O que você diria para alguém que tentou muito – talvez por anos – vencer um vício ou superar uma fraqueza – e não conseguiu? Essa pessoa talvez pense que é impossível mudar, impossível se arrepender. Essa pessoa pode ter ferido e magoado outros devido a seu comportamento. Pode estar sentido o desespero que vem devido a iniquidade. Entretanto, mesmo para os casos mais angustiantes e aparentemente insolúveis existe um caminho. E o caminho é esse:

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (João 14:6)

Ir ao Pai significa ser salvo, salvo de todo mal, pecado e morte. Jesus Cristo é o caminho, é o meio, para vencermos as fraquezas, os erros, os pecados – e nos tornamos novas criaturas. Ele é a chave para corrigir nosso rumo, salvar relacionamentos e remediar qualquer situação.

Não importa se você ou outra pessoa falharam repetidas vezes. Não importa com negro seja o pecado. Temos a garantia divina se formos ao Senhor:

“Vinde então, e argüi-me, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.” (Isaías 1:18)

Como achamos o caminho, como vamos até o Senhor?

O primeiro passo é desejarmos encontrá-lo. Precisamos buscá-lo cm intensidade:

“Buscai-me em cada pensamento; não duvideis, não temais.” (D&C 6:36)

Para colocarmos Deus em cada pensamento podemos cantar hinos, ler e ponderar escrituras, ouvir discursos das Conferências Gerais, etc. A medida que ponderamos Sua Palavra, ela se torna viva e eficaz – e mais poderosa para mudar nosso comportamento do que qualquer coação física, como uma arma apontada pra nós (Alma 31:5).

Mudanças profundas não podem ser feitas sozinho. Precisamos de Deus. Alguns pecados precisam ser confessados. Depois de falarmos com o bispo, talvez tenhamos que confessar os pecados a nossa esposa ou marido ou a outras pessoas que ofendemos e magoamos.

O bispo poderá nos dar metas e fazer planos para progredirmos em nosso arrependimento. Talvez seja necessário até mesmo a excomunhão como parte do processo de arrependimento. Mas o Senhor garante que se dermos os primeiros passos Ele vai nos ajudar.

O Presidente Thomas S. Monson disse:

“Precisamos ter em mente que as pessoas podem mudar. Elas podem abandonar maus hábitos. Podem arrepender-se de transgressões. Podem portar dignamente o sacerdócio. E podem servir ao Senhor diligentemente.

Nas décadas de 1940 e 1950, um carcereiro americano, Clinton Duffy, ficou muito conhecido por seu trabalho de reabilitação de homens em sua prisão. Um crítico disse: “Você devia saber que cães velhos não aprendem truques novos!”

Clinton Duffy respondeu: “Você devia saber que não trabalho com cães, trabalho com homens, e os homens mudam todo dia”. (“Ver os outros como eles podem vir a ser”, Conferência Geral outubro de 2012)

Podemos, por meio da Expiação de Jesus Cristo, mudar. O primeiro milagre publico do Salvador foi transformar a água em vinha. Isso é um simbolo para nós: podemos ser substancialmente modificados. Podemos ser completamente transformados. É disso que se trata o evangelho do Senhor: a mudança da alma.

O Elder Jeffrey R. Holland ensinou:

“Mas, por mais tardios que se imaginem, por mais chances que achem que perderam, por mais erros que sintam ter cometido ou talentos que achem que não têm, ou por mais longe do lar, da família e de Deus que achem que se afastaram, testifico-lhes que vocês não foram para além do alcance do amor divino. Não lhes é possível afundar tanto a ponto de não ver brilhar a infinita luz da Expiação de Cristo.” (Conferência Geral abril de 2012)

Se todas as suas tentativas até agora falharam, tente novamente. Nada é impossivel com Deus. Se você cair, torne a se levantar. O Senhor disse sobre Oliver Granger, um santo do passado:

“Quando ele cair, tornará a erguer-se, pois seu sacrifício ser-me-á mais sagrado que seu crescimento, diz o Senhor.” (D&C 117:13)

Não podemos esperar ter sempre sucesso, mas podemos tentar fazer o melhor possível.

“Pois eu, o Senhor, julgarei todos os homens segundo suas obras, segundo o desejo de seu coração.” (D&C 137:9)

Relacionado:

Não dê tempo para o pecado