Filhas do Pai Celestial

De todos os títulos que Deus escolheu para Si mesmo – dentre eles: Todo-Poderoso, Altíssimo, Santíssimo, Homem de Santidade e Ser Supremo –, aquele que mais O agrada, creio com firmeza, é o de Pai Celestial.

Ele é, literalmente, o Pai de nossos espíritos. É um Deus pessoal, com corpo e espírito glorificados, santos e eternos. Assim, Ele anseia que nos relacionemos com Ele pessoalmente, como Seus filhos e filhas. Afinal, não somos meras criaturas nem obra do acaso.

A respeito disso, a Primeira Presidência de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, declarou solenemente em A Família: Proclamação ao Mundo:

Todos os seres humanos – homem e mulher – foram criados à imagem de Deus. Cada indivíduo é um filho (ou filha) gerado em espírito por pais celestiais que o amam e, como tal, possui natureza e destino divinos.”

O Presidente Gordon B. Hinckley, na condição de profeta de Deus, ensinou:

A mulher é a suprema criação de Deus. Somente após a criação da Terra, após a separação do dia e da noite, após a divisão das águas e da porção seca, após a criação da vida vegetal e animal e após o homem ser posto sobre a Terra a mulher foi criada; e só então o trabalho foi dado por completo e bom.

De todas as criações do Todo-Poderoso, nenhuma é mais bonita nem mais inspiradora do que uma graciosa filha de Deus que anda em virtude, com entendimento dos motivos para tanto, que honra e respeita seu corpo como algo divino e sagrado, que cultiva sua mente e constantemente amplia os horizontes de seu entendimento, que nutre seu espírito com a verdade eterna”.

(“Our Responsibility to Our Young Women”, Ensign, setembro de 1988, p. 11)

Voltando para A Família: Proclamação ao Mundo, lemos no restante do parágrafo que citei acima o seguinte:

O sexo (masculino ou feminino) é uma característica essencial da identidade e do propósito pré-mortal, mortal e eterno de cada um”.

Não, definitivamente, não estamos aqui à toa nem somos mulheres apenas por causa da combinação de cromossomos na nossa constituição orgânica! 🙂 Conforme declaramos no início do Declaração da Sociedade de Socorro:

Somos amadas filhas espirituais de Deus e nossa vida tem significado, propósito e direção”.

Sinceramente, não posso encontrar palavras para descrever minha gratidão e senso de responsabilidade por saber que, desde antes da fundação do mundo, o Pai Celestial espera que eu cumpra, dentro do Seu plano eterno de felicidade e redenção, meu papel como mulher.

Hoje vejo com clareza que quem acredita que os homens estão em alguma posição de vantagem por serem portadores do sacerdócio NÃO compreende o Plano de Salvação. O ensinamento de Paulo aos habitantes de Corinto é uma verdade eterna: “nem o homem é sem a mulher, nem a mulher sem o homem, no Senhor” (I Coríntios 11:11). A mulher tem um papel vital dentro do Plano Eterno de Deus. Sem ela, nem o próprio Salvador Jesus Cristo teria nascido para cumprir Sua missão e nos resgatar da morte. Os dois, homem e mulher, têm a mesma importância e valor perante Deus.

Mas não é isso que o mundo tenta nos ensinar. Satanás, através de idéias distorcidas, quer nos distrair do propósito por que viemos à Terra. Uma vez que seu objetivo é nos tornar tão miseráveis quanto ele próprio (2 Néfi 2:27), ele nos dá um modelo inferior, antinatural e desprezível, segundo o qual as mulheres precisam ser ora agressivas e masculinizadas, ora sensuais e acéfalas, para serem estimadas pelos homens e pela sociedade. Quanta mentira! Quanto vazio! Quanta dor desnecessária!

O Presidente Hinckley nos ensina:

Vocês, irmãs, são as verdadeiras construtoras da nação onde vivem, pois formam lares onde existe força, paz e segurança. Isso constitui o verdadeiro sustentáculo de qualquer país”.

