Imagem via LDS.net.

Imagem via LDS.net.

Por Jeremy

Como um missionário retornado, frequentemente penso em coisas que eu queria ter aprendido, ou sido ensinado antes de ter ido para missão, ou até mesmo bem antes de minha missão. Estas coisas teriam mudado a maneira que eu ensinava e minha abordagem no meu serviço missionário.

1. Descubra a maneira como você aprende e como os outros aprendem, então ensine à maneira deles.

Estudos mostram que cerca de 60-65% das pessoas aprendem visualmente. Nunca me liguei nisso. Sempre pensei que eu fosse diferente, e a maioria das pessoas fossem alunos auditivos. Descobri que quando você começa a ensinar alguém, é bom começar dizendo “Nosso desejo é te ajudar a aprender, e entender o que nós estamos ensinando a respeito de Jesus Cristo e o Seu Evangelho, de que maneira normalmente você aprende melhor?”

Logo de cara você já sabe o que precisa fazer, você sabe se precisa usar uma lição “mais concreta” (aprendizagem tátil), ou talvez você precisa de lições com analogias (aprendizagem visual), ou se uma leitura direta das escrituras e o ensino oral é uma opção melhor.

É VITAL que você os ensine da maneira que eles aprendem. Incontáveis pessoas na minha missão se lembravam de quase nada das coisas que tinham sido ensinadas, porque elas tinham sido ensinadas de uma maneira diferente da maneira que elas aprendiam.

2. Não se esqueça de como você sente o Espírito.

Muitos missionário sentiram o espírito pela primeira vez através da música, durante um EFY ou algo assim. Muitos deles quando você pergunta sobre histórias que eles sentiram o Espírito também contam histórias de músicas poderosas.

Contudo, por alguma razão quando nós nos tornamos missionários nós não usamos música??? Aprendi na minha missão o PODER sagrado da música. Não sei dizer quantas vezes cantar uma música como “Ó Meu Pai” fez uma pessoa chorar. Se você não sabe cantar, não se preocupe. Deus sempre usa servos imperfeitos!

Presidente Grant disse o seguinte: “Não é sua eloquência verbal que levará convicção ao coração das pessoas, mas é o Espírito do Deus Todo-Poderoso que arde em seu coração e seu desejo de salvar almas. (…) ao cantarmos os hinos de Sião, ainda que de modo imperfeito, mas com a inspiração de Deus, tocaremos o coração dos honestos com mais eficácia do que se cantarmos bem, mas sem o Espírito de Deus. Cantem com o Espírito de Deus. Amem as palavras que vocês cantarem. Eu amo os hinos de Sião.”[1]

Tome esta história por exemplo.

“Os Élderes J. Golden Kimball e Charles A. Welch serviram como missionários no sul dos Estados Unidos e nenhum deles afirmava cantar bem. Em certa ocasião, estavam prestes a batizar alguns conversos quando uma turba deu a entender que caso levassem adiante suas intenções de batizar, eles seriam jogados no rio. Os missionários decidiram seguir adiante, independentemente do resultado. Antes, porém, cantaram um hino. O hino parece ter exercido tal influência sobre a turba de malfeitores que eles ficaram quase paralisados. Os irmãos realizaram os batismos e depois se deslocaram para fazer as confirmações do batismo. Receberam uma mensagem da turba pedindo que cantassem o hino novamente, e o pedido foi atendido. O líder da turba, Joseph Jarvis, posteriormente entrou para a Igreja e disse ao Élder Kimball que a mensagem do hino e a inspiração que ele sentiu ao ouvi-lo, nas circunstâncias citadas, foram o fator determinante para sua conversão ao evangelho.” ([1] – Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Heber J. Grant).

Nunca subestime o poder de hinos, e músicas, como “Ó Meu Pai”. Lembro do meu presidente de missão compartilhando uma história conosco. Na Praça do Templo decidiram pesquisar a respeito do que mais gostavam. E, disseram como sentiam-se quando o coro cantava, e a música mais tocante que a maioria das pessoas lembravam e amavam era “Ó Meu Pai”.

3. Ganhe a confiança do Senhor, sempre siga o Espírito.

Próximo a metade de minha missão, meu presidente de missão nos deu esta jóia “É melhor ser confiado do que ser amado”… Isso me acertou, Deus ama todo mundo, mas será que Ele confia em mim? Eu ganhei Sua confiança? Eu confio Nele? Essas coisas estavam rodando na minha mente enquanto eu assistia a “A Serviço do Senhor”[2] no Pday.

Enquanto assistia o filme, acontece uma história de quando ele não escuta ao Espírito, e alguém morre. Então isto foi dito: “Segurando as lágrimas, Thomas S. Monson virou e andou de volta para a noite. Ele então jurou ali que nunca mais ele iria falhar em atender a um sussurro do Senhor. Ele iria reconhecer as impressões do Espírito quando viessem, e ele iria segui-las onde quer que elas o levassem, sempre a estar ‘a serviço do Senhor’”. – Élder Jeffrey R. Holland.[3]

E no fim, o Presidente Monson compartilha o seguinte:

“A mais doce experiência que conheço na vida é sentir um sussurro e agir segundo ele, e depois descobrir que foi o cumprimento da oração de alguém ou da necessidade de alguém. E eu sempre quero que o Senhor saiba que se ele precisa de um serviço a ser feito, Tom Monson irá realizar este serviço para Ele”. – Thomas S. Monson.

Isso mudou minha missão. Eu orei naquele dia, e disse a Deus, que eu queria dizer a mesma coisa. Eu quero estar em um de Teus serviços. E, isso mudou tudo. O poder e a frequência dos sussurros cresceu a medida que agia segundo eles. Queria ter aprendido isso antes. Muitas vezes isso nos levou a tanto aqueles que estavam prontos para serem batizados, quanto para aqueles que estavam prontos a voltar para a Igreja.

4. Muito provavelmente será a coisa mais difícil que você já fez.

Você vai estar com outra pessoa 24 horas/7 dias por meses a fio (6 meses foi meu maior tempo com um companheiro, ainda bem que nos dávamos muito bem). Aprender a como se comunicar é vital. Aprender a como estabelecer expectativas é importante. Você PRECISA aprender a amar seu companheiro.

Você também precisa aprender a trabalhar. Trabalhar duro é um importante traço da obra missionária. Caminhar não é divertido. Contudo, você pode aprender aproveitar o que conseguir disso. É muito mais proveitoso caminhar com um amigo que você pode conversar do que caminhar em silêncio. Aprenda a amar isso. Sirva um ao outro. Ore pela família e amigos de seu companheiro durante a oração com o companheiro. Isso derrete a raiva como o sol derrete a geada pela manhã.

5. O Momento “Aha!” vale tudo.

É difícil de expressar quão incrível quando você ama alguém, e você está orando por alguém, e então durante uma lição eles tem o momento “Aha!”. Você vê tudo, ocorre um clique, e eles dizem: “É verdade”. Tudo que posso dizer é que o Espírito quando isso acontece é muito poderoso, te faz sentir como se tivesse um milhão de dólares, e você se sente disposto a bater em mil portas só para sentir isso novamente.

 

REFERÊNCIAS:
[1]. O Canto do Coração, Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Heber J. Grant, 2011
[2]. On the Lord’s Errand: The Life of Thomas S. Monson (2008)
[3]. President Thomas S. Monson: Man of Action, Man of Faith, Always “on the Lord’s Errand” By Jeffrey R. Holland President of Brigham Young University, Ensign, February 1986

 

Artigo original em mylifebygogogoff.com. Traduzido por Lucas Castro.