6 Coisas Maravilhosas para se lembrar quando não se sentir bom o bastante

Mulher mórmon pensando

1. Tenha uma Perspectiva Eterna

Perspectiva, dificuldades da vida

Todos nós nascemos em um mundo imperfeito, cheio de frustração e de perguntas sem respostas. Sendo assim, é natural, nestas circunstâncias, se preocupar com o futuro. Nós nos preocupamos que as coisas vão dar certo para nós— e para as pessoas que amamos.

Frequentemente nós tentamos encontrar o sentido da vida baseando-nos em uma perspectiva estreita, que é a mesma coisa que entender a mensagem principal de uma história após ler somente uma página. Uma perspectiva limitada apenas ao que nós podemos ver, sentir, tocar e explicar agora nos levará a insatisfação e a busca por algo além, algo mais profundo. Uma perspectiva maior, na verdade, eterna, nos ensina que algo bom pode vir do ruim, que a força pode nascer da fraqueza e que a felicidade vem depois do sofrimento.

Somos chamados a sobrepujar vários tipos de obstáculos. Isso é necessário para cumprir o propósito da nossa vida. Cada desafio que enfrentamos agora, nos prepara para algo muito maior que virá depois. Essa vida é o laboratório da eternidade: nós aprendemos e crescemos, com o tempo nos tornamos melhores, mais sábios e mais compreensivos. Perguntas delicadas são respondidas, as injustiças da vida são resolvidas, o que parece superar o impossível e a realidade.

Então, tente apegar-se ao positivo e focar nas coisas boas que ainda virão.

Nós não podemos nos acovardar e deixar nossa esperança fugir.

Há muitos séculos, um poeta Irlandês escreveu frases inspiradas de esperança que tornaram-se música que passou por muitas gerações. A letra de “Sê Tu Minha Visão” (Be Thou My Vision) fala da confiança no presente e da fé no futuro, do tipo de perspectiva eterna que nos levará em segurança para casa:

Grande Pai do céu,

Minha batalha venci,

Que eu possa alcançar a felicidade celestial,

O brilhante sol celestial!

Essência do meu coração,

O que quer que aconteça,

Continue sendo minha visão,

Ó dono de tudo.

2. Mantenha as Luzes Menores Acesas

Farol Perspectiva, dificuldades da vida

Há muito tempo, o notável pregador chamado Dwight Moody contou a sua congregação a história de uma tripulação, que enfrentava uma tempestade em uma noite sem estrelas, próximo ao porto de Cleveland.

Os marinheiros a bordo podiam ver o farol, mas precisavam encontrar um caminho através de uma passagem estreita através das rochas traiçoeiras que circundavam o porto. Normalmente, uma luz nas rochas, alinhada com a luz do farol, marcavam a passagem em segurança. Mas, naquela noite, as luzes menores não estavam acesas.

Por fim, o capitão desesperado decidiu que eles não teriam escolha a não ser proceder ao porto, sem a direção das luzes menores. “Com coração corajoso e uma mão poderosa”—porém praticamente na escuridão total—”O velho piloto virou o leme.” Tragicamente, ele não conseguiu entrar no canal e bateu o navio nas rochas, e perdeu a vida junto aos marinheiros.

Moody então explicou a lição a ser aprendida da história: O Mestre cuidará da luz do farol, mas depende que nós para que as luzes menores continuem acessas.

Uma pessoa chamada Bliss estava dirigindo as músicas da reunião na noite que foi inspirada pela história de Moody, e então ele escreveu o que se tornou um dois mais populares hinos em inglês, “Brilham Raios de Clemência” (Brightly Beams Our Father’s Mercy). Ele também compôs o hino conhecido como “Luzes Menores” (Lower Lights) que foi publicado pela primeira vez em 1871.

As tempestades da vida coloca muito de nós próximo ao perigo, sabendo que precisamos nos aproximar da luz da “misericórdia do Pai” mas não sabendo como navegar pelos obstáculos no caminho. Todos nós sabemos como nos sentimos nessa situação, porque cada um de nós se sente perdido no oceano de tempos em tempos.

Frequentemente, Deus nos usa para resgatá-los. Se nós mantermos a luz da fé acesa em nossos corações, se alinharmos nossa luz com a luz maior, nós podemos guiar o exausto marinheiro. Nós podemos ser a luz menor através das ondas. Poderemos resgatar e salvar pobres samaritanos.

3. Um passo é suficiente

Perspectiva, dificuldades da vida

A vida é para ser vivida um passo de cada vez. Se formos pacientes, nós poderemos aprender muito através de um passo de fé—e então outro, e outro.

Em 1833, John Henry Newman estava viajando da Europa de volta para seu lar na Inglaterra.

Além de estar com saudade de casa, ele foi tomado por um ataque de malária. Para piorar ainda mais, a brisa do leste parou de soprar e a neblina fechou o caminho, e seu navio ficou parado no mar. Ele desejava ir para Inglaterra—para seu lar— e se tornou muito frustrado com o atraso.

Enquanto estava preso no mar, seu coração se voltou céu. No passado, o orgulho e o egoísmo enfraqueceram sua fé. Mas não mais. Ele estava desmotivado e precisava do conforto e segurança divina. Ele estava preto na névoa e precisava da luz celestial. Durante aqueles dias no oceano, Newman escreveu palavras que sempre seriam lembradas:

Brilha, Ó Meiga Luz (#60):

Na escuridão, ó Brilha Meiga Luz,

Guiar-me Vem!

Na negra noite, brilha e me conduz;

Guiar-me Vem!

Não peço luz a fim de longe ver
Somente luz em cada passo ter

Frequentemente um passo é suficiente. Nós podemos ficar paralisados pelo orgulho ou pelo medo, sem ter o desejo de dar outro passo caso não saibamos exatamente onde ele irá nos levar, ou podemos traçar nosso próprio caminho, cheio de marcações durante o caminho. O desenvolvimento de metas e a determinação podem melhorar a vida e são importantes para o crescimento e progresso. Mas, como John Henry Newman aprendeu, a paciência e a paz também são necessárias. Ficar parado no oceano pode ser tão difícil quanto ser atirado nele. Nós não podemos ter o navio da vida sempre se movendo apesar do nosso esforço e desejo.

Às vezes nós simplesmente devemos esperar. Durante estas épocas da vida, inspiração e beleza podem nascer; a fé nas coisas eternas podem ser reacendida. Nós podemos encontrar conforto nas palavras de Salmos: “Espera no Senhor, sê corajoso, e ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no Senhor” (Salmos 27:14).

4. “Porque quando estou fraco, então sou forte”

Escalar, dificuldades da vida

A Bíblia registra que o Apóstolo Paulo tinha o que foi chamado de “espinha na carne”—uma provação ou dificuldade que o ajudou a se manter humilde e a perseverar. Ele pediu ao Senhor três vezes para tirá-lo dele, mas a “espinha na carne” permaneceu. Quando Paulo entendeu o propósito divino em suas enfermidades e provações, declarou com grande sabedoria: “Porque quando estou fraco, então sou forte” (2 Coríntios 12:10).

Há épocas, para cada um de nós, que o caminho da vida parece ser complicado demais, cheio de obstáculos e tempestades. Porém, estas dificuldades não significam que devemos para ou desanimar. Elas significam que nós precisamos mudar. Se nós enfrentarmos nossos desafios com toda nossa coragem, paciência e fé, nós teremos—com toda certeza, nós teremos nos desenvolvido mais durante o processo — Nós iremos alcançar o topo daquela montanha e fazer uma importante descoberta: Na jornada da vida, o destino é tão importante quanto quem nos tornamos durante o caminho.

De uma perspectiva elevada, nós percebemos que nossas dificuldades eram exatamente o que precisávamos para nos tornar melhores e mais fortes. Nos tornar o melhor que podemos frequentemente acontece devido a circunstâncias desfavoráveis. Nossos maiores desafios podem se tornar nossos maiores professores.

Foi essa verdade que inspirou um autor desconhecido a escrever estas palavras:

Eu pedi a Deus força que eu pudesse alcançar.

Eu recebi fraqueza para que eu pudesse aprender humildemente a obedecer.

Eu pedi por saúde para que pudesse fazer coisas maiores.

Eu recebi enfermidade para que pudesse fazer coisas melhores.

Eu pedi por riquezas para que pudesse ser feliz.

Eu recebi pobreza para que me tornasse sábio.

Eu pedi por poder para que tivesse o louvor do mundo.

Eu recebi debilidade para que pudesse sentir a necessidade de Deus.

 

Eu pedi por todas as coisas, para que pudesse aproveitar a vida.

Eu recebi vida, para que pudesse aproveitar todas as coisas.

