Como a ansiedade impacta a vida na Igreja e o que os podemos fazer para ajudar

No mais recente episódio do podcast do Church News, o Élder Marcos A. Aidukaitis compartilhou sua experiência com a ansiedade e como podemos usar os recursos disponíveis e ajuda profissional quando necessário.

Alguns anos atrás, como um jovem pai no Brasil, o Élder Aidukaitis passou por várias mudanças em um curto período de tempo, o que desencadeou sentimentos de preocupação e ansiedade que se tornaram incontroláveis.

Sua esposa estava grávida e corria um alto risco de perder o bebê, e um membro da família estava lutando contra um sério problema de saúde. No trabalho, ele foi ameaçado caso o prazo de um projeto não fosse cumprido. E na Igreja, suas responsabilidades eclesiásticas como presidente de estaca eram muito pesadas.

Ao relembrar sua experiência, o Setenta disse: “Comecei a me preocupar muito com algumas dessas coisas. Isso se tornou muito mais forte e, no final, fiquei deprimido”.

“Aquele foi um período muito difícil da minha vida, um período muito sombrio da minha vida. Gostaria de ter conseguido encontrar ajuda muito mais cedo para evitar que isso acontecesse. Eu realmente não sabia para onde ir”.

Hoje, mais recursos estão disponíveis e aqueles que precisam de ajuda profissional devem procurá-la, disse o Élder Aidukaitis.

“Devemos procurar pequenos sinais de nervosismo, de preocupação, de angústia emocional, para que, se possível, evitemos que essas coisas se desenvolvam mais, da forma como aconteceu comigo, por exemplo”.

Além do Élder Aidukaitis, o podcast contou com a presença da irmã Carol Costley,  do conselho de ajuda geral das Moças e G. Sheldon Martin, conselheiro de saúde mental licenciado e gerente de tópicos especiais do Departamento de Sacerdócio e da Família da Igreja.

Eles conversaram sobre o que indivíduos, famílias e líderes podem fazer para ajudar pessoas que lutam contra a ansiedade.

Eles convidaram os santos dos últimos dias para explorar a seção Esperança e Ajuda no ChurchofJesusChrist.org e no aplicativo Biblioteca do Evangelho.

Esta ferramenta fornece ensinamentos centralizados no evangelho e apoio para uma variedade de desafios da vida, o que inclui saúde mental e emocional.

Os principais objetivos do Esperança e Ajuda são: “aumentar a esperança de alguém no evangelho de Jesus Cristo e fornecer ajuda prática para saber como prosseguir”, disse Martin.

“Jamais devemos minimizar o papel e a importância do tratamento médico e dos profissionais e provedores, e o papel que o Salvador pode desempenhar de forma única na vida de alguém”.

A ansiedade e o perfeccionismo na Igreja

O irmão Martin falou sobre como a ansiedade faz parte da jornada mortal e como por um lado poder ser saudável e motivadora, mas como por outro, a ansiedade pode ser um diagnóstico clínico.

Diferentes níveis de ansiedade neste espectro podem impactar os santos dos últimos dias de todas as idades, origens e experiências, inclusive no ambiente da igreja, onde as oportunidades para alguém se sentir ansioso são muitas, ele continuou.

Por exemplo, alguns podem se preocupar com o que os outros pensam deles quando vão à igreja; outros podem se preocupar em ter que se encontrar com um líder para uma entrevista. Alguns podem lutar contra o perfeccionismo no evangelho e sua posição perante o Senhor.

“Estar ciente disso pode ser muito útil ao ministrarmos uns aos outros”, disse Martin.

Assim como a experiência do Élder Aidukaitis, às vezes as responsabilidades em casa, no trabalho e na igreja podem se tornar opressivas. Martin recomendou viver o princípio da “negligência inspirada”.

“Podemos ser discípulos de Cristo e nos esforçar para ser o que Ele deseja que sejamos, mas isto não significa que temos que completar todos os itens de uma lista de tarefas. Algumas coisas simplesmente não serão feitas”.

