Livro de Mórmon como um dos “Livros Que Moldaram a América”

Desde sua publicação inicial há 186 anos, o Livro de Mórmon deixou uma marca indelével não só na vida de seus leitores sérios, mas também na cultura popular americana em geral.

O livro foi adicionado à lista de “Livros Que Moldaram a América” em 2013 e desde junho de 2016 tem sido uma parte da exposição “Leituras Americanas”, na Biblioteca do Congresso dos EUA. O objetivo da exposição é promover novas conversas sobre 65 livros que o público americano considera terem “um efeito profundo na vida americana”. A exposição apresenta algumas das edições mais raras e interessantes nas coleções da Biblioteca, incluindo cópias raras do Livro de Mórmon.

“[O Livro de Mórmon] gerou desfiles e peças de teatro, apareceu em filmes, inspirou letras musicais e recebeu 4 de 5 estrelas na Apple Store”, disse o Élder D. Todd Christofferson na exposição, onde falou por 30 Minutos sobre a história e o impacto do livro. “Foi ilustrado em tiras de quadrinhos, exibido em pinturas, contado através de ficção histórica e impresso em roupas. Uma cópia do Livro de Mórmon foi até mesmo consultado pelo Presidente Abraham Lincoln na Biblioteca do Congresso em 18 de novembro de 1861.”

Cópias raras do Livro de Mórmon.

Imagem via mormonnewsroom.org.

O Livro de Mórmon, um registro das antigas civilizações americanas, é uma escritura fundamental para os Santos dos Últimos Dias, juntamente com a Bíblia e outros livros. Os mórmons acreditam que Joseph Smith traduziu o Livro de Mórmon de placas de ouro em cerca de três meses, e em seguida publicou as primeiras 5.000 cópias em 1830.

“É um milagre ver que o que começou como 5.000 cópias em uma pequena gráfica em 1830 em Palmyra, Nova York, resultou em milhões de cópias disponíveis em vários idiomas ao redor do globo”, disse o Élder Christofferson.

De fato, mais de 176 milhões de cópias do Livro de Mórmon foram impressas desde 1830, e o livro foi traduzido para 110 idiomas – 89 traduções completas, com seleções do livro em outras 21 línguas. Além disso, o Livro de Mórmon está disponível em LDS.org e nos aplicativos móveis da Igreja (também em aplicativos móveis de terceiros).

O Élder Christofferson também falou do impacto do Livro de Mórmon na literatura, que hoje inclui leituras do Livro de Mórmon em cursos de inglês de nível universitário em todo o país. Essas classes permitem que o Livro de Mórmon fale por si mesmo ao invés de debater a precisão histórica ou os métodos de Joseph Smith de traduzir o livro. “Você não tem que acreditar em suas reivindicações históricas para apreciar [o Livro de Mórmon] como literatura”, disse o Élder Christofferson, citando o estudioso David Bokovoy.

Talvez o mais importante seja o incalculável impacto espiritual do livro nas vidas de milhões de santos dos últimos dias ao redor do globo. O Élder Christofferson falou do poder do Livro de Mórmon em aumentar o apreço por outras escrituras, incluindo a Bíblia.

Élder Christofferosn analisa cópia rara do Livro de Mórmon na biblioteca do congresso

Élder Christofferson analisa cópia rara do Livro de Mórmon na biblioteca do congresso. Imagem via mormonnewsroom.org.

“Meu estudo do Livro de Mórmon me deu uma maior estima pela Bíblia”, disse ele. “Um dos principais autores do Livro de Mórmon, Néfi, profetizou que a Bíblia e o Livro de Mórmon “serão unidos, confundindo falsas doutrinas e apaziguando contendas e estabelecendo paz”. Isso certamente é verdade para mim.”

O Élder Christofferson concluiu com um convite que se tornou conhecido desde que o musical do Livro de Mórmon foi lançado em 2011: “Você já viu a peça, agora leia o livro. O livro é sempre melhor.”

Esta não é a primeira vez que a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias se apresentou na Biblioteca do Congresso. Em 2005, a biblioteca e a Universidade Brigham Young colaboraram na realização de um simpósio de dois dias que marcou o bicentenário do nascimento de Joseph Smith.

Notícia em mormonnewsroom.org. Traduzido por Esdras Kutomi.