ATENÇÃO: ESTE TEXTO NÃO ADVOGA O USO DE BARBA. APENAS FAZ ALGUMAS CONSIDERAÇÕES. ADIANTANDO A CONCLUSÃO: O USO DE BARBA É DECISÃO PESSOAL E – COMO OUTROS FATORES DA APARÊNCIA – DEVE LEVAR EM CONSIDERAÇÃO MUITOS ASPECTOS SUBJETIVOS E OBJETIVOS. [Não tire conclusões antes de ler o texto inteiro 😉 ]

barba modaTenho um pouco de dificuldade para escrever sobre o tema “Barba e Evangelho”, pois não o considero tão relevante a ponto de precisar ser explanado. Todavia, como fui questionado diversas vezes – especialmente pelos jovens da Igreja – e vejo certa confusão a respeito, escrevi o que se segue. Anotei cinco pontos de interesse, em forma de perguntas e respostas, que visam ajudar meus amigos e outros que se questionam sobre o tema.

 

1- Usar barba é errado? O mero fato de permitir que os pelos na face cresçam não é errado. Óbvio! Veja: o Salvador Jesus Cristo, a quem adoramos, enquanto na mortalidade usou barba. Isso sabemos porque ele viveu entre os judeus – e vestia-se e parecia-se com um judeu. A cultura daquele povo valorizava (e ainda valoriza) a barba como um sinal de hombridade e sabedoria. Assim também, a maior partes dos profetas e homens justos do passado usou alguma espécie de barba. Entretanto, para algumas culturas, a barba é sinal de barbárie, falta de higiene e desrespeito [1]. O profeta Joseph Smith disse certa vez: “Aquilo que é errado sob certas circunstâncias, pode ser, e geralmente é, certo em outras.” [2] Do mesmo modo aquilo que é certo pode ser errado dependendo da situação. Como estamos inserido em uma cultura terrena – com uma diversidade de tendencias, modas, hábitos, sinais e padrões – nem sempre usar barba é apropriado. Assim, embora uma pessoa que use barba possa não estar infringindo nenhum mandamento, pode estar em desacordo com padrões de aparência e comportamento esperados pelo grupo que ela esta inserida. Por exemplo: missionários de tempo integral não devem usar barba. Este padrão foi estabelecido pelas Autoridades Gerais para que os missionários não encontrem dificuldades nos diversos países que visitam. De fato, a aparência limpa e asseada – sem barba – é um sinal de profissionalismo, respeito, disciplina e moderação internacional adequado, e uniformiza e padroniza os servos de tempo integral. Então, ao menos para um missionário de tempo integral, hoje, usar barba é errado, pois fere uma regra da missão.

2- Deus e seus profetas podem estabelecer padrões de aparência? Não há dúvidas que sim. Deus e seus servos podem “se atrever” a aconselhar sobre assuntos tão íntimos quando a aparência pessoal. Nas escrituras lemos: “Não cortareis o cabelo, arredondando os cantos da vossa cabeça, nem danificareis as extremidades da tua barba.” (Levítico 19:27). Essa diretriz era para todos os homens de Israel e não apenas para os levitas. Hoje, ela não mais se aplica, pois fazia parte da Lei de Moisés que foi cumprida. Mas é um exemplo de que Deus pode dar conselhos do tipo “privado”. Deus e seus servos nos aconselham a como parecer e vestir pois nos amam e querem nosso bem-estar. A aparência transmite mensagens importantes sobre o que valorizamos. Os padrões de recato e aparência visam nossa proteção e felicidade. Os padrões de hoje incluem: não usar piercings, não se tatuar, usar roupas que não sejam muito apertadas ou decotadas, etc. [3] Nem sempre entendemos imediatamente os motivos pelos quais Deus nos dá mandamentos, conselhos e regras – mas quando os seguimos, sabendo que são Dele, somos ricamente abençoados (veja o vídeo mais abaixo).

3- O padrão missionário deve ser seguido pelos que não são missionários de tempo integral?  Como já disse, os missionários tem um rigoroso padrão de vestuário e aparência, pois são representantes de Jesus Cristo em diversas nações. Alguns líderes aconselharam os rapazes a tornarem-se missionários antes da missão – e parte disso é evitar excessos no penteado e roupa, não ser desleixado ou preguiçoso e cuidar do corpo. O Presidente Spencer W. Kimball ensinou: “Os rapazes devem manter o rosto barbeado, o cabelo penteado, com corte discreto, e as unhas limpas. Calças muito apertadas e sugestivas fazem os rapazes parecerem vulgares. Os jovens podem ter uma aparência agradável, digna e atraente, procurando vestir-se com bom estilo, evitando os extremos da moda.” (“Save the Youth of Zion”, Improvement Era, setembro de 1965, p. 761.)
Os ex-missionários também foram aconselhados a manter os padrões que aprenderam na missão. De fato, a liderança da Igreja vive os padrões de aparência missionária. Todas as Autoridades Gerais não usam barba. O carácter internacional de seu chamado e o exemplo que precisam transmitir aos missionários, exige tal conduta. Ademais a liderança local também não consuma usar bigode ou barba de qualquer tipo. Embora o Manual de instruções não traga nenhuma orientação a respeito, “a ordem não escrita das coisas” preceitua de modo tácito e imediato que o líder local deve seguir os padrões das Autoridades Gerais. (Há líderes locais, fui informado, em países europeus e em alguns lugares dos Estados Unidos, que usam barba corriqueiramente – isso não os denigre, nem os desqualifica de seu chamado – que fique claro!)
Certo líder me confidenciou que adora barba, mas enquanto não ver um pelo no rosto das Autoridades Gerais, vai se manter sem barba. Fiquei admirado pelo seu discipulado. Ele se manifesta de modo simples, porém, impactante – pois, como o Senhor disse “aquele que é fiel no mínimo , também é fiel no muito” (Lucas 16:10). Muitas vezes queremos alterar nossa aparência unicamente para chamar atenção, para seguir a moda ou para demonstrar rebeldia, desprezo ou indignação. Parece ser um padrão entre amigos que estão afastados da Igreja deixarem a barba crescer tão logo se afastam da Igreja: como querendo afirmar que desprezam o padrão-missionário. Todavia, isso nem sempre é assim. Alguns  que se afastam da Igreja continuam sem barba.  E há vários homens bons, justos, dignos e ativos na Igreja que usam barba – e não há nada intrinsecamente errado nisso, como já expliquei.

4- Por que Joseph Smith não usava barba? E por que os profetas hoje não usam? O fato do profeta Joseph Smith não utilizar barba já foi objeto de grande especulação. Na maior parte das pinturas e também na máscara mortuária dele, não há barba. Entretanto, em alguns filmes recentes da Igreja ele aparece com barba enquanto estava na prisão [4]. Talvez Joseph não tivesse muita barba, ou preferia não utilizá-la. Não sabemos. Mas vários de seus companheiros tinham-na. Desconheço algum ensinamento dele a respeito do uso ou não de barba. Brigham Young, seu sucessor na Presidência da Igreja, usou barba por décadas. (Interessante que quando Joseph Smith era vivo, Brigham Young não usava barba – seguindo o exemplo do Presidente; porém, durante o êxodo para as Montanhas Rochosas e o estabelecimento em Utah, ele passou a usar barba – permanecendo assim até sua morte). Vários outros Presidentes da Igreja e dezenas de apóstolos usaram barba na História da Igreja. Da década de 70 (com a expansão da Igreja pelo mundo), porém, tornou-se raro encontrar Autoridades Gerais com barba. Hoje os profetas não a usam. Possivelmente pela questão de uma igreja globalizada, como também já expliquei acima.

5- Como posso ensinar sobre os padrões de aparência? A melhor maneira é o exemplo. Um líder de jovens rapazes, que deseja que eles se preparem para missão, não é sábio se usar barba. Ele estará ensinando o padrão missionário, sem vivê-lo. Os jovens ficaram confusos. Se quer ensinar algo, viva o que acredita!

Friso mais uma vez: embora o uso de barba possa ser sinal de que a pessoa esta afastando-se dos padrões e esperanças do evangelho, pode também não significar nada disso! A moda, o desejo e necessidade de atenção, a mídia em geral e vários outros aspectos culturais podem influenciar no uso ou não da barba. E também é verdade que às vezes o homem simplesmente gosta de usar barba! Então, repito: alguém que usa barba não esta necessariamente afastado do evangelho.

Tomemos cuidado ao julgar.

Quando um líder ensina individual ou coletivamente determinado padrão, e aconselha, por exemplo, sobre o não uso de barba, aqueles que o ouvem devem procurar seguir suas instruções, a menos que o Espírito lhes diga o contrário. Eles serão abençoados por obedecer, mesmo em aspectos que pareçam pequenos de de decisão íntima. Ademais, se o uso de barba, cabelo longo, piercing, tatuagem ou qualquer outro aspecto do padrão de aparência que o Senhor exige lhe incomoda, você pode orar e seguir o exemplo da liderança geral da Igreja. Lembre-se que nossa aparência não deve apenas transmitir a mensagem certa, mas deve evitar ao máximo transmitir a mensagem errada. Portanto, no final, quem decide sobre o uso ou não da barba é você – levando em consideração tudo que conversamos e muito mais da sua vida pessoal e das pessoas ao seu redor.

 

___________

EXTRA

O trecho a seguir, do Filme “O Regate de Efraim”, ilustra uma situação onde Ephraim Hanks foi testado pelo Presidente Brigham Young em algo aparentemente trivial e de foro íntimo. Contudo, por ter sido obediente em algo tão pequeno, o profeta pode lhe confiar sagradas missões. Confira (comece no 23:55 e vá até 26:53):

https://www.youtube.com/watch?v=QG3wYKJ6cTM&spfreload=10

 

____________

NOTAS

[1] “Barba” Wikipédia.

[2] Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, pg. 249

[3] Ver “Vestuário e Aparência” Para o Vigor da Juventude.

[4] Ver Joseph Smith: o Profetada Restauração