E para aqueles que lutam contra o perfeccionismo no evangelho: “Acho que é muito importante que nos concentremos nas mensagens principais de nos esforçarmos para nos tornarmos como o Salvador, que estamos na estrada e que primeiro queremos direção e depois velocidade”.

O que podemos fazer como pais e família

A irmã Costley falou sobre como hoje em dia os jovens enfrentam pressão para ter sucesso em todos os aspectos de suas vidas.

Ela também falou sobre como eles são vítimas da ‘cultura da comparação’ nas redes sociais. Para os jovens, a ansiedade “é uma coisa real”.

Para os jovens que fazem muitas coisas ao mesmo tempo, ela disse “de vez em quando, acho importante dar um passo para trás, respirar e realmente olhar para o que é importante”.

A irmã Costley também disse que manter o relacionamento pai-filho é “fundamental” para ajudar e curar.

À medida que os pais se afastam de reforçar tendências ou comportamentos perfeccionistas, eles ajudam seus filhos a aprender que “a vida é crescer, mudar e se tornar melhor, mas não necessariamente perfeita”.

Sobre suas experiências como mãe ela compartilhou, “Às vezes, nossa visão fica turva porque temos uma história que previamente escrevemos para nossos filhos. É tão fácil personalizar e assumir a culpa, e então perdemos o rumo de como podemos ajudar nossos filhos”.

Dispensas e julgamentos precipitados podem causar uma barreira em um relacionamento, mas “ouvir e validar realmente são a chave”.

“Não tenha medo de pedir desculpas ou pedir para fazer tudo de novo”, disse a irmã Costley.

“Eu realmente acredito que ao orarmos para identificar metas que os ajudem em seus desafios, seremos capazes de ser um recurso, além do Salvador, em suas vidas”.

O que líderes e irmãos e irmãs ministradores podem fazer para ajudar

amor

Ao oferecer ajuda e apoio às pessoas que lutam contra a ansiedade, “acredito que um mentor de confiança é a chave para todos”, disse o Élder Aidukaitis.

“Quando somos convidados a ser irmãos ou irmãs ministradores, estamos realmente sendo convidados a ser como o Salvador, como Ele era”, disse ele.

Como irmãos e irmãs que ministram são sensíveis aos sussurros do Espírito, eles serão capazes de identificar oportunidades de ajudar, e não apenas as pessoas a quem foram designados para ministrar.

Em Atos, o apóstolo Paulo teve uma visão de um homem que orou, “se apresentou da Macedônia, e lhe rogou, dizendo: Passa à Macedônia, e ajuda-nos.” Depois daquela visão, Paulo Escreveu, “procuramos partir para a Macedônia” (Atos 16:9-10).

Sobre a experiência de Paulo, o Élder Aidukaitis disse, “Eu realmente acredito que há muitas pessoas ao nosso redor que estão fazendo esta mesma oração, ‘venha e nos ajude’. Eu gostaria que estivéssemos em sintonia com o Espírito, para que pudéssemos sentir e agir imediatamente”.

Ao recordar o difícil período de depressão em sua vida, o Élder Aidukaitis disse: “Agora sei que a ajuda está literalmente na ponta de nossos dedos e podemos acessá-lo de onde estivermos”.

“Agora também sei que de uma forma mais profunda que o maior mentor que temos é de fato nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo. E ele conhece esses sentimentos de uma maneira pessoal. Não devemos esquecer disso. Ele tomou sobre si as nossas enfermidades. Ele entende ‘como socorrer seu povo, de acordo com suas enfermidades’ (Alma 7:12)”.

“Se seguirmos os princípios e orientações encontrados no Esperança e Ajuda e no evangelho de Jesus Cristo, com certeza resolveremos a maioria dos problemas de nossa vida.”

Você pode conferir episódio completo em inglês do podcast com a participação do Élder Aidukaitis aqui.

Fonte: Church News 

| Inspiração

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *