A família Mattos é sobretudo uma família missionária! O irmão José Carlos Sampaio Mattos Jr., o patriarca da família, contou ao mormonsud.net que por cerca de “um mês e pouco” todos os seus cinco filhos estarão servindo como missionários de tempo integral. Confira!

 

Como tudo começou

O irmão Mattos contou que seus pais se converteram ao Evangelho restaurado quando ele tinha apenas 4 anos de idade. O espírito missionário então passou a entrar para família com grande vigor. O irmão Mattos serviu missão em Recife de junho de 1985 a julho de 1987. 4 irmãos e 3 irmãs dele também serviram como missionários de tempo integral.

A esposa do irmão Mattos, Marta, entrou para Igreja na adolescência. Ela serviu missão de curto-prazo por um ano (um tempo bem superior a uma missão de curto prazo hoje). Nesta missão ela levou muitas pessoas para Igreja.

Quando o irmão Mattos e Marta se conheceram, passaram a frequentar o Instituto juntos. Eles se apaixonaram e se casaram. Eles decidiram criar uma família missionária, ensinado seus filhos em luz e verdade – e preparando-os para servirem como instrumentos na mãos de Deus. O irmão Mattos contou:

“Servir missão para a nossa família sempre foi algo de extrema importância, mas compreendíamos, conforme ensina a liderança da Igreja, que os rapazes tem o dever de servir quanto as moças não estão sobre a mesma obrigação. Então sempre esperamos que nosso único filho homem, o caçula, escolhesse servir. Felizmente ele escolheu ser um missionário. Já com relação as nossas queridas filhas – elas decidiriam servir quando buscaram orientação do Senhor sobre o assunto.”

 

Preparação e Chamado de uma família missionária

Como parte da preparação para servir como missionário de tempo integral é esperado que os rapazes e moças estudem as escrituras, se fortaleçam física, social e mentalmente.

A irmã Marta, mãe dos missionários contou que ela e o marido decidiram colocar nomes de personagens das escrituras em seus filhos, para inspirá-los (Helamã 5:6-8)

O irmão Mattos disse que desde pequeno seu filho Samuel começou a fazer coisas para juntar dinheiro, como engraxar sapatos dos membros e dos missionários. Mais tarde o rapaz venceu uma olimpíadas de matemática, e desta vitória obteve uma pequena bolsa, que lhe permitiu guardar dinheiro em uma poupança para a missão.

As moças também desenvolveram talentos, fortaleceram-se espiritualmente, buscaram educação formal e trabalharam.

“Finalmente chegou o tempo do Samuel enviar seus papéis para receber seu chamado missionário. Foi então que nossa filha mais nova, Maria, disse que desejava preparar os papéis dela também. Enviaram, portanto, as solicitações de serviço missionário juntos.

Curiosamente a filha mais nova foi a primeira a receber o chamado missionário.

Maria foi chamada para Missão Argentina Buenos Aires Sul e ela saiu quase um mês antes de Samuel, que foi chamado para Missão Colômbia Bogotá Norte.

Então duas outras filhas do casal Mattos decidiram servir missão. Ele contou:

Minhas outras filhas, a Sarah e a Raquel, ao verem o exemplo dos irmãos, sentiram e decidiram ser missionárias. Enviaram seus papéis e saíram juntas, dando entrada no Centro de Treinamento Missionário no mesmo dia. A primeira foi chamada para o Paraguai e a segunda para o Uruguai.

Por último, nossa filha mais velha, Rebeca também decidiu servir missão. Ela foi chamada para missão Florianópolis, e partirá em agosto de 2017.”

A Família missionária. Da direita para esquerda: Raquel, Sarah, Marta (mãe), José Carlos (pai), Maria, Samuel e Rebeca.

Uma família Missionária hoje e sempre

O Irmão Mattos falou do sagrado momento em que seus filhos descobriam onde iriam servir:

“Cada vez que pudemos estar com nossos filhos na ocasião da abertura dos seus chamados missionários, sentimos e soubemos que o Pai Celestial os estava requisitando. Foram momentos extremamente emocionantes e de grande gratidão. É difícil de descrever.”

A família Mattos tem recebido muitas bênçãos espirituais e materiais ao se tornarem uma família missionária. Eles sentem grande gratidão por terem abençoado diretamente centenas de pessoas ao convidarem todos a virem a Cristo e receberem as ordenanças de salvação. Eles sabem que o chamado ao trabalho não se reduz ao tempo formal de serviço missionário – e, portanto, continuarão a ser testemunhas de Deus, em todos os momentos, em todos os lugares e em todas as coisas.

A irmã Marta concluiu dizendo:

“Espero que muitas pessoas possam se inspirar com a história de nossa família e tornem-se missionários também. O Senhor precisa de todos os seus filhos. Todos são importantes e especiais.”

Como você pode ajudar a sua família a se tornar uma família missionária? Conte pra gente!