estudo das escriturasUma amigo me confidenciou: “Meu estudo das escrituras esta monótono. Não esta sendo como antes. Na missão meu estudo era cheio de vigor e Espírito. Mas agora, parece que nunca aprendo algo novo.” Então ele me perguntou: “Como tornar o estudo das Escrituras diário uma experiência sagrada e bem-sucedida?

Fiquei grato pela confiança que ele depositou em mim. Mas não sei se eu poderia dar-lhe a resposta que ele precisava. Fiz o melhor que pude, em espírito de oração. A pergunta dele, porém, me fez refletir sobre meu próprio estudo. Listei então algumas coisas que podem ajudar todos nós a termos um estudo eficaz:

  1. É preciso entender a importância do estudo das escrituras. O Senhor ordenou que examinássemos as escrituras diligentemente (João 5:39, D&C 1:37, 1 Néfi 10:17-19, 3 Néfi 23:1). É preciso compreender que Ele nos deu este mandamento para nosso bem-estar. Nosso estudo deve ser prioridade. Esta acima do entretenimento, estudo secular e descanso. Evidentemente devemos cumprir nossas tarefas e responsabilizardes familiares, escolares e laborais. Mas o estudo das escrituras deve ser nosso esforço prioritário, pois nos ajudará em todos os aspectos de nossa vida.
  2. Devemos ter um horário reservado todo dia para estudar o evangelho (Eclesiastes 3:1-8). Estudar o evangelho é mais do que meramente ler uma parte das obras-padrão. Daí, porque, às vezes nosso estudo é vazio. Não compreendemos, e nada fazemos a não ser ler. É preciso ter disciplina. Os primeiros 15 dias são os mais difíceis. Mas se você conseguir estudar por duas semanas é bem provável que estabelecerá um hábito – e isso facilitará as coisas.
  3. Orar, ler, ponderar e convidar o Senhor para nos ensinar é parte importante do estudo diário (D&C 9:7-8). É preciso tempo para ponderar. O silêncio é muitas vezes o momento em que Deus nos falará.
  4. Algo que sempre me ajuda é estudar o evangelho com uma pergunta em mente. Na maioria das vezes escrevo essa pergunta, e durante a leitura das escrituras medito sobre ela (D&C 138:5, 11; 1 Néfi 11:1-2). Em muitas ocasiões me prendo em um único versículo.
  5. Não precisamos ter pressa para ler. Sei que a primeira vez que lemos o Livro de Mórmon, por exemplo, é bom que o leiamos rapidamente, para termos uma visão geral do texto. Mas o estudo mais eficaz é um processo cauteloso, onde a analise espiritual exige tempo.
  6. Ajuda quando escrevemos o que aprendemos, pois assim mostramos que somos gratos pelo que o Senhor nos revela, e que estamos desejosos de receber mais. Por causa do uso correto de nosso arbítrio, o Senhor nos dá mais revelações. Um Estudo vigoroso é um estudo em que o Espírito Santo esta presente.
  7. Não devemos ter medo de perguntar qualquer coisa ao Senhor. Ele tem poder para responder todas as perguntas. E sei que ele responde. Às vezes a resposta é encontrada num versículo, às vezes numa citação dos profetas, às vezes o Senhor revela por sonho, visão ou ministração de anjo e às vezes só diz: “meu filho, você entenderá isso mais tarde – deixe esse assunto para depois”. De qualquer maneira um estudo com fé, sempre gera poder. E uma das manifestações mais recorrentes do poder de Deus durante o estudo é a revelação. Entretanto, muitas vezes há um tempo entre a pergunta e a resposta, para que possamos exercer fé e ser provados. Receber revelação é o que faz o estudo deixar de algo monótono e passar a ser algo incrível.
  8. Além de tudo isso, podemos estudar o evangelho procurando ajudar nossos alunos, familiares ou liderados – um estudo guiado pelo dom da caridade sempre aumentará o conhecimento.
  9. Haverá ocasiões em que não teremos vontade de estudar ou orar. Mas devemos fazê-lo mesmo assim. Se escolhermos estudar mesmo quando não temos vontade perceberemos que o Espírito substituirá a preguiça e a má vontade gradualmente. E no final de nosso estudo sentiremos que fizemos o certo. Com o tempo, o estudo das escrituras se tornará delicioso.
  10. Quanto mais aplicarmos a nossa vida o que aprendemos (agindo com retidão) mais nosso estudo se tornará melhor, pois estaremos mais próximos de Deus. E quanto mais próximos de Deus, mas conhecimento adquirimos.
  11. Por último quero dizer que cada um de nós é responsável por achar um método de aprendizado. Alguns estudo por tópicos, outros por sequência. Alguns escrevem muito, outros pouco, alguns analisam as escrituras por temas e relacionam versículos, e outros, mais modestamente, apenas fazem uma marca na palavra-chave do versículo. Cada um de nós deve achar a maneira melhor de aprendermos. Muitos dos profetas nos dão conselhos sobre como melhorar nosso estudo. Podemos e devemos estar atentos ao que eles dizem e melhorar.

O guia Pregar meu Evangelho, no capítulo 2, dá excelentes dicas de como melhorar o estudo. O uso de mapas, referências e a dica de que devemos estudar numa mesa ou escrivaninha e remover toda e qualquer distração são apenas alguns dos recursos lá mencionados. Convido todos a estudarem aquele capítulo e procurarem onde melhorar. Um bom serão, discurso ou livro não substituem o estudo pessoal das escrituras. Há certas coisas que o Senhor só irá nos dizer se nos propulsemos a estudar sua palavra diligentemente em particular. Alguns dizem que não tem tempo para estudar as escrituras, e outros o fazem de mau vontade, apenas para dizerem a si mesmos ou aos outros que estudam sempre. Esses dois tipos de pessoas nunca aprenderão os mistérios de Deus. Mesmo que tenhamos pouco tempo em uma rotina difícil, devemos buscar primeiro o reino de Deus e sua justiça. Então, o Senhor, que entende nossas limitados e dificuldade, não nos deixará sozinhos, e teremos um estudo vigoroso, andando em novidade de vida.