Um homem em seus 20 anos afastou-se de seu carro e foi para o outro lado da estrada em uma rua escura. Ele pula e começa a correr. Ele passa por duas pessoas suspeitas finalizando alguma troca de comércio ilícito perto de um poste e dá a volta por um grupo de pessoas à toa em frente a uma loja de conveniência. Ele faz uma pausa na frente de uma escola primária quando o som das sirenes ecoa à distância.

Finalmente, ele corre para o prédio e para o auditório – onde ele desliza para um assento ao lado de sua esposa que está olhando seu relógio com uma sobrancelha levantada. O homem começa a torcer por sua filha com entusiasmo enquanto ela dança no palco.

Há muitas coisas das quais devemos fugir correndo neste país, mas uma coisa que devemos correr em direção a ela é a família.

A Família

Inúmeras organizações, políticos e agências governamentais estão gritando que devemos fugir das pragas da pobreza, da toxicodependência, do crime, do desemprego e da violência. Infelizmente, muitos desses mesmos indivíduos e grupos também estão afastando pessoas de seus relacionamentos familiares – a solução mais óbvia e historicamente comprovada para esses problemas. As políticas que penalizam os casais por meio do código tributário ou limitam a escolha dos pais na educação são apenas o começo.

É chocante pensar que algumas pessoas da elite intelectual e de entretenimento, que frequentemente pedem melhorias em nossas cidades e comunidades carentes, gastam a mesma quantidade de tempo tentando minar a soberania e força das famílias.

Governo

Tecnologia, riqueza e a forma de um grande governo que clama ter a solução para cada problema nos iludiu com a ideia de que podemos terceirizar o poder e influência da família para outras entidades e instituições.

Essa mentalidade atrofia o músculo que está no coração e na alma da sociedade e tem sido o alicerce das civilizações de sucesso há milênios. A família, e não o governo, tem as chaves para resolver os problemas mais urgentes da nossa nação. Por exemplo, a taxa de pobreza para casais em 2014 foi de 8,2 por cento, em comparação com 35,9 por cento para famílias monoparentais.

Neal A. Maxwell observou:

“Temo que, à medida que as condições piorarem, muitos reagirão às falhas do governo e exigirão ainda mais dele. Em seguida, haverá mais e mais botes salva-vidas lançados porque cada vez menos cidadãos sabem como nadar”.

O funcionamento do governo como família é uma proposição fracassada. Pesquisas mostram que crianças de domicílios monoparentais têm duas vezes mais probabilidades de ser presas e três vezes mais propensas a ir à prisão antes dos 30 anos, em comparação com crianças de famílias casadas. A melhor maneira de reduzir nossa crescente população carcerária não é através do governo, mas através do fortalecimento das famílias.

Papéis

Quanto mais olhamos para soluções centradas no governo, mais reduzimos, subestimamos e sub-utilizamos a família. O governo tem um papel a desempenhar, com certeza. Mas o governo deve desempenhar um papel menor e nunca deve se tornar o principal ator, escritor e diretor na vida dos cidadãos. O governo não pode amar, e não tem a capacidade de nutrir nossas melhores naturezas – nunca pode suplantar o poder da família.

Famílias fortes são uma força motriz para o bem. Se quisermos melhorar a educação, cortar o crime, reduzir a pobreza e resolver os problemas da nossa nação, precisamos fortalecer as famílias. E não apenas nossas próprias famílias – as famílias em nossas comunidades, também. Podemos pavimentar o caminho para a prosperidade econômica, crescer o setor privado e melhorar a vida e o futuro para as crianças em todo o país. Quando fortalecemos um, fortalecemos o outro. Esse é o poder da família.

A sociedade há muito reconheceu a família como um motor social crítico, e a pesquisa mostra cada vez mais que a família também é um poderoso motor econômico.

Economias fortes

O Instituto Sutherland, em conjunto com a União Conservadora Americana, divulgou o Índice de Prosperidade Familiar, que é uma compilação de 60 índices chave abrangendo áreas como a força econômica geral, auto-suficiência familiar, saúde, educação, índices de encarceramento, mobilidade ascendente e estabilidade de famílias. O índice revela correlações claras entre economias fortes de famílias fortes e comunidades fortes.

O objetivo das políticas públicas em todos os níveis de governo, do local ao federal, deve ser tornar a influência do governo menor, promovendo uma sociedade com cidadãos melhores, famílias mais fortes e comunidades mais heróicas. Embora existam muitos males em nossa sociedade dos quais devemos corretamente fugir, a única coisa em que devemos estar sempre lutando é para manter famílias mais fortes, resilientes e prósperas.

Esse artigo foi traduzido do inglês: LdsMag.com