Mulheres dedicadas ao lar e à família são vistas pela sociedade como “amélias”, passivas, mal sucedidas e despreparadas. Eu olho as mulheres da minha família e vejo força, habilidades diversas e realizações. Algumas trabalham fora e outras não, mas, no geral, todas se saem muito bem em vários papéis. As mulheres de quem se falam que “ficam só em casa”, são, na verdade, economistas, administradoras, psicólogas, sociólogas, professoras, enfermeiras, companheiras, mães e muito mais. Na Igreja, somos professoras-visitantes, líderes, professoras de religião, missionárias, regentes, pianistas, coralistas, discursantes, consultoras…

Somos e fazemos tanto! Muitas vezes, porém, nos sentimos desanimadas, frustradas e fracassadas. Às vezes parece que não conseguimos realizar todas as coisas e todos os papéis tão bem… Há horas em que pensamos: “Eu? Coitada de mim, que não sou nenhuma Eva, nenhuma Rute, nenhuma Emma Smith! Não tenho a força delas”. Irmãs, olhem-se bem: quem mais faria tanta coisa com tanta maestria, paciência e amor? É claro que há horas em que o desânimo bate. Quando isso acontecer, orem ao Pai Celestial, aquele mesmo Ser Supremo, Criador de todo o universo em detalhe e perfeição, de que falei no começo deste artigo e peçam-Lhe auxílio e consolo. Confiem Nele. Contem as bênçãos recebidas. Procurem sorrir. Sejam altruístas. Prestem serviço (não conheço melhor remédio contra a solidão e o desânimo). Sintam orgulho de ser mulheres. Desenvolvam sua feminilidade. Acreditem: tem dado muito certo comigo! 😉

O Presidente James E. Faust, falando às moças da Igreja, declarou:

Um de seus dons mais especiais, preciosos e sublimes é a feminilidade, com a graça, a doçura e a divindade que lhes são peculiares. A feminilidade não se resume a batom, penteados da moda e roupas elegantes. É o adorno divino da humanidade e encontra sua mais nobre expressão nas suas qualidades, na sua capacidade de amar, sua espiritualidade, delicadeza, luminosidade, sensibilidade, gentileza, criatividade, charme, graciosidade, dignidade e força sutil. Apesar de manifestar-se de forma diferente em cada menina ou mulher, cada uma de vocês possui essa feminilidade que faz parte de sua beleza interior”.

(“Ser Mulher: A Mais Elevada Posição de Honra”, A Liahona, abril de 2000)

Sou infinitamente grata por saber disso! Convido as irmãs de toda a parte do mundo, que consigam compreender minha mensagem, a meditarem a respeito dela. Orem ao Pai e perguntem se esse é, de fato, o modelo Dele. Homens, meus irmãos em todo o mundo, convido-os a apreciam a verdadeira feminilidade. Vocês também são responsáveis por seu entendimento real nas vidas das mulheres com quem convivem: esposas, filhas, mães, irmãs, primas, amigas…

Oro para que o Espírito testifique a todos essas verdades eternas, tal como testificou a mim (É: eu já acreditei no modelo do mundo…). Junto com minha oração sincera, deixo uma última citação:

Deus confiou às mulheres desta Igreja um trabalho a realizar na edificação de Seu reino. Isso se refere a todos os aspectos de nossa tripla responsabilidade, que é: ensinar o evangelho ao mundo; fortalecer a fé e promover a felicidade dos membros da igreja; e levar avante a grande obra de salvação para os mortos.(…)

Vistam seus belos vestidos, ó filhas de Sião. Vivam à altura de sua grandiosa e magnífica herança que o Senhor Deus Seu Pai Celeste lhes reservou (…) Saibam que são filhas de Deus (…) Andem ao sol de cabeça erguida, sabendo que são amadas e honradas, que fazem parte do Seu reino e que há um grande trabalho a ser feito por vocês e que não pode ser deixado para os outros”.

(Pres. Gordon B. Hinckley, “Live Up to Your Inheritance”, Ensign, novembro de 1983, p. 83)

| Inspiração

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *