Chegou a hora de parar de odiar os mórmons por causa da poligamia

Fato: os primeiros mórmons praticaram a poligamia.

Fato: Sim … parece tão estranho para mim como para você.

Fato: Se você é um cristão, judeu ou muçulmano … então você teria que abandonar sua fé, se você condena as necessidades temporárias de sociedades poligâmicas.

Fato: Se você é um ateu … então não há nenhuma lei moral proibindo-o de praticar a poligamia. Quaisquer leis morais que você vive foram ditadas pela sociedade ou por você mesmo. E se estamos vivendo por normas sociais … então elas podem mudar com o vento.

Deixe-me esclarecer algo. Não estou defendendo ou advogando a poligamia. Só de pensar nisso me faz estremecer … e eu sou um homem. Sem dúvida … eu não quero outra mulher.

No entanto, estou defendendo a lógica por trás do motivo da poligamia ter sido praticada nos primeiros dias da igreja.

Ao longo dos últimos dias … recebi uma enxurrada de e-mails, textos, mensagens privadas no Facebook e qualquer outro tipo de mensagem perguntando-me sobre um tópico: Poligamia. Parecia como se toda rede de notícia importante no mundo decidisse que seria divertido colocar na “primeira página” o fato de que a poligamia ocorreu 150 anos atrás na igreja SUD.

Novidade, certo?

A mídia não tem ideia do motivo dos mórmons terem praticado a poligamia… então, não os ouça.

A Igreja está fazendo um grande esforço para deixar tudo claro. Eles estão limpando seu armário. Eles estão dizendo a verdade … “aqui está … isso é o que somos”. Eles parecem fazer isso a fim de deixar os registros claros e corretos nos assuntos que os inimigos da Igreja apresentam de forma descontextualizada.

Mórmons não vivem a poligamia hoje e não o fazem a mais de 120 anos. Então como é que os meios de comunicação e outros não podem simplesmente deixar isso de lado?

Há um grande problema na forma como estes tópicos chegam nas mídias principais. Essas informações chegam à sua timeline do Facebook ou do Twitter, você lê um título como se ninguém soubesse da poligamia desde a semana passada. O modo como isso aparece. O modo como agora se torna “oficial”. Eles colocam essas informações de uma maneira para que o mundo todo veja os mórmons como loucos fanáticos.

Em um artigo do NY Times desta semana … eles citam um membro da igreja que diz que “Joseph Smith foi apresentado a mim como um profeta praticamente perfeito, e isto é verdade para muita gente”.

Não tenho certeza de onde isso veio, mas … Joseph nunca foi descrito como um homem perfeito para mim. Ele foi descrito como um profeta de Deus … mas nunca um homem perfeito. Eu aprendi sobre muitos de seus pontos fracos e como ele, tal como muitos dos profetas e apóstolos do passado, eram falhos, pecadores, e necessitavam do sangue expiatório de Cristo. Tudo o que você precisa fazer é ler algumas das primeiras seções de Doutrina e Convênios para ver Joseph Smith sendo repreendido pelo Senhor vez após vez. Ele é repreendido nessas escrituras mais do que qualquer outra pessoa na igreja.

Mas para um membro da igreja dizer que Joseph foi apresentado como “praticamente perfeito” e, em seguida, insinuar que a poligamia era uma espécie de segredo carnal de Joseph Smith que agora foi revelado ao mundo, manchando a sua imagem, é completamente ilógico. De acordo com Joseph Smith … ele foi ordenado a tomar mais esposas. Ele não queria fazê-lo. Ele amava sua esposa Emma.

Ele disse que, “um anjo lhe apareceu três vezes entre 1834 e 1842 e ordenou-lhe para prosseguir com o casamento plural enquanto ele hesitava em avançar. Durante a terceira e última aparição, o anjo veio com uma espada desembainhada, ameaçando Joseph com a destruição, a menos que ele fosse em frente e obedecesse o mandamento plenamente”.

Se ele estava fazendo apenas o que lhe foi ordenado … e você acredita que ele foi um profeta … então o casamento plural não deveria ter manchado a imagem inicial “praticamente perfeita” que você tinha do profeta.

