As escrituras referem-se a nós como “povo peculiar” por uma razão. As vezes fazemos coisas que não fazem sentido. Mesmo dentro da Igreja fazemos coisas que provavelmente não são consideradas “normais” pelos nossos irmãos. Se você faz alguma destas sete coisas, você pode ser um santo dos últimos dias altamente peculiar.

1. Viver na base do “horário mórmon”

Em Doutrina e Convênios 132:8, lemos o seguinte:

“Eis que minha casa é uma casa de ordem, diz o Senhor Deus, e não uma casa de confusão”.

Chegar atrasado para várias reuniões da Igreja ou iniciá-las tarde provavelmente não era o que Deus tinham em mente quando Ele nos deu essa revelação. Felizmente para nós, Deus não espera perfeição nesta vida. Todos temos que continuar tentando — e provavelmente falhando — para chegar a tempo para as coisas.

2. Mandar de modo exagerado mídia social com posts relacionados ao evangelho

O “Manual 2: Administração da Igreja” diz:

“Os membros são incentivados a ser um exemplo de sua religião em todos os momentos e em todos os lugares, inclusive na Internet”, a seção 21 diz. “Eles são incentivados a fortalecer as pessoas e ajudá-las a conhecer coisas úteis, boas e louváveis. Se adequado, os membros são incentivados a mencionar a Igreja, compartilhar materiais aprovados da Igreja.”

Em outras palavras, você não precisa sair por aí carregando uma bandeira figurativa que declara todas as suas crenças. É possível compartilhar o evangelho sendo você mesmo em seu estado normal. Basta começa a compartilhar mais sobre sua vida pessoal e a maneira em que vive. Não precisa de uma enorme quantidade de citações e memes. Cristo pode brilhar por seu intermédio nos comentários, nas legendas e fotos que você postar.

3. Usar a frase “Um bom  santo dos últimos dias não faz [tal coisa, que nem é doutrina]”

Se você leu ou ouviu o discurso de Dieter F. Uchtdorf “Os Misericordiosos Obterão Misericórdia”, você sabe que ele disse que é preciso parar quando se trata de julgar os outros.

“É simples assim. Simplesmente temos de parar de julgar os outros e devemos substituir os pensamentos e sentimentos dessa natureza por um coração cheio de amor a Deus e a Seus filhos.”

– Élder Dieter F. Uchtdorf

Então, se a tentação de dizer “um bom santo dos últimos dias não faz tal coisa” vier à sua cabeça, impeça-o com as palavras do Élder Uchtdorf e diga a si mesmo para parar.

4. Prestar um “testemunho” que na verdade não é um testemunho

O site da Igreja define um testemunho:

O testemunho é uma certeza espiritual dada pelo Espírito Santo.

O que um testemunho não é: uma longa história sobre algo que aconteceu com você durante o mês ou a expressão de quanto você ama sua família. Em vez disso, fale sobre o princípio ou a doutrina sobre o qual você ganhou um testemunha ou como você sabe que Deus criou famílias eternas.

5. Ficar pescando as respostas ao ensinar uma aula

Todos já estivemos em uma classe da Escola Dominical na qual o professor fica aparentemente tentando fazer com que consigamos ler a mente dele ou dela. Várias pessoas dão respostas até que todos da turma ficam esperando que o professor acabe com a agonia deles e dê a resposta correta.

Em vez disso, tente conduzir debates nas aulas. Isso permite que membros da classe aprendam uns com os outros. Doutrina e Convênios 50:22 diz:

“Portanto aquele que prega e aquele que recebe se compreendem um ao outro e ambos são edificados e juntos se regozijam”.

6. Acreditar que sobremesas vão nutrir e fortalecer você

Acreditar que uma “salada” de chantilly, barras de chocolate e maçãs vai nutrir e fortalecer o nosso corpo pode ser uma das coisas mais peculiares que fazemos. Principalmente quando temos uma sessão inteira de Doutrina e Convênios que cobre as diretrizes de saúde.

7. Fazer suposições sobre quem serviu ou não missão

Falemos a verdade: perguntar “Onde serviu missão?” é uma maneira muito peculiar de quebrar o gelo. Especialmente porque há muitos membros ativos e dignos que não serviram missão por várias razões, e supor que eles serviram só torna as coisas embaraçosas para todos. É como perguntar a alguém qual é a hamburgueria favorita e a resposta deles ser: “sou vegetariano”.

Em vez de fazer suposições, podemos tentar conhecer de verdade as pessoas ao nosso redor. Se alguém voltar para casa mais cedo de uma missão ou for incapaz de servir, então podemos oferecer mais apoio e um ouvido para ouvir, quando apropriado.

Se você leu até aqui e não tem nenhum destes hábitos, não se preocupe — você provavelmente é peculiar de alguma outra maneira. Apenas certifique-se de que sejam quais forem os hábitos você tem esteja errando o alvo. Se os hábitos que temos neste momento não nos ajudarem ao longo do caminho para a exaltação, então seríamos muito peculiares se não os extinguíssemos. Como Stephen Covey diz em seu livro “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes”, devemos “começar com o fim em mente”.

Fonte: ThirdHour

Relacionado:

16 GIFs que resumem como é ir à Igreja no domingo

15 Gifs Que Descrevem Perfeitamente o Namoro na Igreja