Autossuficiência: um elemento essencial de bem-estar físico e espiritual.

“Autossuficiência é a capacidade, o compromisso e o esforço de satisfazer as necessidades espirituais e materiais da vida para si próprio e a família. À medida que se tornam autossuficientes, os membros [da Igreja] também estão mais capacitados para servir e cuidar dos outros” (Manual 2, item 6.1.1)

A fé é um princípio de ação

Natália e Ricardo Pinheiro completam 15 anos de casado este ano, e ambos são membros da Igreja de Jesus Cristo dos Últimos Dias.

Eles sempre foram muito independentes quando criança, e buscaram sua independência financeira desde cedo.

Ela já arrumou a casa de velhinhas, vendeu salgado de porta em porta. Ele trabalhou como office boy, vendeu geladinho (dependendo da região do Brasil onde você mora, pode ser chup-chup, dimdim ou sacolé).

Já adultos, Ricardo tinha um trabalho muito estável. Mesmo assim Natália preferiu trabalhar e chegou a ter três empregos ao mesmo tempo para que pudesse ajudar seu esposo e para que pudessem construir um lar para sua família.

“Logo depois, meu primogênito nasceu, continuei trabalhando e depois de um tempo parei e me dedique ao lar, depois de alguns anos voltei a trabalhar. Então, tive meu segundo filho e depois de um tempo parei novamente. Enquanto isso meu marido tinha dois empregos e assim fomos vivendo nossa vida”.

E como muitas outras famílias, a pandemia os atingiu. Ricardo perdeu seu emprego, o que cobria 90% de sua renda familiar e oferecia a estabilidade que a família precisava.

Apesar dos desafios do desemprego, ele não desanimou e resolveu fazer um curso de barbeiro. Aos poucos ele foi conquistando novos clientes e fez o seu negócio crescer.

Além da nova atividade profissional, ele também é motorista de aplicativo. Sobre os novos desafios de seu esposo, com bom humor Natália compartilha:

“Hoje, é ele que tem 3 empregos, porque além dessas duas profissões, ele ministra aulas de Educação Física na escola que nossos filhos estudam e assim estamos nos virando”.

Depois de dedicar alguns anos para cuidar de seus filhos e com os novos desafios financeiros de sua família, Natália conta que viu a necessidade de fazer algo para ajudar seu companheiro.

“Como sempre gostei de cozinhar, resolvi fazer um curso de confeitaria de um dia, depois comecei a ver cursos online e pedi ajuda para minhas amigas confeiteiras quando necessário, e assim fui pegando uma encomenda aqui outra ali, com o dinheiro que eu ganho, consigo pagar o aluguel e comprar comida”.

Mesmo com todos os desafios, Natália e Ricardo nunca estiveram sozinhos e sabem que podem contar com a ajuda celestial para os ajudar.

Ao compartilhar seu testemunho sobre os desafios de desempenhar sua nova profissão, Natália falou sobre sua ansiedade e como conta com a ajuda do Senhor para a ajudar.

“Para me manter centrada eu começo fazendo oração e peço ao Senhor para me ajudar e me orientar e tem dado super certo. O senhor tem me mostrado que se realmente quisermos fazer dar certo, Ele vai estar ao nosso lado”.

“As mudanças financeiras que aconteceram em nossa família, vieram com uma porção de medo e insegurança, o Senhor aos poucos vem nos mostrando um caminho que não é fácil, mas que está nos ajudando ter mais confiança e fé Nele e fazer prova de Suas promessas. Sei que o Senhor quer o melhor para os Seus filhos e que cumprindo o mandamento do dízimo, as janelas do céu serão abertas e as bênçãos virão”, compartilha Ricardo.

Descobrir novos talentos

Mareli Von der Osten tem 61 anos, é mãe de três filhos e avó. Desde os 34 anos ela criou seus filhos pequenos sozinha e seu salário mensal não era suficiente para manter sua família. Então, ela conta que teve “que descobrir quais eram [seus] dons e partir para luta”.

“Sempre fui muito habilidosa com trabalhos manuais, mas minhas condições não me permitiam fazer nenhum curso então comprei algumas revistas de bordado e comecei a bordar palas de pijama que minha irmã montava e vendia na feirinha”.

Quando começou a bordar para sua irmã, sua situação financeira melhorou e depois de um tempo, sua irmã fez a proposta para que elas trabalhassem juntas em tempo integral.

Porém, o convite exigia que Mareli soubesse costurar e mais uma vez ela teve que aprender algo novo, e para isso ela conta:

“Foi aí que comprei um vestidinho, desmontei, passei o molde para o papel, montei e desmontei várias vezes até aprender e assim me tornei especialista em vestidos infantis e consegui dar uma vida digna aos meus filhos”.

O Evangelho de Jesus Cristo fortaleceu Mareli e a ajudou a ter a perseverança necessária para que ela pudesse criar seus filhos com a força do seu trabalho.

“O evangelho me ajudou a ganhar confiança em mim mesma e a ter certeza do amor do Salvador por mim e pelas mulheres. Ele sempre me inspirou e me deu forças para recomeçar”.

Quando as mudanças de sua profissão vieram, ela teve que se reinventar, sair de sua zona de conforto e começou a trabalhar com uma linha de roupas para bebê e pijamas adulto e infantil, além de desenvolver uma linha diferente de vestidos.

Ela reconhece e agradece seu Pai Celestial, que sempre está ao seu lado em seus desafios e a inspira para que ela descubra seus talentos.

“Os resultados físicos é que tenho uma vida tranquila, com uma mente saudável e disposição. Sou feliz por ter ensinado meus filhos o valor do trabalho e a confiança de que o Pai Celestial e seu Filho, Jesus Cristo, jamais nos abandona e que milagres são realizados todos os dias”, conta Mareli.

A autossuficiência não é só um princípio temporal, mas espiritual também, o Presidente Dieter F. Uchtdorf ensinou: “Como as duas faces de uma moeda, o temporal e o espiritual são inseparáveis”.

Criar o nosso próprio caminho

As gêmeas Tais e Taimara Cordeiro têm 28 anos e são membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias há 8 anos. Ambas aprenderam a importância da autossuficiência em suas vidas. Hoje, elas moram juntas e estão em busca da independência financeira.

Taimara está no 3º ano de Contabilidade, e trabalha como auxiliar administrativa. Taís é formada em Análise de Desenvolvimento de Sistemas e está em busca de uma oportunidade de emprego em sua área de formação.

Ambas participaram da Semana da Educação 2020 e viram o evento como uma oportunidade de aprendizado e experiência para buscar novas oportunidades no mercado de trabalho.

Taimara compartilhou que aprendeu que deve criar seu próprio caminho, e que não deve ficar de braços cruzados.

“Uma frase que me ajuda muito e que aprendi na Semana da Educação é que ‘não podemos prever o futuro, mas podemos cria-lo’ e é por isso que desde do ano passado tenho colocado metas novamente em minha vida, e tem funcionado”.

“Eu sei que todas as coisas são de Deus e sei que quando somos sinceros com o Senhor sobre nossa vida, Ele nos ajuda”.

Sobre sua experiência na Semana da Educação 2020, Taís compartilha:

“Ano passado tive a oportunidade de participar da Semana de Educação, e foi incrível. Lá aprendi que nunca é tarde para começarmos a estudar e construir nossas carreiras e que é importante traçarmos metas. Tenho muito a trilhar, mas aprendi que são as nossas decisões que determinam o nosso destino”.

Para conquistarmos nossos objetivos temporais e espirituais, precisamos da autossuficiência. O Presidente Thomas S. Monson ensinou:

“A autossuficiência é o fruto de nosso trabalho e a base de todas as outras práticas de bem-estar. É um elemento essencial de nosso bem-estar espiritual e físico. (…) ‘Vamos trabalhar pelo que necessitamos. Sejamos autossuficientes e independentes. Não há nenhum outro princípio pelo qual possamos alcançar a salvação. Ela é individual, e precisamos alcançar nossa própria salvação tanto nas coisas materiais quanto nas coisas espirituais’”.

E você, já participou da Semana da Educação como a Tais e a Taimara? Tem alguma experiência como a da Mareli, a Natália ou o Ricardo? Compartilhe conosco nos comentários, vamos adorar ouvir as experiências de vocês.

| Inspiração
Publicado por: Vanessa Pozete
Tradutora e intérprete, nascida em Fortaleza, criada em Santos, casada e com três filhos. Serviu missão Brasil João Pessoa. Ama a maternidade, fotografia, praia e livros de aventura e ficção. É a Localization Specialist do time português na More Good Foundation.
Novas roupas cerimoniais do templo estão disponíveis para membros em...
Sem filtros: substituir o criticismo ácido por palavras de respeito

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *