O mormonsud.net publica semanalmente comentários que ajudam no estudo das lições da Escola Dominical do Curso de Membros Adultos da Igreja. A ordem das lições apresentadas nas alas e ramos da Igreja podem sofrer alguma variação devido aos calendários locais – que incluem conferências de alas e Estaca. Caso os comentários abaixo não se apliquem a lição que será apresentada na sua classe de Escola Dominical neste próximo domingo, você ainda poderá se beneficiar da leitura do texto abaixo, para reforçar algo já aprendido ou observar algo que será debatido em um futuro próximo.

 

“Ele convida Todos a Virem a Ele” – Lição 10

Jesus, o bom pastor

Imagem via lds.org.

O objetivo desta aula é entender que por meio da restauração do evangelho e dos ensinamentos do Livro de Mórmon, o Senhor fará com que a verdade triunfe sobre o mal. Uma lição, portanto, muito apropriada para os tempos em que vivemos.

Vamos realçar apenas um ponto entre os incríveis e preciosos ensinamentos dos capítulos da lição. Centralizaremos nosso artigo em 2 Néfi 28.

Néfi viu nossos dias. Ele sabia precisamente o que enfrentaríamos. Felizmente, ele também nos deu chaves para vencermos as dificuldades.

Néfi profetizou que, nos últimos dias, as pessoas negariam o poder de Deus e ensinariam doutrinas falsas, vãs e tolas. (2 Néfi 28:3–9; ver também 2 Néfi 26:20–21.)

Néfi também descreveu a falsa doutrina que as pessoas usariam para justificar seus pecados. A racionalização é um grande mal. A racionalização é inventar desculpas para atitudes inaceitáveis. É procurar um modo de aliviar a nossa consciência depois de fazermos algo que saibamos ser errado. Sobre isso, o Elder Richar G. Scott, que serviu como membro dos Doze Apóstolos, ensinou:

“Nunca comprometa seus princípios. A força e a segurança ocorrem por não criarem exceções a eles. Não importa que pareça que as condições justificam que se afaste deles. Não o faça. A racionalização leva a pessoa a pegar uma verdade e torcê-la para justificar exceções inválidas. A racionalização é a ferramenta de Satanás para afastar alguém da verdade. As dificuldades da vida se iniciam quando se justificam os pequenos desvios dos padrões com base nas circunstâncias. Os indivíduos que vivem para o momento presente tomam decisões com base nas circunstâncias ou nas coisas que outros os incentivam a fazer. No final eles se autodestruirão por violar a lei eterna e por minar as grandes oportunidades da vida. Parecem ter uma vantagem, mas ela é temporária. Eles perdem as coisas que trazem a felicidade eterna. Ao fundamentar sua vida na verdade, você terá o sucesso e a felicidade assegurados.” (A Liahona, Agosto de 2002)

Néfi também previu que as pessoas nestes últimos dias se encheriam de orgulho. (2 Néfi 28:12–15).  Néfi ensinou que o orgulho faria com que muitas pessoas “[roubassem] os pobres”. (2 Néfi 28:13)

Satanás, disse o profeta Néfi, pacificaria as pessoas e as “[acalentaria] com segurança carnal”. (2 Néfi 28:21) Ter segurança carnal é encontrar segurança na satisfação dos apetites da carne ou na confiança em objetos ou idéias do mundo. E Satanás faz isso “cuidadosamente” (2 Néfi 28:21).

O Élder James E. Faust fez a seguinte analogia:

“Thomas R. Rowan (…) disse: ‘O autor e comentarista Malcolm Muggeridge certa vez contou uma história sobre alguns sapos que foram mortos sem oferecer resistência, fervidos vivos em caldeirão de água. Por que eles não resistiram? Porque quando foram colocados no caldeirão, a água estava apenas morna. Em seguida, contudo, a temperatura subiu um pouco (…) e mais um pouco e continuou a esquentar. A mudança foi tão gradual, quase imperceptível, que os sapos se acostumaram ao novo ambiente, até que já era tarde demais. O que o Sr. Muggeridge quis ensinar não dizia respeito a sapos e sim a nós e como tendemos a aceitar o mal quando ele não nos é apresentado de forma chocante abrupta. Somos inclinados a aceitar alguma coisa moralmente errada se ela for apenas um pouco mais errada que algo aceitável para nós.” (National Press Club Forum) 

Depois de usar essa analogia, o Élder Faust afirmou: “Esse processo gradual foi previsto pelos profetas antigos”. (Ensign, maio de 1989, p. 32)

Para concluir, citamos o Presidente Ezra Taft Benson, que declarou:

“O Livro de Mórmon expõe os inimigos de Cristo. Confunde doutrinas falsas e põe fim a contendas. (Ver 2 Néfi 3:12.) Fortalece os seguidores humildes de Cristo contra as doutrinas, estratégias e desígnios malignos do diabo em nossos dias. Os apóstatas do Livro de Mórmon são semelhantes aos que vemos hoje. Deus, em Sua infinita sabedoria, fez o Livro de Mórmon de tal forma que pudéssemos enxergar o erro e saber como combater os falsos conceitos educacionais, políticos, religiosos e filosóficos da atualidade”. (Ensign, maio de 1975, p. 64)

Ao rejeitarmos as ideias que provém de Satanás e de seus seguidores estaremos aceitando o convite de ir até Cristo. Que possamos perceber as armadilhas do Inimigo de Retidão e não ceder ao orgulho, vaidade e racionalização.