Num panfleto intitulado “A Força da Posição Mórmon”, o falecido Élder Orson F. Whitney, do Conselho dos Doze Apóstolos, relatou o seguinte incidente sob o título “Uma Opinião Católica”:

“Há muitos anos atrás, um homem instruído, membro da Igreja Católica Romana, veio a Utah e falou no púlpito do Tabernáculo de Salt Lake City. Tornamo-nos bons amigos, e conversamos livre e francamente. Tratava-se de um homem erudito que falava corretamente pelo menos uma dúzia de línguas e demonstrava um grande conhecimento de teologia, leis, literatura, ciência e filosofia. Um dia ele me disse: “Você mórmons são todos ignorantes. Não compreendem nem mesmo a força de sua própria posição. Ora, é tão forte que há somente outra comparável em todo o mundo cristão – e esta é a posição da Igreja Católica. Só entram em questão o catolicismo e o mormonismo. Se estivermos certos, vocês estão errados; se vocês estiverem certos, nós estamos errados e isto é tudo. Os protestantes são indefesos, pois, se estivermos errados, eles estão conosco, pois são parte de nós e saíram de nós; enquanto que, se estivermos certos, eles são apostatas de quem nos afastamos há muito tempo. Se tivermos a sucessão apostólica de São Pedro, como clamamos, não há necessidade de Joseph Smith e do Mormonismo; mas se não tivermos aquela sucessão, então um homem como Joseph Smith era necessário e a atitude do Mormonismo é consistente. Ou o Evangelho se perpetuou desse os tempos antigos, ou foi restaurado em tempos modernos.”

 

Publicado em Teologia Mórmon

Citado em “Uma Obra Maravilhosa e um Assombro”, LeGrand Richards, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 3ª Edição, 1966, pg. 3