Os mórmons podem namorar? Como é um namoro mórmon?

Podem surgir muitas perguntas ao pensar nesse assunto. Desde perguntas muito simples como “eles podem se beijar?” a perguntas mais complexas como “eles podem dormir juntos?” Afinal, muitos podem ter tido e ainda ter essas dúvidas não é mesmo?

Lei da Castidade

Como qualquer outro povo, nós, membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, somos movidos por nossas crenças. E uma de nossas crenças, diz respeito à Lei da Castidade. Isso significa que não devemos ter relações sexuais antes do casamento e depois dele devemos ter relações sexuais apenas com nosso marido ou nossa esposa. 

Dito isso, fica claro que como membros da Igreja, acreditamos que mesmo que sejam namorados eles não devem em hipótese alguma ter relações sexuais. Acreditamos que a intimidade física entre marido e mulher é bela e sagrada. Ela é ordenada por Deus para criação de filhos e para a expressão do amor entre marido e mulher. Deus ordenou-nos que a intimidade sexual seja reservada para o casamento. [1]

Para o Vigor da Juventude

O livreto “Para o Vigor da Juventude” traz: “O padrão do Senhor com relação à pureza sexual é claro e imutável. Não tenha nenhuma relação sexual antes do casamento e seja completamente fiel a seu cônjuge após o casamento. Não permita que a mídia, os amigos ou outras pessoas convençam você de que a intimidade sexual antes do casamento é aceitável. Não é. À vista de Deus, os pecados sexuais são extremamente graves. Eles profanam o poder sagrado que Deus nos deu para criar a vida”.

A lei da castidade pode parecer um pouco vaga em um primeiro momento, mas não o é. Aprendemos claramente:

“Nunca faça nada que possa levar à transgressão sexual. Trate as outras pessoas com respeito, não como objetos usados para satisfazer desejos egoístas. Antes do casamento, não troque beijos apaixonados, nem deite por cima de outra pessoa, não toque as partes íntimas e sagradas do corpo de outra pessoa, com ou sem roupas. Não faça qualquer outra coisa que desperte sentimentos sexuais.

Não desperte essas emoções em seu próprio corpo. Evite situações que induzam a mais tentações, como atividades realizadas tarde da noite ou com pernoite, fora de casa, ou atividades em que não haja a supervisão de adultos. Não participe de debates ou de qualquer meio de comunicação que desperte sentimentos sexuais. Não participe de qualquer tipo de pornografia”[2]

Acreditamos que nosso corpo é o templo do Espírito Santo. (I Coríntios 6: 18-19) E entendemos que a pureza sexual é a maneira principal de mantermos o nosso templo limpo.  

Procuramos a pureza e a santidade também no namoro. Como nos ensinou Carol F. McConkie: “Santidade é fazer escolhas que mantenham o Espírito Santo como nosso guia”.

Virtude

“A virtude ama a virtude; a luz se apega à luz”. (D&C 88:40) e assim os casais da Igreja constroem seus relacionamentos.  A Igreja aconselha:

“Decida sair apenas com pessoas que tenham altos padrões morais e em cuja companhia você possa manter seus padrões. Lembre-se de que um rapaz e uma moça, ao saírem juntos, têm a responsabilidade de proteger a honra e a virtude um do outro. Planeje encontros que sejam seguros, positivos e não dispendiosos, e que ajudem você a conhecer melhor a outra pessoa. Vá apenas a lugares em que seus padrões possam ser mantidos e você permaneça próximo (a) do Espírito. [3]

Os casais “mórmons” normalmente têm muito em comum um com o outro, em especial sua religião. Na maioria dos casais, ambos são membros da Igreja, o que gera sinergia no relacionamento. Em sua maioria, eles frequentam o Instituto juntos aos finais de semana. Têm o hábito de irem juntos as reuniões dominicais quando frequentam a mesma unidade. Participam de atividades promovidas por sua comunidade religiosa local, como bailes, devocionais e acampamentos. Mas eles também fazem coisas que todos os outros casais de outras crenças fazem: eles se amam.

Eles saem juntos, passeiam juntos, comem juntos, riem juntos, aprendem juntos, crescem juntos e planejam viver a eternidade juntos também.

A recomendação da Igreja é que os membros só comecem a sair com alguém após os 16 anos de idade.

Acreditamos que o namoro é uma preparação para o casamento. E acreditamos que o casamento é essencial para o Plano de Felicidade preparado pelo Pai Celestial.

Referências

[1] Para o Vigor da Juventude, tópico “Pureza Sexual”, páginas 34 a 37

[2] Para o Vigor da Juventude, tópico “Pureza Sexual”, páginas 34 a 37

[3] Para o Vigor da Juventude, tópico “Namoro”, páginas 4 a 5