Um milagre a caminho de Chapecó

Assim como nos diz as escrituras, aprendemos por nossa própria experiência que os milagres acontecem depois da prova de nossa fé. 

Normalmente, o Senhor nos abençoa depois que fazemos a nossa parte e oramos com todo o nosso coração para receber Sua ajuda. Eu experimentei isso por muitas vezes durante meu tempo como membro da Igreja. 

Uma vez, uma amiga me falou uma frase que mudou a minha perspectiva, “Ore como se tudo dependesse de Deus e trabalhe como se tudo dependesse de você”. Para mim, o ‘trabalho’ seria traduzido como fazer tudo o que estiver ao meu alcance físico, mental e emocional para executar tal tarefa.

Esta semana, meu cunhado passou por uma experiência verdadeiramente milagrosa, que foi antecedida por tudo o que ele pôde fazer mais uma oração de fé.

mórmons jejuam

Era um domingo de jejum bem normal para Patric: acordar, ajudar sua esposa a aprontar as crianças, se arrumar e ir para a Igreja. Após renovar seus convênios, ele deixou todo mundo em casa e então foi para outra cidade, a mais de 700 km de distância. 

O Patric tem uma empresa de reformas e construção, e tinha fechado uma obra para começar na segunda de manhã. E mesmo com tanto trabalho, ele não gosta de faltar nas reuniões dominicais, mesmo que pudesse prejudicar o tempo de viagem.

A viagem de 10 horas de duração era cansativa, mas ele já estava acostumado a fazer longas viagens de carro. Neste caso, ele precisou percorrer dois estados e fazer várias paradas ao longo do caminho para abastecer o carro. Como já tinha preparado tudo no dia anterior, ele fez sua oração e caiu na estrada. 

Tudo foi normal até às 19 horas. Patric já se preparava para abastecer novamente o carro e percebeu que os postos ao longo da estrada estavam fechados. Era um domingo, e ele estava em estrada não pedagiada, estreita e sem acostamento. Não havia muitos carros nesta estrada, muito menos estabelecimentos abertos. 

Ele dirigiu por quilômetros e não encontrou nenhum posto aberto. Nenhum. Ele parou na próxima cidadezinha, e todos os postos de gasolina da cidade também estavam fechados. Continuou a viagem pela estrada, com a esperança de encontrar um posto aberto. 

“O que eu não imaginava, era que eu ia gastar quase um tanque todo e não encontrar nenhum posto aberto”, disse. Patric sabia que se as coisas continuassem assim, ele iria ficar sem combustível logo logo e começou a orar ao Senhor, com a esperança de que as coisas iam dar certo. 

O ponteiro que indicava a quantidade de gasolina chegou no nível da reserva e ainda não tinha encontrado nenhum posto. As orações se intensificaram e continuaram por muitos minutos. Se o carro parasse ali, com certeza algum acidente poderia ocorrer, pois numa estrada sem acostamento e sem iluminação, o risco seria muito grande. 

Patric começou a pedir um milagre ao Senhor. O combustível da reserva estava prestes a acabar e ele pedia ao Senhor que se não encontrassem um posto aberto na estrada, que o combustível pudesse durar até que pudessem parar num lugar seguro.

Depois do ponteiro indicar que a reserva de combustível já tinha acabado, ele ainda dirigiu por mais 20 quilômetros até chegar numa cidadezinha, onde o carro parou na frente de uma farmácia, que estava aberta. Lá, eles indicaram um posto de gasolina aberto, que ficava a uns 12 quilômetros dali. Os donos da farmácia ligaram para um motoboy que buscou 5 litros de combustível e assim ele pôde dirigir pelos 30 quilômetros que faltavam até Chapecó.

Meu cunhado tinha terminado seu jejum durante a viagem e se esforçou ao máximo para guardar o dia do Senhor. Escutou hinos e as escrituras enquanto dirigia e orou com fé, como se tudo dependesse mesmo do Senhor. E naquela situação, só dependia Dele mesmo. O combustível atingiu o final da reserva e o carro continuou andando até que ele chegasse a um lugar onde poderia receber ajuda. Um lugar onde o Senhor já havia preparado pessoas que poderiam ajudá-lo.

a expiação

Deus é o nosso Pai e Ele se importa com cada um de nós, até nas coisas que pensamos não ser importantes para Ele. Ele se preocupa conosco até nas menores coisas e nos ajuda quando precisamos de Sua mão milagrosa. 

“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á.

Porque todo aquele que pede, recebe; e o que busca, encontra; e ao que bate, se abre.

E qual dentre vós é o homem que, pedindo-lhe pão o seu filho, lhe dará uma pedra?

E pedindo-lhe peixe, lhe dará uma serpente?

Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará coisas boas aos que lhe pedirem?” (Mateus 7:7-11)

Escrito por Marie Sunaga

Relacionado:

O que a história da família me ensinou sobre a vida após a morte

| Mórmons no Brasil

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *