Como se relacionar com o seu ex

No começo parecia coisa de cinema. Tudo se encaixava perfeitamente. Ele todo desengonçado dançando “onda, onda, olha a onda”… e ela parecia bailarina profissional. O senso de humor dele, a espiritualidade dela. Tudo se encaixava perfeitamente.

Vocês se conheceram na ativadade da igreja. Tinham tantos amigos em comum, as famílias se conheciam a séculos, o bispo deu aval positivo. Quando pensaram sobre o templo tiveram todos aqueles sentimentos positivos. A perfeição era a única possibilidade.

Mas o tempo foi passando e aquele relacionamento que nasceu cheio de sonhos foi dando lugar a uma nuvem cinza. Mentira, decepção e frustração. O fim de um relacionamento significa dor. Os projetos não foram alcançados. Pior ainda quando isso acontece depois de anos e o namoro já tinha virado casamento com filhos.

Toda história pode ter várias versões. Cada pessoa envolvida na situação a enchergará se baseando em sua perspectiva e acreditará fielmente que aquela é a verdade absoluta dos fatos. Mas o único fato completamente comprovável é que vocês não nasceram um para o outro. E o que fazer agora? Como se relacionar com o seu ex que também é da igreja?

1.Famílias

Famílias podem ser integradas, como recebendo convites para refeições.Por maior que seja sua dor e decepção não faça críticas familiares. Em um relacionamento familiar as pessoas permitem que outras participem de sua intimidade. A igreja é um espaço público, a família é um espaço privado. Nesta perspectiva é compreensível que as pesssoas tenham comportamentos diferentes nas duas esferas.

Sua dor imediata vai passar. Falar mal da família do outro demonstra muito mais seu rancor e os mal sentimentos que está tendo do que realmente quem a outra família é. Na maioria das situações, tempo é o melhor remédio.

Pense racionalmente, cada alma é importante para o Senhor. Você provavelmente não deseja ser a razão pela qual uma pessoa ou família ficou inativa na igreja. Isso sem considerar que a família inativa pode vir a ser a sua. Nada bom pode vir de um clima de ofensa e briga. Por mais difícil que isso seja, especialmente nos primeiros momentos de adaptação do pós término, contenha-se e não fale mal da família do seu ex.

2.Não esclareça os motivos do término

como se relacionar com o seu ex

Como se relacionar com o seu ex?

Mas por que vocês terminaram? Quem nunca fez essa pergunta que atire a primeira pedra. A intençao pode até não ser ruim mas pense nas possíveis respostas. Você pode estar criando margem para muita fofoca e degradação da imagem do outro.

Alguns amigos e pessoas próximas talvez mereçam saber e tenham um desejo genuíno de ajudar. Se você sentir que a pessoa está apenas “curiosa” não se preocupe em apresentar detalhes sobre o caso.

Terminamos porque foi o melhor pra gente. Porque percebemos que seríamos mais felizes separados. Expor os defeitos de um ex não ajuda a pessoa a reconhecer, a restituir, então não é um caminho real para o arrependimento.

Para aqueles que fazem a pergunta  sem dimensionar as dores envolvidas na resposta, será que você realmente quer saber? Porque se foi um caso de infidelidade talvez ele deva ser encaminhado para o bispo. Você quer se envolver nos casos de agressão física que as vezes permeiam o fim de relacionamentos? Ou mesmo saber sobre os defeitos das pessoas que estavam envolvidas na relação?

Falar mal do seu ex não te ajudará a seguir adiante. As pessoas que relatam felicidade após um término encontraram esta felicidade através da paz e do perdão. Após terminar com alguém ponha seu foco em reequilibrar suas emoções e não gaste seu tempo falando de seu ex. Se fosse pra analizar a relação vocês poderiam ter continuado juntos.

3.Novos relacionamentos surgirão

Para alguns mais rapidamente, para outros toma mais tempo. Num geral, as pessoas encontram outras relações após um término. Isso acontece porque elas continuam necessitando de amor e acreditando que podem ser felizes ao lado de alguém.

Quando se trata de relacionamentos em que as pessoas da igreja estão envolvidas,  algumas situações desconfortáveis podem acontecer. Talvez um ex namorado/a comece um relacionamento com um amigo/a. Tente encarar a situação como não sendo pessoal. Eles não estão juntos para te magoar.

Evitar julgamentos, rancor e fofocas é sempre o melhor caminho. Algumas vezes essas situações exigirão o desenvolvimento de um outro grau de fé, de amor e caridade. Exigirão que a pessoa determine que deseja agir como Jesus Cristo agiria nesta circunstância.

A igreja é um local de aprendizado. Nela os membros muitas vezes passam por experiências inusitadas que podem ser úteis para o seu progresso espiritual. Contribua de todas as maneiras que possa para não constranger o espírito e permitir que todos os membros que participam da reunião possam ter a atmosfera necessária para o recebimento de revelação pessoal.

4.Confie no Senhor

jesus cristoVocê é um amado/a filho/a do Pai Celestial. Ele conhece a suas dores e sofrimentos. Os danos causados por relacionamentos que não deram certo são tão reais quanto problemas de saúde, desemprego ou outras aflições que as vezes são mais tangíveis.

Proteja-se da formação de traumas emocionais. Um trauma emocional conduz ao medo, estresse, geram mudanças nos padrões mentais que alteram o comportamento. Podem levar a depressão e a comportamentos obsessivos, fobias e pânico. Um relacionamento que não deu certo não é mais importante que sua saúde.

Esta proteção pode ser atingida com apoio familiar, oração, estudo das escrituras. Conversas com pessoas que conhecem sobre a situação e que realmente desejam ajudar podem ser úteis. O templo também pode ser um excelente lugar para aqueles que procuram reencontrar sua paz.

Confie no Senhor o melhor ainda está por vir.


Bibliografia

Divórcio – Élder Dalin H. Oaks, Conferência Geral, Abril 2017. (aqui)