Eu não recebi nada que pedi mas tudo que precisava.

Apesar do que pedi, minhas orações silenciosas foram respondidas.

Eu sou… a pessoa mais ricamente abençoada.

5. Acender uma Vela

Vela, dificuldades da vida

A história conta de uma jovem garota que recebeu uma bela vela de presente. Era dedicada e única; ela guardou com carinho e decidiu guardá-la para acender em uma ocasião especial.

Depois de um tempo, ela decidiu guardar a querida vela em uma gaveta, para protege-la de qualquer problema. Muitos anos depois, ela encontrou a vela, agora deformada e enrolada em forma de C. Ela não podia mais fornecer luz. O triste momento se tornou algo que a definiu. Ela decidiu que ela “acenderia a vela” em todas as oportunidades, não iria esperar para apreciá-las.

Hoje é o dia para viver. De fato, devemos planejar o futuro e ser sábios com nossos recursos e responsabilidades, mas ao invés de deixar de lado a felicidade de hoje para sempre, devemos viver da forma mais plena que as possibilidades permitam. A Bíblia ensina que: “Este é o dia que fez o Senhor; regozijemo-nos, alegremo-nos nele” (Salmos 118:24).

“Aproveite todos os pequenos momentos com seus filhos, os anos passam rápido demais e logo eles se vão.” Encorajam os mais velhos: “Saia e desfrute uma caminhada, de mãos dadas, enquanto você pode”.Aqueles que sentiram a profunda dor da perda de alguém aconselham: “Ame de todo coração, diga que os amam. A vida é muito curta.” A experiência ensina que  um dia não haverá amanhã e que hoje é o dia para viver, amar e para cuidar um do outro.

Acenda a vela, aproveite a luz. Cada dia é uma parte importante da vida.

Dê e receba amor. Não espere para saborear os pequenos e simples tesouros da vida.

6. Uma obra em desenvolvimento

 Obra-prima dificuldades da vida

Uma obra-prima é um trabalho que demonstra um talento extraordinário, uma habilidade artística — uma suprema realização artística e intelectual. Historicamente, uma obra-prima representa o melhor trabalho de um artista, evidenciando que ele ou ela, após muitos anos aperfeiçoando sua habilidade, alcançaram o patamar de mestre. Quando nós vemos, lemos ou ouvimos uma obra-prima, nós raramente pensamos no tempo, esforço, ou até mesmo nos erros que acompanharam a criação.

Certe vez foi dito que cada um de nós é uma obra-prima em progresso. Pode parecer clichê mas é reconfortante quando temos momentos que nos sentimos como qualquer coisa, menos com uma obra-prima. Todos nós passamos por esses momentos, incluindo as pessoas que parecem perfeitas—o que, é claro, que ninguém é. Todos nós temos pontos fortes e fracos, hábitos positivos e nem tão positivos. Todos nós viveremos ocasiões onde não seremos os melhores. Mesmo que nosso passado seja cheio de erros e frustrações, nosso futuro possui promessas de crescimento e de aperfeiçoamento.
Considere este sábio conselho: “Deus quer que tornemos todas nossas fraquezas em nossa força, mas Ele sabe que essa é uma meta de longo-prazo. Muitos de vocês são infinitamente compassivos e pacientes com as fraquezas alheias. Por favor, lembre-se de ser compassivo e paciente consigo mesmo.”

Nenhuma obra-prima foi criada toda de uma vez, então seja grato aos pequenos sucessos, as alegrias simples, os bons momentos e até mesmo dos momentos difíceis. Cada um deles nos ensina, nos fortalece para o que está por vir. A vida é um processo de mudança e aperfeiçoamento: tornando-nos um pouco mais amável, um pouco mais forte e um pouco melhor. Então, seja paciente durante o processo e lembre-se que cada um de nós é uma obra em desenvolvimento—a uma obra-prima em criação.

Artigo publicado em LDS Living, traduzido e adaptado para português por Viccenzo Benatti.

| Inspiração
Publicado por: Viccenzo Benatti
Mórmon, marido e pai, Viccenzo serviu na Missão Brasil Goiânia e isso mudou sua vida completamente. É especialista em marketing digital e é apaixonado por aprender e ensinar.
moça mórmon
5 Formas de Cultivar a Criatividade
Veja a 1º Presidência e os 12 Apóstolos praticando e apoiando os...

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *