Perguntas e respostas: “Ainda é adultério mesmo que seja somente em pensamento?”

Pergunta

Estou muito confusa. Li que adultério é a relação sexual entre duas pessoas que não são casadas, e também imaginar relacionamentos sexuais mesmo quando não há o ato físico.

Tenho lutado contra os meus pensamentos e temo me encaixar na segunda situação e, portanto, cometer adultério assim como aqueles que cometem o ato físico… o que eu faço?

O que confunde é se esse adultério no coração é tão grave quando o adultério físico. Em termos simples e direitos, cometi adultério?

Resposta

Para começar a responder sua pergunta, vamos ler alguns versículos nas escrituras que estão relacionados à sua preocupação. No Livro de Mórmon lemos as seguintes palavras em Alma 12:14,

“Porque nossas palavras nos condenarão, sim, todas as nossas obras nos condenarão; não seremos considerados sem mancha e nossos pensamentos também nos condenarão”

Em Mateus 5:27-28 o Senhor declara,

“Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério.

Eu vos digo, porém, que qualquer que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.”

A primeira escritura explica que se não vigiarmos nossos pensamentos, eles nos condenarão. Na segunda, o Senhor nos permite ver a lei maior correlacionada ao adultério.

Por que o Senhor se preocupa com os nossos pensamentos, e porque um homem ou mulher já cometeu adultério ao somente cobiçar alguém?

A seguinte citação do Presidente David O McKay pode dar mais luz e conhecimento aos nossos pensamentos:

“Pensamentos são sementes de ações, e os precedem. …O desejo e esforço constantes do Salvador era implantar na mente pensamentos corretos, motivos puros, nobres ideais, tendo pleno conhecimento que palavras e ações corretas inevitavelmente se precedem.” (Stepping Stones to an Abundant Life, comp. Llewelyn R. McKay [1971], 206).

Para acompanhar as palavras do Presidente McKay podemos ler os seguintes versículos em Doutrina e Convênios 121:45-46,

“Que tuas entranhas também sejam cheias de caridade para com todos os homens e para com a família da fé; e que a virtude adorne teus pensamentos incessantemente; então tua confiança se fortalecerá na presença de Deus; e a doutrina do sacerdócio destilar-se-á sobre tua alma como o orvalho do céu.

O Espírito Santo será teu companheiro constante, e teu cetro, um cetro imutável de retidão e verdade; e teu domínio será um domínio eterno e, sem ser compelido, fluirá para ti eternamente.”

Agora que temos mais conhecimento a respeito da importância de manter os nossos pensamentos limpos e porque manter nossos pensamentos limpos e puros nos aproxima de Deus, o que podemos fazer se tivermos problemas com pensamentos impuros?

O primeiro passo é pedir perdão ao Senhor. Pecados que permeiam nossos pensamentos não são transgressões sérias, mas ainda são transgressões.

Por não serem graves, você pode simplesmente se ajoelhar e pedir perdão ao Senhor. Você pode implorar ao Senhor para ter forças, através de Sua graça, para sobrepujar o pecado do adultério em seu coração.

Com o tempo, dependendo de suas escolhas pessoais, você pode sobrepujar essa dificuldade através da graça de Cristo. Também gosto das seguintes palavras de James Allen:

“A mente de um homem pode ser comparada a um jardim, que pode ser cultivado de modo inteligente ou crescer livremente; mas se cultivado ou negligenciado, deve, e irá, crescer. Se nenhuma semente útil for colocada nele, então uma abundância de sementes inúteis de ervas daninhas, cairão nele e continuarão a produzir sua espécie.

Assim como um jardineiro cultiva seu jardim, mantendo livre de ervas daninha e cultivando as flores e frutos que ele quer, assim um homem pode cuidar do jardim de sua mente, eliminando todos os pensamentos errados, inúteis e impuros, e cultivando as flores e frutos de pensamentos corretos, úteis e puros.

Ao seguir esse processo, o homem, mais cedo ou mais tarde, descobre que é o jardineiro-chefe de sua alma, o diretor de sua vida. Ele também… entende, cada vez mais, como as forças do pensamento e os elementos da mente operam na formação do seu caráter, circunstâncias e destino.” (As a Man Thinketh [1983], 15)

É bom que você esteja preocupado com os seus pensamentos, assim como todos nós deveríamos estar. Apesar de sua pergunta já ter sido respondida, vou dar uma resposta mais direta.

O pecado do adultério em nossos pensamentos e coração, é o mesmo que cometer adultério físico? Não.

Um ato físico de adultério é uma transgressão séria e exige a autoridade e as chaves do sacerdócio (por meio de um juiz em Israel) para nos ajudar no processo do arrependimento.

O pecado em nossos pensamentos e coração, requer diligência de nossa parte (um esforço diário), mas não exige a autoridade e chaves do sacerdócio (por meio de um juiz em Israel) para obter perdão.

Fonte: Ask Gramps

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *