As conferências gerais são consideradas escrituras para os nossos dias?

Pergunta

A última conferência geral foi repleta de excelentes discursos e conselhos para todos nós.  O que me faz pensar se poderíamos concluir que os discursos da conferência podem ser considerados escrituras para o nosso dia?

Resposta

Uma resposta mais rápida é: CLARO QUE SIM!!!

“O que eu, o Senhor, disse está dito e não me desculpo; e ainda que passem os céus e a Terra, minha palavra não passará, mas será toda cumprida, seja pela minha própria voz ou pela voz de meus servos, é o mesmo” (D&C 1:38).

“E tudo que disserem, quando movidos pelo Espírito Santo, será escritura, será a vontade do Senhor, será a mente do Senhor, será a palavra do Senhor, será a voz do Senhor e o poder de Deus para a salvação” (D&C 68:4).

As únicas condições que eu colocaria na resposta à sua pergunta são:

“Para os nossos dias”

“Canonização”

Quando dizemos “para os nossos dias”, devemos entender a diferença entre o que é para toda a dispensação versus para o ano ou geração em que vivemos.

Também pode ser interessante: A Conferência Geral está chegando! Vamos seguir o profeta e estudar sobre a Israel do convênio?

Ouvi dizer que as edições da ‘A Liahona’ de maio e novembro da conferência devem andar lado a lado com as nossas “obras padrão” durante aquele período de seis meses que elas cobrem.

A Liahona

Isso não significa que as doutrinas expostas são menos verdadeiras após esse período de seis meses.  Mas isso significa que a ênfase pode ser maior dentro desse período.

Também tenho a tendência de pensar que quaisquer advertências específicas são mais importantes para esse período.

Seja como for, há sempre princípios que devemos nos manter fiéis, quer sejam mencionados na última conferência ou não.

E estes estão guardados nos livros que chamamos de “canônicos”.  Estas são as nossas “obras padrão”.  As publicações que foram adotadas como aplicáveis a toda a dispensação, independentemente de enfatizá-las ou não, sempre são aplicáveis.

Então, nós sempre usamos as obras padrão como nossa base ou “constituição”.

As políticas da Igreja e a ênfase que ouvimos na conferência podem mudar.

Contudo, as obras padrão permanecem até que uma nova revelação seja dada e que tenhamos uma votação sobre ela, por meio de uma assembleia solene.

Fonte: Ask Gramps

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *