Razões para ser mórmon

Escolher uma religião não é algo fácil. Primeiro, porque existem várias denominações e muitas vezes umas estão falando mal das outras. Segundo, porque isso irá influenciar diretamente seu estilo de vida. Assumir-se como membro de uma determinada igreja, significa se dispor a cumprir com suas regras e professsar seus dogmas. Obviamente, você somente fará isso se for movido pela convicção de que essas coisas são corretas. Existem pelomenos quatro boas razões para ser mórmon:

4.Revelação contínua

razões para ser mórmon

A revelação contínua é uma das razões para ser mórmon

“E se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, sem repreensão, e ser-lhe-á dada.” (Tiago 1:5)

Considerando que o mundo vem passando por constantes transformações, em cada época o Senhor chamou profetas. Um profeta é um vidente e revelador que possui a responsabilidade de guiar a igreja. As palavras que os profetas receberam de Deus foram registradas em livros sagrados que são conhecidos como escrituras. O mais famoso livro de escrituras foi feito pelos judeus e é chamado de Bíblia.

Os mórmons acreditam que Deus não parou de falar com os profetas e por isso outros livros sagrados também foram revelados. Fazem parte do canôn oficial da igreja: a Bíblia, o Livro de Mórmon, Doutrina e Convênios e Peróla de Grande Valor. Além disso os mórmons também se reúnem em conferências semestrais onde apóstolos que foram chamados por Deus discursam. As palavras deles também são muito preciosas.

Assim sendo, uma das importantes razões para ser mórmon é a possibilidade de receber revelação contínua. A doutrina de Cristo é a mesma desde a fundação do mundo, mas os contextos sociais vem se alterando ao longo dos tempos, produzindo novas necessidades e debates. Contar com revelação proveniente de Deus nestes momentos vai ser alentador.

O Presidente Boyd K. Packer descreveu essa marca distintiva da verdadeira igreja da seguinte maneira:

“A revelação continua na Igreja: o profeta a recebe para a Igreja; o presidente, para sua estaca, sua missão ou seu quórum; o bispo, para sua ala; o pai, para sua família; o indivíduo, para si mesmo”.

3.Plano de Salvação

razões para ser mórmon

O Plano de Salvação é uma das razões para ser mórmon (imagem via: apenasumasecretariasud.blog)

De onde eu vim? Por que eu estou aqui? Pra onde vou depois que eu morrer? Essas três perguntas combinadas, podem ser consideradas o embrião da religião moderna. As primeiras respostas foram vistas como filosófia e com o tempo deixaram de fazer parte da ciência.

É difícil definir quando o conjunto de ideias sobre Deus passou a ser denominado religião. Falando da sociedade ocidental, o que se percebe é que houve uma predominância do cristianismo imposta pelo Império Romano e um desdobramento deste, logo após a Reforma Protestante. De aí adiante, várias são as fases que marcam o surgimento de grupos religiosos.

Toda igreja cristã procura responder as três perguntas que lhe deram origem: de onde eu vim? Por que eu estou aqui? Pra onde eu vou depois que eu morrer? Os mórmons por sua vez, acreditam que viviamos em mundo chamado existência pré-mortal. Neste primeiro estado as pessoas eram espíritos, sua possibilidade de tomar decisões era limitada por dois fatores. Primeiro, pela presença literal de Deus (nenhum filho em sã consciência vai ser desobediente na “cara” do pai, certo?). Segundo, pela inexistência de uma oposição em todas as coisas. Liberdade de escolha exige a disponibilidade de opções.

“Porque é necessário que haja uma oposição em todas as coisas. Se assim não fosse, não haveria retidão nem iniquidade, nem santidade nem miséria, nem bem nem mal. Portanto, é preciso que todas as coisas sejam compostas em uma; pois se fossem um só corpo, deveriam permanecer como mortas, não tendo vida nem morte, nem corrupção nem incorrupção, nem felicidade nem miséria, nem sensibilidade nem insensibilidade.” (2Néfi 2:11)

O segundo estado é a vida terrena. O mundo que a humanidade vive agora, foi preparado para que as pessoas tivessem um lugar onde pudessem escolher por si mesmas. Prevalece aqui a lei da colheita. Cada escolha implica numa consequência, seja ela boa ou má.

Terminado o tempo da vida mortal as pessoa serão julgadas e encaminhadas para um grau de glória, que será compatível com seu conhecimento e obediência. Para obter mais informações sobre essa doutrina mórmon, vale a pena falar com os missionários. (aqui)

2.Famílias eternas

Casal recém-casado

Uma das razões para ser mórmon é que o casamento é feito no templo

De acordo como documento “Família Proclamação“, o casamento entre homem e mulher foi ordenado por Deus. Desde o princípio no jardim do Éden, Deus viu que não era bom ao Homem estar só. Para combater este estado de solidão o Pai deu a Adão uma ajuda idônea. Adão e Eva formam o primeiro exemplo de matrimônio sobre a Terra.

A mesma sociablidade que formam as relações entre as pessoas na Terra será mantida após a ressurreição. Uma escritura que pode ser utilizada como evidência deste fato, se encontra no evangelho de Mateus:

“E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.” (Mateus 16:19).

São palavras que Jesus Cristo falou ao seu apóstolo Pedro. O casamento realizado pelos mórmons, nos templos dessa igreja são feitos pela autoridade do sacerdócio de Melquisedeque [1]. As famílias não serão desfeitas com a morte. Você poderá permanecer ao lado deu conjugê e seus filhos poderão ser seus para sempre. Essa é uma das excelentes razões para ser mórmon.

1.Mormonismo é o cumprimento da Promessa de Elias

razões para ser mórmon

Uma das razões para ser mórmon é que o mormonismo é o cumprimento da promessa de Elias

De todas as razões para ser mórmon apresentadas neste artigo, esta é sem dúvida a mais difícil de explicar. Elias foi um profeta do Antigo Testamento. A missão de Elias o profeta, era incentivar a busca pelos antepassados. Assim como uma árvore possui raízes, um tronco e ramos; as famílias são compostas por gerações.

“Eis que eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor; E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a Terra com maldição.” (Malaquias 4:5-6)

O selamento que acaba de ser mencionado no item acima, é parte do cumprimento da promessa de Elias, pois através dessa ordenança gerações familiares são interligadas. O profeta Joseph Smith, vivenciou uma sequência de acontecimentos que são mencionados como a restauração do Evangelho. Estão entre eles: a restauração do sacerdócio aarônico, a restauração do sacerdócio de Melquisedeque e o recebimento das chaves do poder selador. Elias era o profeta que possuía essa autoridade de ligar o coração dos filhos aos pais e dos pais aos filhos. Que filhos e pais permanecerão ligados mesmo após a morte, é a promessa de Elias.

Dirigindo-se ao recém conversos da igreja, o Élder Henrry B. Eyring disse o seguinte:

Muitos dos seus antepassados falecidos receberam o testemunho de que a mensagem dos missionários é verdadeira. Quando vocês receberam esse testemunho, puderam pedir aos missionários que os batizassem, mas quem está no mundo espiritual não pode. As ordenanças que vocês tanto prezam estão disponíveis somente neste mundo. Alguém deste mundo tem de ir a um templo santo e aceitar os convênios em lugar da pessoa do mundo espiritual. É por isso que temos a obrigação de descobrir o nome de nossos antepassados e assegurar-nos de oferecer-lhes as coisas que eles não podem receber sem nossa ajuda. Para mim, essa idéia volta meu coração não só para os meus antepassados que aguardam, mas para os missionários que os ensinam. Verei esses missionários no mundo espiritual e vocês também verão. (Henry B. Eyring, Conferência Geral, Abril 2005).

As bênçãos de se tornar um membro da igreja não se restrigem somente à você. As gerações que te antecederam também poderão ser parte do corpo de cristo e você estará eternamente ligado a suas futuras gerações.


Bibliografia

Revelação Contínua – Henry B. Eyring, Conferência Geral, Outubro 2014. (aqui)

[1] Saiba mais sobre o sacerdócio de Melquisedeque. (aqui)

A missão do profeta Elias. (aqui)

Corações Unidos – Henry B. Eyring, Conferência Geral, Abril 2005. (aqui)