Um olhar através do véu: as promessas que fizemos na vida pré-mortal

E se o véu se retirasse hoje e pudéssemos ver como érmamos na vida pré-mortal? Quem éramos lá, que coisas incríveis que aprendemos? Por que decidimos vir para a Terra? Que convênios fizemos?

Às vezes, em momentos de silêncio e quietude em nossas vidas, podemos vislumbrar magníficos flashes do que já fomos…

Minha visão da vida pré-mortal

Muitos anos atrás, depois de dar à luz um lindo bebê e segurá-lo em meus braços, tive uma experiência espiritual inesquecível em que pude ter um vislumbre impressionante de nossa existência anterior a essa.

De repente, me vi com o meu filho – que era um espírito adulto, e sentimos muito amor um pelo outro. Minha memória espiritual se expandiu e lembrei que ele me escolheu para ser sua mãe, e que eu o tinha aceitado com muita alegria.

Ele também me mostrou claramente que queria que seu nome nesta vida fosse Gary.

Esse vislumbre durou pouco, mas me revelou o suficiente para ter o conhecimento de que eu sabia quem ele era, e que eu o escolhi e que ele me escolheu! Fizemos promessas eternas um ao outro.

Quem devemos ajudar, o que devemos alcançar e o que devemos procurar aprender nesta vida são muitas vezes impulsionados pelos convênios que fizemos na vida pré-mortal.

Os céus estão abertos para vocês

Uma mulher chamada Ava compartilhou comigo uma experiência pessoal. Ava tinha um filho adulto, Chris, que teve dificuldades com seu testemunho e com sua vida pessoal.

Ela frequentemente tinha discussões muito feias com ele por causa de suas decisões pessoais e da dor que causava aos outros. Em uma dessas ocasiões, ela descreveu uma experiência maravilhosa:

“Entrei na cozinha e comecei a lavar a louça, soluçando. Clamei ao Pai Celestial: “Meu filho me causou tanta dor!”

Imediatamente, foi como se os céus se abrissem e eu pude me ver e ver meu filho de pé diante de nosso Pai Celestial.

Chris e eu estávamos com os braços erguidos enquanto fazíamos convênio com Deus de vir à terra, receber um corpo e fazer o nosso melhor para voltar para casa com Ele.

Ouvi uma voz dizendo: “Seu filho também estava no mundo pré-mortal. Ele sabe as mesmas coisas que você sabe.  Você não deve sentir pena de si mesma. Você deve sentir pena por ele. É por isso que o corpo dele nega o que seu espírito sabe que é verdade.

Ele é meu filho. Eu o conheço melhor do que você. Deixe-o ir, eu farei o milagre”.

E assim o obedeci.

“Protecting Hope” por Amber Eldredge

Houve alguns solavancos ao longo do caminho, muitos. Ele continuva a testar minha paciência e, às vezes, duvidei. Mas essa visão permanece comigo sempre que os desafios surgem”.

A irmã Wendy Nelson compartilhou:

“Se o véu fosse removido e pudéssemos olhar para o passado, nos veríamos como seus filhos e filhas espirituais fazendo convênios pré-terrenos com Deus, Nosso Pai Celestial”.

O que prometemos fazer?

Ecoando as palavras da irmã Nelson, o Élder Neal A. Maxwell disse:

“Sabemos que fizemos convênios com Deus na vida pré-mortal”.

Que convênios você poderia ter feito? Você fez um convênio para ajudar seu companheiro eterno a vencer os dardos do adversário?

Você prometeu educar um filho difícil de controlar que precisaria de amor extra? Você fez convênio de viver uma vida fiel apesar dos desafios físicos, espirituais ou financeiros?

Será que você se voluntariou para tal designação enquanto estava na vida pré-terrena?

Voluntários para os desafios

Kendra Burton tinha certeza de que ela mesma havia escolhido as duras provações que viveria. Ela tinha uma filha, Rachel, que nasceu com hidrocefalia e precisava de atenção 24 horas por dia, 7 dias por semana, durante nove anos.

Kendra tinha que alimentá-la por sonda, dar suas medicações, lidar com convulsões e cirurgias enquanto cuidava de seus outros quatro filhos.

Rachel nunca conseguiu andar, conversar ou comer, o que tornou tudo ainda mais difícil.

Como uma bela compensação por sua longa e cansativa provação, Kendra recebeu uma experiência transcendental após a morte de sua filha. Ela expressou:

“Tive uma experiência em que vi nossa família, meu marido e eu, junto com nossos futuros filhos enquanto estávamos na vida pré-terrena, planejando como seria nossa experiência na terra.

Um homem que parecia Cristo veio ajudar-nos a escolher o que nos traria o maior crescimento espiritual. Eu e a Rachel éramos amigas muito próximas. Ela tinha progredido mais do que eu.

Foi sugerido que, se ela viesse à terra com seus desafios físicos, todos poderíamos aprender grandes lições. O homem compartilhou um vislumbre do que nós poderíamos passar na terra. Ao ver aquilo, Rachel sentiu que seria muito difícil para mim e se ofereceu para fazer parte de outra família.

O homem levou Rachel da nossa reunião familiar e lhe mostrou mais coisas que aprenderíamos. Ela teve uma nova perspectiva.

Quando os dois se juntaram a nós de novo, meu marido e eu dissemos que a amávamos muito e que estávamos dispostos a fazer o que fosse necessário para tê-la conosco. E então Rachel, consciente do que sofreria nesta vida, ofereceu-se dizendo: ‘Eu vou!’.

Meu coração será eternamente grato por aquela bela alma”.

O que aceitamos fazer

As coisas pelas quais estamos passando poderiam ser parte de um plano maior que aceitamos na vida pré-terrena?

O Presidente Spencer W. Kimball ensinou:

No mundo pré-mortal as mulheres fiéis receberam determinadas designações, ao passo que os homens fiéis foram preordenados a certas responsabilidades do sacerdócio. Embora hoje não nos lembremos dos detalhes, isso não altera a realidade gloriosa do que outrora nos dispusemos a fazer.”.

Quando Ester teve que enfrentar uma adversidade potencialmente devastadora, Mardoqueu, seu tio, disse: “E quem sabe se para tal tempo como este chegaste a este reino?” (Ester 4:14). Cada um de nós está aqui por uma razão.

E se você soubesse que as dificuldades que você enfrenta atualmente estão relacionadas às promessas e convênios que você fez na vida pré-mortal?

Isso mudaria a maneira como você vê os desafios da sua vida?

Nossos espíritos podem se lembrar. O presidente Russell M. Nelson ensinou:

“Vocês foram ensinados no mundo espiritual para estar preparados para qualquer coisa que encontrassem durante essa última parte destes últimos dias. Esse ensinamento permanece com vocês!”

De certo modo, nosso espírito sabe o que concordamos em fazer nesta vida.

Quando ponderamos e pedimos humildemente por inspiração divina, haverá ocasiões em que poderemos ver coisas magníficas sobre quem somos e sobre o que nos comprometemos a fazer antes desta vida.

Fonte: Meridian Magazine

| Fortalecendo as Famílias

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *