bebidas energeticasA Palavra de Sabedoria é a Lei de Saúde do Senhor. Nela, o Senhor proíbe especificamente algumas substâncias e dá orientações gerais sobre como devemos viver. Há, na Palavra de Sabedoria, algo mais do que a literalidade das especificações da Revelação. Trata-se do princípio da Palavra de Sabedoria que nos ensina a julgar, por nós mesmos, o que é adequado ou não para nosso corpo e espírito. Assim, mesmo que uma substância não seja mencionada explicitamente em Doutrina e Convênios 89 (que é a Seção de que trata da Palavra de Sabedoria), devemos usar de bom senso e julgar apropriadamente. Não nós prendemos, portanto, na letra da lei – mas buscamos o “espírito da lei”, para compreender o que Deus quer nos ensinar.

“Como nosso Pai Celestial quer que cuidemos de nosso corpo, revelou informações essenciais sobre como fazê-lo. Grande parte dessas informações está em Doutrina e Convênios 89 e são conhecidas como a Palavra de Sabedoria. Ali aprendemos várias coisas que devemos fazer e outras que não devemos para manter nosso corpo saudável. O espírito dessa lei é consumir alimentos nutritivos e abster-nos de qualquer coisa que crie dependência ou que seja prejudicial a nosso corpo. Entre as coisas que o Senhor ordenou que não ingeríssemos estão o álcool e o fumo, que são drogas (ver D&C 89:5–8). Não devemos usar nenhuma droga, exceto quando necessário, como medicamentos. Aqueles que fazem mau uso ou uso ilegal de drogas precisam buscar ajuda para que seu corpo se torne novamente limpo e livre de dependências. Um corpo limpo é mais receptivo ao Espírito Santo.

O Senhor também nos aconselha a não ingerirmos “bebidas quentes” (D&C 89:9). Os profetas explicaram que isso significa café e chá preto, que contêm substâncias prejudiciais. Devemos abster-nos de todas as bebidas, sejam quentes ou frias, que contenham substâncias prejudiciais. Devemos também abster-nos de qualquer coisa que seja prejudicial ao corpo, como comer demais ou recusar-nos a ingerir uma quantidade suficiente de alimentos saudáveis para manter nossa saúde.” [1]

Na explicação acima ficou claro que o Senhor não quer que tomemos bebidas que contenham substâncias prejudiciais. Seriam as bebidas energéticas prejudiciais? Só para começar a explicação: bebidas energéticas são ricas em cafeína. Embora a cafeína por si só não seja proibida (por exemplo: é usada em medicamentos) – é uma substancia muito perigosa quando usada deliberadamente. Uma bebida energética equivale a três ou quatro xícaras de café! A cafeína em excesso pode intoxicar o organismo, levando a náuseas, taquicardia, tremores, insônia, irritabilidade e zumbidos. [2]

As bebidas energéticas diferem das bebidas desportivas ou repositoras energéticas, os isotônicos – que servem para reidratação e a reposição da energia perdida durante a prática de esportes. Essas últimas não fazem mal ao nosso corpo em circunstancias adequadas (como após intensa prática esportiva).  Evidentemente devem ser utilizadas sob a recomendação de especialistas da saúde.

As bebidas energéticas são estimulantes que “provocam insônia e podem aumentar significantemente a frequência cardíaca. Além disso, níveis muito elevados de cafeína podem desencadear em crises epilépticas, derrame cerebral e até mesmo morte. A bebida também é capaz de acelerar a perda de cálcio e magnésio pelo organismo, resultando em câimbras e, em longo prazo, osteoporose; e tem alto poder de provocar dependência, o que pode vir a ser um problema significativo. Ingeridas ou misturadas juntamente com bebidas alcoólicas, essas bebidas podem provocar a desidratação, já que a cafeína e o álcool são substâncias diuréticas. Essa mistura também pode intensificar os efeitos do álcool, mas mascarando seu estado de embriaguez, já que a pessoa se sente bem menos sonolenta do que usualmente aconteceria. Isso permite com que a pessoa não tenha dificuldade em beber muito além da conta, criando uma maior tendência a comportamentos de risco.” [3]

Vários países controlam a venda de bebidas energéticas, limitando sua venda, exatamente por serem bebidas perigosas. Mesmo que uma proibição legal não exista em nosso país, isso não significa que podemos utilizar tais bebidas.

O que o Presidente David O. McKay explica abaixo se aplica às bebidas energéticas, que são estimulantes por excelência: “Devo dizer-lhe que nosso povo não crê no consumo de estimulantes (…) Há uma substância no chá e no café que, ao entrar no organismo humano, tende a aumentar a frequência cardíaca, o que por sua vez aumenta a velocidade da circulação do sangue e da respiração. Isso leva o corpo a ganhar calor e ficar mais eufórico. Depois de algum tempo, porém, essa excitação temporária passa, e o corpo precisa na verdade de mais repouso e recuperação do que antes do consumo da bebida. Os estimulantes são para o corpo o que o chicote é para o cavalo cansado — provoca uma arrancada, mas não constitui uma força permanente ou uma nutrição natural. Uma repetição frequente das chicotadas torna apenas o cavalo mais preguiçoso; e o uso habitual de bebidas fortes, fumo, chá e café só tende a tornar o corpo mais fraco e mais dependente dos estimulantes ao qual ele está viciado. (…) Os verdadeiros santos dos últimos dias abstêm-se de consumir fumo e bebidas estimulantes ou alcoólicas. E, por preceito e exemplo, ensinamos o mesmo às outras pessoas.” [4]

O que Presidente Brigham Young disse: “Em vez de fazer o trabalho de dois dias em apenas um, a sabedoria prescreve [aos santos] que, se desejarem ter vida longa e boa saúde, devem, após fazer algum esforço, permitir que o corpo descanse antes de atingir a exaustão completa. Quando se encontram nesse estado, algumas pessoas dizem que precisam de algum estimulante (…) Em vez de apelar para esse tipo de estimulantes, devem procurar restabelecer-se por meio do descanso”. [5]

“Um presidente da estaca programou uma entrevista com um rapaz para ajudá-lo a completar aseus papéis para missão. O jovem era um estudante brilhante e tinha guardado dinheiro para a sua missão. Ele frequentava a igreja regularmente e era digno de uma recomendação para o templo. Ainda assim, o presidente da estaca tinha uma preocupação: o jovem estava bebendo 12 bebidas energéticas por dia! Em sua reunião, o presidente da estaca sugeriu que ele quebrasse o hábito de usar bebidas energéticas antes que enviasse seus papéis para o Departamento Missionário.

“Não tem problema, presidente”, disse o jovem. Não é um vício. Eu posso parar a qualquer momento.” Eles marcaram uma outra entrevista para a próxima semana e o jovem se foi. No dia seguinte, ele descobriu o quanto seu hábito se tornou em um vício. Seu corpo queria bebidas energéticas, e era difícil dizer “não” por si mesmo. No meio da semana ele chamou seu presidente de estaca, e pediu uma bênção. “Eu acho que eu realmente era mais viciado do que eu pensava”, disse ele. Isso é realmente difícil.”

A bênção foi dada, e o presidente de estaca continuou a se encontrar com o jovem e monitorar seu progresso. O processo, na verdade, levou meses, mas finalmente este jovem se sentiu pronto para enviar seus papéis para missão. Seu conselho para os outros é esse: “Não se deixem enganar. Só porque algo não é especificamente mencionada na Palavra de Sabedoria não significa que não haja consequências negativas. (…)

Um professor universitário que não era membro da Igreja quis testar um aluno SUD, perguntando se esta ou aquela substância era “contra a Palavra de Sabedoria.” Quando o aluno respondia “sim”, o professor listava rapidamente outras substâncias que eram “realmente muito ruins” e perguntava por que elas não estavam também”na lista”.

Finalmente, um dia, o estudante disse: “Eu preciso fazer algumas escolhas na minha vida porque Deus me deu mandamentos. E eu preciso fazer outras escolhas, porque Ele me deu um cérebro.” O estudante estava correto! Tudo o que se deve ou não se deve comer e beber não está listado nas revelações e cada possível escolha sábia, ou não, não esta listada nas páginas de Para o Vigor da Juventude. O Senhor disse: “Pois eis que não é conveniente que em todas as coisas eu mande; pois o que é compelido em todas as coisas é servo indolente e não sábio; portanto, não recebe recompensa.”(D&C 58:26). [6]

Para finalizar o conselho do Presidente Joseph F. Smith se aplica: “Na louca corrida pela vida em busca das honras do mundo e da posse das coisas perecíveis desta Terra, os homens não param enquanto não ficam cansados nem descansam enquanto não desfalecem. Eles parecem achar que quando ficam cansados e fatigados precisam tomar estimulantes para revigorá-los, de modo que possam correr um pouco mais por alguns momentos. (…) Se pudéssemos de alguma forma ter uma porção suficiente do Espírito do Senhor em nós a ponto de saber o que fazer ao sentir o cansaço e o esgotamento chegarem, sem recorrer ao auxílio de estimulantes e drogas que acabam prejudicando nossos sistemas e nos tornando escravos de um apetite artificialmente adquirido, seria muito melhor para nós. (…) Prefiro sentir-me cansado e exausto devido ao trabalho e dar à natureza a chance de restaurar-se a si mesma, a tentar medicar-me usando narcóticos e drogas que atacam as bases da minha saúde física e espiritual. Mas se não cumprirmos a Palavra de Sabedoria, como teremos a sabedoria, o conhecimento e o entendimento pelos quais possamos ser governados em nossa própria conduta? A promessa é que se cumprirmos essas coisas teremos conhecimento, e o destruidor nos passará, e escaparemos dos males que afligem os iníquos.” [7]

 

PS: ESTE ARTIGO, COMO TODOS OS OUTROS DESTE SITE, NÃO DEVE SER INTERPRETADO COMO POSIÇÃO OFICIAL DA IGREJA. Além disso, nenhum profeta ou apóstolo se manifestou publicamente, até onde conseguimos pesquisar, sobre as bebidas energéticas. A Palavra de Sabedoria inclui a proibição literal de: café, chá preto,  bebidas alcoólicas, fumo e drogas (estas últimas só podem ser usadas com recomendação de médicos competentes). Outras substancias poderão ser evitadas segundo o discernimento de cada pessoa – pois cada um é responsável por preservar o corpo e uma vida saudável. Nenhuma pessoa deve adicionar elementos à Palavra de Sabedoria para outras pessoas, quando for ensinar na Igreja ou  em nome da Igreja. A doutrina deve ser mantida pura. Podemos aconselhar contra o uso de refrigerantes, comida fast-food, transgênicos, bebidas energéticas, etc. – mas tudo dentro da razoabilidade – e deixando claro que essa é nossa interpretação pessoal – e não vincula outras pessoas. 

 

_________

NOTAS

[1] “O Senhor nos deu uma lei de saúde” A Liahona Fevereiro de 2012

[2] “Conheça os riscos do consumo excessivo de energéticos“, Saúde, Portal Terra.

[3] “Os perigos das bebidas energéticas“, Mariana Araguaia, Brasil Escola.

[4] Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: David O. McKay

[5] Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Brigham Young, 1997, pp. 212.

[6] “The Energy Drink Epidemic“, Ensign, Dezembro de 2008 (tradução livre)

[7] Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph F. Smith, pg. 326