Se assim for … então precisamos descartar quase toda a Bíblia. Lembre-se … Jesus era o “Jeová” do Velho Testamento. Isso significa que era Jesus que mandava os profetas mais conhecidos e amados do Antigo Testamento viverem a lei da poligamia em vários momentos da história.

Por que as pessoas descrevem Joseph Smith como algum tipo de monstro, mas omitem o fato de que Jesus ordenou esses profetas do Antigo Testamento e que esses profetas viveram esse princípio plenamente?

Joseph Smith, Abraão, Isaque, Jacó, Davi, Salomão, Moisés. Estes homens são os mesmos. Joseph Smith só chegou mais perto da morte por causa do período em que viveu. A poligamia parece estranha para nós por causa da época em que vivemos. Mas o secularismo não significa nada quando definimos a justiça.

Se a poligamia foi ordenada por Deus na Bíblia … então não há nenhuma razão para a poligamia não ser ordenada em nossos dias. E se era justo nos dias de Abraão, então pode ser justo nos dias de Joseph Smith. A sociedade não pode definir o que é certo e errado. Só Deus pode!

Se eu vivesse nos dias em que o princípio do casamento plural foi revelado, eu provavelmente teria reagido como Brigham Young ou Heber C. Kimball.

A primeira reação de Brigham Young foi dizer que “foi a primeira vez na minha vida que eu desejei a sepultura, e eu mal consegui superar isso por um longo tempo. Quando vi um funeral, senti inveja do cadáver e lamentei não ser eu naquele caixão …” (Journal of Discourses 3:266, 14 de julho de 1855)

Heber C. Kimball disse: “Eu nunca me senti mais triste”, falando do momento em que soube do casamento plural em 1841. “Chorei dias. … Eu tinha uma boa esposa. Eu estava satisfeito”.

É assim que eu me sinto.

De acordo com Helen Mar Kimball, Joseph Smith disse que “a prática desse princípio seria a provação mais difícil que os santos teriam para testar sua fé”.

É interessante que ele colocou dessa forma. “A provação mais difícil que os santos teriam para testar sua fé”? Parece que isso era verdade na época, … e é verdade hoje.

Desde 7 de junho de 1844 no Nauvoo Expositor até 10 de novembro de 2014 em cada manchete importante de notícia no mundo … a mídia tem publicado o fato de que Joseph Smith e outros tinham várias esposas. Esses mesmos repórteres da mídia vão para suas várias igrejas no sábado ou domingo e citam os polígamos Abraão ou Moisés. Eles ficam no palco e cantam hinos que foram publicados pelo polígamo Davi, ou provérbios, citando o polígamo Salomão.

A poligamia não era uma norma cultural nos dias de Joseph Smith. Não era maneiro e nem aceitável na época. Não atendia os interesses pessoais de Joseph Smith. Se ele fosse um cara mau … então haviam muitas outras maneiras para ele satisfazer quaisquer prazeres sexuais que ele tivesse. Ele sabia que a poligamia poderia custar-lhe a vida. Então, por que torná-la tão pública? Ele poderia ter secretamente usado seu poder e influência para ter relações sexuais com várias mulheres, enquanto permanecia fora do radar. Alguém se perguntou por que ele simplesmente não se dirigiu ao bar local ou o bordel como tantos homens em sua época faziam e continuam a fazer hoje.

Não faz sentido que alguém tenha inventado toda uma religião desde os dias de sua juventude e colocado sua vida em risco apenas para que eles pudessem estar com várias mulheres, quando haviam tantas maneiras mais fáceis de fazer isso.

Mas acima de tudo isso … você vai perceber que não houve nenhuma tentativa por parte da Igreja de se desculpar pela poligamia ou descrevê-la como “uma das deficiências carnais de Joseph Smith”.

Por que isso tudo?

Porque não é algo que você pode apenas descrever como uma loucura humana ou considerá-lo como um “profeta decaído” em seus últimos anos. Casamento plural foi praticado nos primórdios do mormonismo para um propósito muito específico que nem Joseph Smith sabia ao certo.

Mas, quando olhamos para trás … podemos ver que há um raciocínio doutrinário por trás de tudo o que aconteceu.

Vamos explorar a doutrina e o raciocínio por trás de por que os mórmons praticavam a poligamia, parte 2.

Este artigo foi escrito por Greg Trimble em gregtrimble.com. Traduzido por Esdras Kutomi.