSTADAS?

Usando o exemplo acima, podemos ver claramente que essa pessoa gasta na segunda-feira cerca de 1h30min de tempo navegando na Internet e mais 1h30min assistindo TV. São 3 horas! Nesse momento é hora de fazer perguntas sinceras: Não seria possível reduzir um pouco o tempo de Internet e TV a fim de adicionar tempo para outras atividades como, por exemplo, estudar as Escrituras e oração ou mesmo fazer visitas e servir na Igreja? Com um simples corte de 30 min no tempo de TV podemos encaixar 15 minutos de estudo das escrituras (dá para ler 3 capítulos nesse tempo) e mais 15 minutos de oração.

Dessa forma, vá fazendo ajustes, cortes e encaixes, até que tudo esteja funcionado perfeitamente, até que consiga encaixar o tempo para Deus em sua rotina diária. Trabalhe primeiro nas prioridades e depois vá encaixando o resto.

2) CUIDADO COM O EXCESSO DE ATIVIDADES

Não é saudável encher cada minuto da sua agenda com atividades, pelo contrário, é desestimulante. Por isso, vá devagar. Não queira “abraçar o mundo” em um só dia.

3) CUIDADO PARA NÃO CONSTRUIR UMA AGENDA QUE NÃO CONSEGUIRÁ CUMPRIR:

Procure construir uma agenda “pé no chão”. Não adianta nada encher sua agenda no papel e não conseguir colocá-la em prática. É melhor trabalhar com objetivos menores, mas que consiga cumprir, do que com grandes objetivos que não consegue colocar em prática.

4) CUIDADO PARA NÃO NEGLIGENCIAR COISAS IMPORTANTES

Lembre-se de incluir tempo de descanso, de lazer, de estar com a família, de prática de exercícios físicos, para fazer nada (o preferido de todos rsrs). Negligenciar coisas importantes não fará você se sentir feliz com sua agenda, pelo contrário, vai gerar mais estresse. Seja sábio! Pense muito bem nas suas prioridades e trate-as como prioridades de verdade.

5) CUIDADO PARA NÃO ESQUECER DOS IMPREVISTOS:

Todo mundo têm imprevistos em sua vida. Assim, sua agenda e você devem estar preparados para serem reprogramados casos algum imprevisto apareça. Por isso, sua agenda deve ser um pouco flexível. Isso evitará estresse por não cumprir as atividades programadas.

Lembremo-nos do que nos ensinam as escrituras com respeito ao tempo. As escrituras dizem que a época em que vivemos é o tempo para executarmos os nossos labores, em preparação para encontrar Deus (Alma 34:32–35). Todos nós sabemos que o encontro com o nosso Salvador, que será também o nosso Juiz, é inevitável. Ninguém que tenha nascido neste mundo poderá furtar-se a comparecer diante do Senhor para prestar contas de todos os seus pensamentos, todas as suas palavras e todas as suas obras.  

O inimigo de nossa alma naturalmente sabe disso e fará tudo o que puder para nos convencer a “perder tempo”. As tentações usadas nos nossos tempos têm muito a ver com distrações. Há maneiras, as mais variadas, de nos desviar do que deveria ser nosso principal objetivo: a nossa preparação para encontrar Deus. As palavras de um antigo poema chamado “O Tempo e a Conta” nunca foram tão atuais:

“Deus pede estrita conta do meu tempo,

E eu vou do meu tempo dar-lhe conta.

Mas como dar sem tempo tanta conta,

Eu que gastei sem conta tanto tempo?

Para ter minha conta feita a tempo,

O tempo me foi dado, e não fiz conta.

Não quis, sobrando tempo, fazer conta,

Quero hoje, acertar conta, e não há tempo.

Ó vós que tendes tempo sem ter conta,

Não gasteis vosso tempo em passatempo,

Cuidai enquanto é tempo em vossa conta,

Pois aqueles que sem conta gastam tempo,

Quando o tempo chegar de prestar conta,

Chorarão, como eu, por não ter tempo!”

Necessitamos, mais do que nunca, atentar para a importância de usar sabiamente o tempo que nos é concedido por dádiva divina. Tenhamos o cuidado de não desperdiçá-lo com as novas tentações da tecnologia, gastando longas horas com as atraentes redes sociais, com os games, com o infindável acervo de filmes e a exposição fácil de infindável quantidade de material disponível na web, de excelente à péssima qualidade.

Há muito a fazer. Muito a decidir. O Senhor tem nos dado o padrão: os Seus mandamentos, as Suas leis e os profetas, antigos e modernos, que estão agora mesmo aconselhando aos ouvidos atentos sobre como utilizar com a máxima eficiência o “tempo designado, de acordo com as nossas obras” (D&C 121:25).

“Não Temereis”

Em Doutrina e Convênios 38:30, o Senhor nos consola afirmando: “Mas se estiverdes preparados, não temereis”. A maneira como usamos o “nosso” tempo é, na verdade, a maneira como utilizamos o nosso arbítrio. Que um dia digamos como Morôni, no último versículo do Livro de Mórmon, que esperamos nos encontrar diante do “agradável tribunal do grande Jeová, o Juiz Eterno tanto dos vivos como dos mortos.

Nas palavras do pensador Arnold Bennet:

“Os filósofos explicaram o espaço, mas não explicaram o tempo. Ele é a inexplicável matéria-prima de tudo. Com ele, tudo é possível, sem ele, nada. O suprimento de tempo é verdadeiramente um milagre diário. Você acorda pela manhã e, magicamente, sua bolsa tem 24 horas. É seu. É o mais precioso de todos os seus bens. E ninguém recebe um empréstimo do futuro. Só se pode desperdiçar o tempo que está passando. Não se pode desperdiçar o amanhã, pois está reservado para você. Você tem que viver nestas 24 horas diárias do seu tempo. Daí, então, você tem que produzir a riqueza, o contentamento, o respeito e a evolução de sua alma imortal. Seu uso correto, o seu uso mais eficaz, é uma questão da máxima premência. Tudo depende disso!”

Sua agenda é você quem faz. Compartilhamos aqui apenas algumas dicas para ajudar. Porém, quem escolhe suas prioridades, o que cortar, o que incluir, é você. Seja o dono da sua agenda. E lembre-se de que seu tempo vem de Deus. O sábio, há muitos anos, já havia percebido que é preciso considerar um bom planejamento do tempo, pois há muita coisa a se fazer:

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do seu” .

(Eclesiastes 3:1)

Saiba mais sobre o tema:

5 Dicas Para Administrar o Tempo com Sabedoria